ACTUALIDADE

Loading...

domingo, 3 de maio de 2015

Uma mãe relata como a fi-lha começou a manifestar a sua bipolaridade até ao dia em que tudo mudou de vez.



A psicose, os demónios e a minha linda filha


DORIS FULLER



No mês passado, perdi a minha querida filha na luta contra a doença mental. Suicidou-se a poucas semanas de fazer 29 anos, atirando-se para a frente de um comboio em Baltimore.

A Natalie e eu escrevemos um livro juntas quando ela tinha 16 anos: Promise You Won’t Freak Out: A teenager tells her mother the truth about boys, booze, body piercing and other touchy topics (and Mom responds) — “Promete que não te passas: Uma adolescente conta à mãe a verdade sobre rapazes, álcool, piercings e outros temas sensíveis (e a mãe responde)”. A ideia de uma adolescente contar à mãe os seus segredos era tão atraente que aparecemos na capa do Baltimore Sun e mais duas dezenas de jornais, fomos a programas de televisão de um lado ao outro do país, incluindo aos programas da manhã, e pagaram-nos para dar conferências. A Oprah ligou-me.

No livro, usávamos um dispositivo para assinalar quando uma grande reviravolta estava prestes a acontecer: Até que… Na introdução, defini os momentos Até que… como “uma daquelas alturas críticas em que a minha alegre sensação de que tudo estava bem no mundo colidia com a prova irrefutável de que não, não estava”.

O livro foi publicado uma semana antes de a Natalie terminar o liceu e recebeu óptimas críticas. A Amazon considerou-o o melhor livro sobre parentalidade de 2004. Foi nomeado para um prémio nacional. Foi traduzido para lituano e chinês.

Até que...

Aos 22 anos, durante a segunda parte do seu último ano de faculdade, Natalie teve um surto psicótico. No prazo de poucas semanas, passou de uma jovem adulta brilhante com o mundo aos seus pés para uma paciente numa instituição psiquiátrica com cadastro criminal. Só muito mais tarde é que eu soube que esta dramática trajectória é avassaladoramente comum.



No prazo de poucas semanas, passou de uma jovem adulta brilhante com o mundo aos seus pés para uma paciente numa instituição psiquiátrica com cadastro criminal

Os distúrbios psicóticos aparecem quase sempre no final da adolescência ou no início da idade adulta, com picos entre os 18 e os 25 anos, de acordo com Thomas Insel, director do Instituto Nacional de Saúde Mental. Os cientistas não sabem explicar porquê. Muitos investigadores têm-se concentrado nas anomalias na forma como se desenvolve, durante a adolescência, o cérebro das pessoas com surtos psicóticos. Outros investigam a genética, as circunstâncias pré-natais e o ambiente envolvente.

Surgiu um relativo consenso à volta do conceito de que os surtos psicóticos como os de Natalie não são, ao contrário do que possam parecer, abruptos, mas o culminar de um longo processo. De acordo com este modelo, têm origem em alterações moleculares que ocorrem no cérebro que começam uma década antes de os sintomas se manifestarem e que progridem para uma fase de psicose em último grau na qual a realidade é tomada pela ilusão, paranóia, alucinações ou outro tipo de distúrbios. Isto aponta para a possibilidade, tão tentadora quanto controversa, de as crianças poderem vir a ser analisadas segundo indicadores psicóticos, tal como acontece actualmente com outros problemas de saúde, na esperança de se conseguir reduzir o risco de psicose, tal como reduzimos o de ataques cardíacos.

Os problemas da Natalie devem ter começado no seu primeiro ano de faculdade, mas — tal como todas as famílias com quem falei sobre os seus próprios casos — eu não tinha um quadro de referências para reconhecer aquilo que na realidade eram.

Passou uma semana em que não dormia mais de quatro horas por noite e parecia ter uma energia interminável. Mas nessa altura estava a viajar no estrangeiro e mantinha-se acordada graças à cafeína. A nossa família viu isto como jet lag e não como um distúrbio psicológico. Alguns meses depois, disse que uma das suas amigas começava a sussurrar sempre que ela virava a cabeça, quando na verdade as raparigas seguiam juntas pela rua abaixo, a discutir um pouco entre si. Sem um historial de doenças mentais na família, nunca passou pela cabeça de ninguém que fossem alucinações auditivas.

Só seis meses depois — quando o sussurro da sua amiga se transformou num coro de estranhos que lhe davam ordens que levaram a detenções por crimes como invasão de propriedade privada — é que a relação se tornou aparente. Isto, mais uma vez, também é comum: a duração média de falta de tratamento da psicose nos EUA é de 70 semanas, diz Insel.

Como a maior parte das pessoas que estão no meio de uma crise psiquiátrica, Natalie argumentava que estava óptima e que “todos os outros estão loucos”. O seu estado continuou a deteriorar-se até que um agente da polícia, em reposta a mais uma chamada, a levou para as urgências de um hospital em vez de uma prisão. Depois de uma série de exames psiquiátricos e de uma audiência de tribunal, deu entrada num hospital público psiquiátrico. Recebeu tratamento intensivo por grave transtorno bipolar e psicose, até ficar estável e sem sintomas, dois meses mais tarde.

Natalie chegou bem, animada e parecida com a pessoa que era. Veio passar o Verão a minha casa e ensinou-me a gostar de tofu grelhado e a fazer ovos mexidos. Preparou as melhores saladas que comi na vida. Encheu a casa com a sua arte original, os seus amigos e o seu espírito irresistível. A doença mental não era tema. Voltou à faculdade para recomeçar o último ano. Quando partiu fiquei de estômago vazio, mas cheia de optimismo.

Até que...

Três meses depois, deixou abruptamente de tomar os medicamentos que mantinham à distância os seus surtos maníacos e as alucinações auditivas. Um dia, quando veio passar o fim-de-semana, minutos depois de ter entrado em casa o seu pensamento e comportamento fantasioso tornou evidente que os “demónios”, como eu viria a chamá-los mais tarde, tinham voltado.

A recaída da Natalie foi pior do que o seu primeiro surto: a psicose e o internamento mais prolongados, a recuperação mais difícil, a medicação mais complicada, as perspectivas de futuro menos auspiciosas. Esta segunda estadia no hospital durou dez meses, uma eternidade numa altura em que a média de internamento psiquiátrico é de cinco dias e a maioria das pessoas com psicoses nem sequer é internada. Graças a um cuidado intensivo, ela voltou a recuperar, ainda que mais lentamente, e terminou o seu bacharelato em artes plásticas.

O seu assistente psiquiátrico do hospital e vários outros funcionários percorreram 120 quilómetros para assistir à sua exposição de final de curso. Foi um triunfo para todos nós.



Apesar de Natalie parecer mais feliz e mais produtiva quando tomava a medicação, sentia falta da pica das paranóias ocasionais e odiava o aumento de peso

Mas, tal como acontece com muitas pessoas e muitas famílias e profissionais que vivem com, ou perto, de doentes psiquiátricos, o Até que... continuou. Apesar de Natalie parecer mais feliz e mais produtiva quando tomava a medicação, sentia falta da pica das paranóias ocasionais e odiava o aumento de peso que é um efeito secundário frequente dos remédios que tomava. Quando estava estável, às vezes declarava que afinal não estava doente e por isso não precisava da medicação — outra razão muito comum que as pessoas dão para deixar os medicamentos.

Mas se ela, ainda que inadvertidamente, deixasse de os tomar durante alguns dias, mesmo que estivesse em terapia ou outras formas de tratamento, os demónios regressavam e uma das primeiras coisas que lhe diziam era para deixar de tomar a medicação. A segunda era para não falar com a mãe, a outra influência mais poderosa na sua vida. De todas as vezes ela obedecia e piorava, tinha uma recaída ainda mais duradoura, a queda era mais acentuada e a recuperação mais lenta, regressando a um nível de estabilização mais baixo.

A última vez que entrou neste ciclo foi no Outono passado, quando se convenceu de que era aquela pessoa em cada quatro com distúrbios psíquicos cujos sintomas só melhoram muito tenuemente, ou não melhoram de todo, com os medicamentos. Não havia sinais aparentes de psicose, e para todos à sua volta ela parecia feliz e saudável, mas dizia que não conseguíamos ver o que estava dentro da sua cabeça.

Em Novembro, seis anos depois do primeiro surto, anunciou que, uma vez que teria alucinações de qualquer forma, iria deixar de tomar a medicação de vez. Tinha 28 anos quando deixou de tomar os antipsicóticos injectáveis e os comprimidos que ajudam a estabilizar o humor que a tinham ajudado a reconstruir a vida. E a sua mente entrou numa última, e fatal, espiral.

Natalie acreditava que o tratamento resultava e que o sistema de saúde mental tinha de ser reformado para que outras pessoas recebessem o tipo de cuidados que ela recebia quando tinha uma crise. Contou a sua história no ano passado para um documentário sobre a criminalização de pessoas com doenças mentais. Sonhava ser conselheira de quem tinha os mesmos problemas que ela. Dizia que queria ajudar os outros da mesma forma que a tinham ajudado a ela — até se convencer de que no seu caso qualquer ajuda era inútil.

Nas semanas depois da sua morte, as manifestações de simpatia e pesar de legiões de pessoas que combatem os demónios deixaram-me ciente de que a dor que sinto pela sua perda é apenas uma gota no oceano de dor criada pelas doenças psíquicas que estão por tratar. Uma mulher escreveu: “Tenho bipolaridade e nem sou capaz de contar quantas pessoas me disseram ao longo dos anos: ‘Devias ficar contente por só teres isso’, ‘podia ser pior, podias ter cancro ou outra doença terminal...’ Entristece-me que tantas pessoas não percebam que as doenças mentais, apesar de serem tratáveis, não são curáveis e podem matar.”

A minha filha viveu mais de seis anos com uma doença incurável e encheu a cabeça com demónios que literalmente a levaram à morte, e fê-lo enquanto ria, pintava, escrevia poesia, ajudava e trazia alegria a outras pessoas à sua volta. Foi a pessoa mais corajosa que eu conheci e o seu suicídio não muda isso.

“A Natalie ajudará a nossa sociedade a avançar”, escreveu-me um investigador do Johns Hopkins Hospital quando soube da sua morte. “Ela ajudou-nos a olhar para as doenças mentais com o respeito, a compaixão e a dignidade que merecem.”

Espero que sim. A Natalie teria adorado esse legado.


Exclusivo PÚBLICO/The Washington Post
Doris Fuller é directora executiva do Treatment Advocacy Center, em Arlington (Virginia), que se dedica a ajudar pessoas com doenças psiquiátricas a receber tratamento 


MAIS DESTA EDIÇÃO


CARTA AO PRESIDENTE NUYSI (Portagens em Tete)

(Será que esta carta vai chegar ao conhecimento do PR?)

Caro Sr. Presidente da República De Moçambique;
Queira aceitar, antes de mais, as nossas cordiais saudações.
A presente carta é uma manifestação do sentimento das Organizações da Sociedade Civil de Tete, das comunidades, comerciantes e demais cidadãos sem voz e sem uma representação formal. Endereçamos a si esta carta porque entendemos que as novas taxas de portagens foram aprovadas por um Diploma Ministerial. O que significa que mesmo estando em Tete é com o Senhor Presidente que temos que interagir, pois a nível provincial ninguém tem a autonomia de Revogar a um Diploma Ministerial a não ser a si que o ratificou.
Excelência,
A presente carta reflecte as desvantagens e possíveis consequências que as novas taxas de portagens recém-instaladas na Província de Tete irão provocar na vida do cidadão. Antes de discorrer pelo assunto, é importante perceber o contexto socioeconómico em que a maioria de cidadãos da cidade e província de Tete se encontram. Ao analisar a questão precisamos ter em conta que a cidade de Tete é o principal centro económico e administrativo da Província, por isso será usada como base nessa análise.
Infraestruturas
A cidade de Tete e a sua periferia apresentam diferentes realidades em termos de infra-estruturas, serviços, e comércio, frutos de investimentos do sector mineiro. A zona cimento de Tete, com estradas alcatroadas, sistema de esgotos, urbanizada, é a herança do tempo colonial, o desenho das casas e o estado das vias atesta esta afirmação.
São poucas as áreas em que há um plano de urbanização de raiz. Quase que todas as áreas destinadas a habitação da cidade apresentam um padrão de ocupação desordenado que se reproduz a medida do seu crescimento. O que mostra a falta de um Plano Director. As intervenções são todas feitas sem um padrão.
Habitação
Apesar da existência de vários investimentos na província, maior parte das famílias residentes em Tete são pobres a considerar pela precariedade das habitações localizadas em sítios íngremes, pedregosos com precipícios e expostas à erosão, ao desemprego, sobrevivendo a base de biscates, aluguer da casa, da venda a porta de casa ou nos mercados de Kwachena, Cambinde e Canongola.
Condição Social
Muitas vezes estas famílias auferem a um salário mínimo ou menos, conseguido no emprego doméstico (limpeza, guarda e baba e entre outros). Os bairros de Tete têm quase as mesmas características. Estes bairros são desordenados e cresceram nas décadas 80 e 90 como resultado de migrações motivadas pela guerra dos 16 anos e busca de oportunidades e melhoria das condições de vida. Os arruamentos, as infraestruturas e serviços públicos são irregulares.
Excelência,
Apesar do rio Zambeze passar pela Província de Tete, saiba que maior parte de cidadãos de Tete não tem água canalizada. Os poucos que têm um sistema de água canalizada recebem água suja nas suas torneiras, alias há muitos cidadãos nos bairros de Tete em que não sabem o que é jorrar água das suas torneiras. Muitos de nós compramos o precioso líquido para satisfazer as nossas necessidades básicas, mesmo sabendo que o rio Zambeze está às nossas vistas.
Excelência,
Em Tete somente às casas feitas pelo regime português possuem um sistema de esgotos bem estruturado e as demais casas são feitas sem nenhum sistema sustentável de esgoto. Alias, a maioria das casas nos bairros de Tete têm um sistema de esgoto virado para a estrada, eis a razão de se ter águas negras a escorrer por todas as vias.
Famílias
Maior parte das famílias residentes nos bairros e arredores da cidade de Tete são constituídas de adultos e jovens, e muitos destes cresceram dentro do bairro, seus pais idos de áreas rurais, não valorizaram a escola para os filhos, talvez pela falta de preparação para a nova realidade, deixando-os a mercê de uma sociedade e um mercado de trabalho cada vez mais agressivo. Muitos vivem a fazer biscates por curtos períodos, sempre na incerteza do “amanhã”.
Excelência,
Maior parte das famílias de Tete dependem para o seu sustento da machamba, biscates, pequenos trabalhos na vizinhança, muitas vezes em troca de comida e venda nas esquinas da cidade. Há igualmente muitas famílias sustentadas pelos filhos, este facto explica por que há cada vez mais jovens no negócio informal nas ruas, mercados informais e terminais de autocarros. A Província de Tete precisa de empresas que venham para ajudar o cidadão a sair da sua miséria. O povo de Tete não está interessado em alojar empresas que têm como objectivo sugar o pouco que o cidadão ganha do seu suor.
Excelência,
O Estado não pode empregar a todos e não há oportunidade de trabalho para todos, é por isso que há cada vez mais famílias a viverem de negócios em Tete. Muitos negociantes trazem os seus produtos de locais como Angónia, Zóbwe e outros pontos do país e do estrangeiro para sustentar e satisfazer os seus negócios. Na realidade maior parte dos produtos de negócio vem de fora, pois em Tete as indústrias de processamento são escassas. As taxas de portagens que foram impostas sobre o povo irão retardar grandemente os esforços individuais de muitas famílias pobres e aqueles que vivem na base do negócio.
Excelência,
No dia da sua investidura afirmou no seu discurso inaugural que “o povo era o seu patrão”. E com isso entendemos nós que o país é a nossa empresa, nós somos acionistas e vocês são os gestores desta empresa. Sendo assim não é justo que encareçam e dificultem a vida dos acionistas. A vossa missão é gerir da melhor maneira possível e que possam agradar a todos acionistas.
Portagens
Excelência,
Acreditamos que melhor que ninguém, o Senhor já viajou por muitos países africanos e até de outros continentes e por toda a parte há portagens. Na realidade as portagens são benéficas no processo de manutenção e reabilitação das vias. É importante clarificar que ninguém reclama da existência de portagens pois elas são importantes em muitos âmbitos.
Entretanto, o que nos leva a redigir essa carta é para alertar que as taxas das portagens implementadas desde o dia 23 de Março preocupam as comunidades residentes em Tete, preocupam às OSC, preocupam aos transportadores, às empresas e aos demais transeuntes que se fazem circular por aquelas vias. Excelência, nalgumas portagens uma viatura ligeira chega a pagar 350, 500 por cada passagem. Se um cidadão deseja circular ou fazer negócio usando uma camioneta do tipo Toyota Dina ou Mitsubish Canter chega a pagar 1100 de cada vez que este passa pela portagem. Não estamos a falar de taxas de camiões de grandes tonelagens porque o nosso interesse é a vida do cidadão comum.
Excelência,
Nenhuma viatura do governo paga a taxa de portagem. Nenhum governante paga a taxa de portagem. Essas podem ser algumas das razões que fazem com que o governo aprove as taxas sem ao menos consultar o povo. Acreditamos que os cargos de governação não são eternos e tarde ou cedo alguns de vós que aprovastes essas taxas haveis de sentir a dor de pagar 500 mts a cada vez que se passareis pela portagem de Mameme, ou os 350 mts a cada vez que passareis pela portagem de Changara.
Excelência,
As taxas aplicadas nas portagens de Tete assustam aos proprietários de viaturas. São taxas mais altas da África Austral. E a pergunta que muitas vezes nos fazemos é porque temos que pagar esse preço tão alto? É assim que se pretende combater a pobreza? Porque é que essas portagens todas têm de estar em Tete? Será que as nossas estradas são melhores que as de Manica? Que culpa cometeram os cidadãos que residem nesta parcela do país? Porque é que as portagens de Maputo não possuem as mesmas taxas que as portagens de Tete? Será que cidadãos de Tete são economicamente mais estáveis equiparados a cidadãos de Maputo? Será que as vias de Tete são melhores que as vias de Maputo? Será que há mais viaturas a circular pelas estradas de Tete que pela EN1?
Excelência,
Com todo o respeito, as nossas estradas não oferecem uma qualidade internacionalmente aceite. Todas as nossas vias são estreitas, e na maioria dos casos sem espaços para motorizadas, bicicletas e peões, são estradas cheias de buracos e onduladas e não há viatura que resiste muitos anos a usar estas estradas.
Excelência,
Se as vias são péssimas, então, o que estamos a pagar nas portagens? A outra questão que preocupa aos vários utentes das vias é a quantidade das portagens existentes. As 5 portagens se encontram num troço de 259 km segundo o Cartaz da Empresa Estradas do Zambeze, e as duas portagens de Changara encontram se a uma distância de menos de 3 km. Em média, em cada 50 km temos uma portagem. Em que país estamos nós, Senhor Presidente? Que país queremos construir? Que futuro desejamos deixar como herança a futura geração?
As portagens já estão a criar repercussões negativas na vida do cidadão e irá imediatamente encarecer a vida daqueles que vivem ao redor destas portagens e num futuro próximo da província e da região. A lógica é que os transportadores, quer sejam empresas ou particulares, não quererão assumir os custos. Isto significa que estes poderão encarecer os seus serviços de modo a recuperar o valor perdido durante a portagem e aos poucos será instalada a onda de aumento dos preços que culminará com o aumento do preço do produto final. Neste sentido, o cidadão que mal vive será obrigado a pagar a factura.
Excelência,
Qual é a importância económica da ponte Kassuende sobre a cidade de Tete? Nós cidadãos residentes em Tete ainda não percebemos o impacto da nova ponte sobre a vida social do cidadão de Tete. Tudo indica que a ponte veio mais uma vez encarecer a vida do cidadão de Tete. Se a ponte Kassuende tem algum benefício, de certeza que esse benefício não será para o cidadão, nem para a cidade de Tete.
Excelência,
É missão do Governo regular as parcerias público-privadas. Quando estas não se regulam, isto pode significar conivência e falta de interesse da parte do Governo para com o cidadão. Se cada empresa decidir as regras de funcionamento sem a intervenção do Governo este país não terá direcção.
Os preços aplicados às portagens desencorajam que um cidadão se faça transportar em sua própria viatura. Precisamos chamar a consciência de que esta via não possui nada de especial que justifique os preços aplicados. A via em questão é muito estreita e com péssimas condições de transitabilidade, incluído a existência de ondulações, buracos a falta de sinalização. As portagens precisam trazer benefícios ao cidadão e não encarecer a vida deste. A serem assim implementadas, as portagens só irão encarecer a vida do cidadão e aumentar a sua pobreza.
Excelência,
Iniciamos esta carta com uma apresentação socio económica de Tete para mostrar que o povo que habita nos arredores destas portagens encontra-se a viver na pobreza extrema e está sempre em tensão entre a fome e a sobrevivência. É um povo com uma saúde precária, educação instável, habitação lamentável e vive na incerteza do amanhã. Mais do que empobrecer a este povo, o governo precisa desenvolver parcerias benéficas para o povo. Não se combate a pobreza por palavras ou promessas, mas sim por actos concretos.
A subida dos preços de portagens tem muitos significados para o povo, entre elas, a falta de interesse da parte do governo para com seu povo, pois é o governo que regula a acção das empresas; Significa a falta de compromisso na agenda da redução da pobreza do cidadão. Significa também aversão ao real desenvolvimento das comunidades.
Precisamos reflectir profundamente sobre as taxas das portagens implementadas. Porque isto afecta a todos. É urgente que se encontre um meio-termo em todo este processo para que não haja um descontentamento generalizado. Não se pode assistir a este acto com um olhar indiferente e inocente, fazendo isso, nós a Sociedade Civil estaríamos a ser coniventes como aqueles que apoiam a esse projecto.
Sendo assim, vimos por meio desta pedir o seguinte:
• A Sua Excelência que revogue o Diploma Ministerial nº 25/2015 de 23 de Janeiro e pedimos que se faça uma auscultação aos residentes de Tete sobre o impacto destas taxas;
• Que sejam diminuídas as quantidades das portagens e as taxas das mesmas;
• A assembleia da República que se pronuncie, pois a questão destas portagens irá a curto e longo prazo contribuir para o agravamento do custo de vida da cidade, da província, da zona centro e do país no geral;
• Pedimos a Empresa Estradas do Zambeze que proponha ao governo taxas justas e que não ganhe rendimentos prejudicando ao cidadão moçambicano;
Saudações calorosas Tete, Abril de 2015
Plataforma da Sociedade Civil da Cidade de Tete
1.AAAJC- Ass. de Apoio e Assistência Jurídica as Comunidades; 2.ASA- Ass. Para Sanidade Ambiental; 3.Ass. 25 de Setembro; 4. Ass Arca da Esperança; 5. ACAMO; 6.Aceagrarios; 7. Ass. 1 de Maio; 8.ACVN- Ass. Dos Camponeses do Vale do Nhartanda; 9.AJK- Ass. Juvenil Kubvuma; 10.Ass. De Mulheres Paralegais; 11.ADELT; 12.Ass. Mãe; 13. APITE; 14.AMCP- Ass. De Mulheres Credito e Poupanças; 15.AKK- Ass. Kumaliza na Kubonera, 16.AJM- Ass. Juvenil Mussequere; 17.AKA- Ass. Kuthandiza Azinji; 18.AJGTO- Ass. Juvenil G.T.O; 19.CESC – Centro de Aprendizagem e Capacitação da Sociedade Civil; 20.DH- Liga dos Direitos Humanos; 21.FAA- Fundação Apoio Amigo, 22.NAFT- Núcleo das Associações Femininas de Tete; 23.Organização dos Camponeses de M’padué; 24. Parlamento Juvenil; 25. Pedras de Massingir; 26. UPCT- União Provincial dos Camponeses de Tete;




5 pessoas gostam disto.


Carlos Nuno Castel-Branco O equilíbrio orçamental não virá da tributação adicional da população - mais IVA, mais IRPS, mais taxas de portagens, etc. Isso criará mais pobreza e reduzirá as receitas fiscais. O orçamento do Estado tem de ser equilibrado mas também, fundamentalmente, tem de ser um instrumento económico e social para ajudar a promover desenvolvimento alargado e abrangente. Então, também por razões de eficiência e eficácia, em vez de tributar a pobreza dos pobres é necessário tributar o grande capital (onde as reservas fiscais ociosas, geradas por incentivos redundantes, se localizam) e redireccionar o investimento público com base em análise social e económica sólida. Tributar os pobres é como ir prospectar petróleo no candeeiro da casa de que nem tem energia eléctrica. Vão lá para onde os poços de petróleo se localizam. Injectar mais dinheiro no orçamento sem redireccionar a despesa pública, em especial o investimento, é como tentar encher um balde sem fundo. As duas coisas, mobilizar a receita ociosa das suas grandes reservas e redireccionar a despesa pública, devem ser feitas simultaneamente. Este movimento de Tete deveria ser massivamente apoiado pelas pequenas e médias empresas e pela população de todo o país - para obrigar a mudar a política fiscal e de despesa pública. Não se esqueçam que o endividamento público é um dos factores mais importantes a determinar e estruturar um sistema financeiro especulativo e inacessível à pequena e média empresa. Esse endividamento não se combate com a tributação dos pobres, mas com a mobilização das grandes reservas fiscais ociosas e com a reestruturação da despesa pública. Mobilizem-se, unam-se e lutem contra a austeridade (tributação dos pobres é uma forma de austeridade) e pela justiça social, económica e fiscal.

Homem preso por ser feio demais


Ele já foi preso por duas vezes por crimes que alega não ter cometido. Agora Thulani Mhlongo acredita que esteja a ser preso sem justa causa por ser feio demais.
“Eu sei que tenho um olhar assustador, olhos vermelhos e pele escura, mas eu não escolhi nascer assim. Peço que as polícias me deixem em paz por favor, me deixe em paz “, disse Thulani.
O cidadão de nacionalidade Sul Africana disse que ele foi preso pela primeira vez em 2013 e passou duas semanas na prisão. Na altura havia sido acusado de ter roubado um telefone, mas as acusações foram retiradas após a polícia ter encontrado o verdadeiro culpado.
feio
Em junho do ano passado, ele passou três semanas na prisão após ser acusado de assassinato.
“Eu posso parecer horrível, mas eu não faço crime. Eu sou um cara bom e mereço ser tratado como um ser humano e não como um animal selvagem “, acrescentou Thulani.
Após as acusações de assassinato, a sua foto foi publicada em jornais locais e agora quando as pessoas o veem pelas ruas gritam e fogem.
Ele também perdeu seu trabalho e confiança de sua família. O mesmo disse que ele e seu bebê estavam morrendo de fome porque não tinha fonte de rendimento.
Ele está vivendo com medo, por que teme que seja atacado por membros da comunidade que acreditam que ele é um criminoso.  Todos seus amigos já não querem lhe ver, porque acreditam que ele seja perigoso. Thulani disse que queria processar o Estado por arruinar sua vida.

Como foram erguidas as pirâmides do Egito?

por Marina Motomura | Edição 70
A construção das pirâmides botou milhares de egípcios para suar, exigiu conhecimentos avançados de matemática e muitas pedras. Das cem pirâmides conhecidas no Egito, a maior (e mais famosa) é a de Quéops, única das sete maravilhas antigas que resiste ao tempo. Datada de 2 550 a.C., ela foi a cereja do bolo de uma geração de faraós com aspirações arquitetônicas. Khufu (ou Quéops, seu nome em grego), que encomendou a grande pirâmide, era filho de Snefru, que já tinha feito sua piramidezinha. O conhecimento passou de geração em geração, e Quéfren, filho de Quéops, e Miquerinos, o neto, completaram o trio das pirâmides de Gizé. Para botar de pé os monumentos, que nada mais eram que tumbas luxuosas para os faraós, estima-se que 30 mil egípcios trabalharam durante 20 anos. "Esses trabalhadores eram trocados a cada três meses. A maioria trabalhava no corte e transporte dos blocos", diz Antonio Brancaglion Jr., egiptólogo do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Além do pessoal que pegava pesado, havia arquitetos, médicos, padeiros e cervejeiros. Tudo indica que esses caras eram livres (e não escravos), pagos com cerveja e alimentos. Mas há controvérsias. Alguns apostam em 100 mil trabalhadores, além de teses que atribuem a obra a ETs!
como-foram-erguidas-as-piramides-do-egito

Cientistas desvendam como egípcios transportavam pedras gigantes -- e não tem nada de alienígena

Imagem mostra estátua sendo regada: o segredo era só molhar areia (Reprodução)Imagem mostra estátua sendo regada: o segredo era só molhar areia (Reprodução)

O modo como os egípcios carregavam pedras gigantescas pelo deserto para construir pirâmides sempre foi um mistério para cientistas. Não é mais. E a técnica usada por eles, apontam especialistas, era a mais simples possível: eles jogavam água na areia.

Pesquisa liderada pela Universidade de Amsterdã, na Holanda, mostra que umedecer a areia diminui a tração pela metade. Assim sendo, os egípcios podiam usar metade do contingente de homens necessários para mover os blocos apenas com essa técnica.

“A saturação de água é acompanhada por uma diminuição da rigidez. Com muita água, o atrito de deslizamento aumenta novamente, o que nos faz detectar que se trata de um equilíbrio delicado. Há uma rigidez ideal da areia que os egípcios souberam calcular em sua época”, explica Daniel Bonn, cientista que conduziu o estudo.

O que mais impressionou Bonn, no entanto, foi o tempo que cientistas atuais demoraram para descobrir isso. Afinal, segundo ele, a resposta estava “na cara de todos”. Isso porque ilustrações encontradas, por exemplo, na tumba de Djehutihotep mostram homens jogando líquidos em frente a estátuas. Esse sinal, por exemplo, sempre foi encarado como “ritual de purificação”, nunca como forma de locomoção.
Pedra sobre pedraCerca de 2,3 milhões de blocos ajudaram a botar de pé a pirâmide de Quéops
As pedras foram o começo de tudo - cada bloco pesava em média 2,5 toneladas, mas isso variava: o tamanho diminuía de acordo com a altura, e em lugares específicos, como a câmara do rei, havia pedras gigantes, estimadas em até 80 toneladas. Depois de cortados nas pedreiras, os blocos eram lixados e catalogados: escrevia-se o nome do faraó e o do grupo de trabalhadores responsáveis. No total, 2,3 milhões de blocos teriam sido usados na construção da pirâmide de Queóps
É PEDREIRA!
Para erguer as pirâmides, o terreno foi aplainado. Além de deixar a terra pronta para o trabalho, o processo rendeu uma fonte natural de matéria-prima: o platô era rico em rochas calcárias, um tipo de pedra mais mole, extraída com ferramentas de cobre. Rochas de calcário mais fino, usadas para dar brilho à pirâmide, vinham da região próxima de Tura
VOU DE BARCO
O faraó escolheu granito para decorar a câmara do rei, onde ele foi sepultado. Como a pedra não era encontrada na região, os blocos vinham de até 800 quilômetros de distância, da pedreira de Assuã, em barcos pelo rio Nilo. Os pesadíssimos blocos, alguns com até 80 toneladas, também revestiam as câmaras e os corredores internos
BASE CONCRETA
Para alguns pesquisadores, a análise da taxa de minerais presentes em partes dos blocos da pirâmide mostra que pode ter sido usado um tipo de concreto primitivo tanto na parte externa quanto na interna. Se a teoria for verdade, essa terá sido a primeira aplicação de concreto de que se tem notícia - antes disso, os pioneiros eram os romanos
Rock'n'rollTeorias explicam como os egípcios rolaram as pedras
A proeza de transportar os blocos gigantes é tão complexa que até hoje não existe consenso. Isso pode ter sido feito com cordas; com uma espécie de trenó de troncos de madeira cilíndricos, sobre os quais as pedras deslizavam; ou com a ajuda de tafla, um tipo de barro que, molhado, fica escorregadio e ajuda a deslizar os blocos. Depois de assentados, os blocos eram cortados em um ângulo de 51º, o que deixava a face da pirâmide lisa
SUBINDO A LADEIRA
O que é - Uma rampa feita de terra e cascalho, com escoras nas laterais
Pontos positivos - Como ocuparia apenas uma das faces, esta rampa deixaria as laterais da pirâmide livre - assim, seria mais fácil checar se a obra estava "torta"
Pontos negativos - Para que a rampa alcançasse a altura total, teria que ser muuuito longa, e o trabalho teria que ser interrompido toda vez que fosse necessário espichá-la
ZIGUEZAGUE
O que é - Rampa única em ziguezague construída em torno da pirâmide. É a teoria mais popular atualmente
Pontos positivos - A rampa teria uma inclinação constante, ao contrário da rampa única
Pontos negativos - A rampa tampa a visão da totalidade da obra. Assim, haveria o risco de, ao desmanchar a rampa, perceber que as faces da pirâmide estavam tortas
DEBAIXO DOS CARACÓIS
O que é - Até os 43 metros de altura, usa-se a rampa externa. A partir daí, seria usada uma rampa interna em espiral, recuada a 15 metros da face externa. No fim de cada andar, uma aresta permite que as pedras girem 90º
Pontos positivos - Reaproveitaria o material da rampa externa para o resto da construção. Um sistema de contrapeso carregaria as pedras maiores
Pontos negativos - Como a linha não é reta, a rampa aumentaria a distância pela qual os blocos teriam que ser arrastados
PAU NA MÁQUINA
O que é - Várias teorias sugerem que máquinas eram usadas para subir os blocos pirâmide acima. Essas máquinas poderiam ser guindastes, alavancas ou sistema de gangorras, com um cesto de areia de um lado e o bloco de outro
Pontos positivos - As máquinas dariam alívio à dureza do trabalho braçal
Pontos negativos - Faltaria espaço para manobrar, e as máquinas não dariam conta dos blocos maiores
TAMANHO É DOCUMENTO
Comparada com prédios e campos de futebol, a pirâmide sai ganhando
ALTURA - 147 metros
Equivale a - Prédio de 49 andares - o Copan, por exemplo, tem 140 metros
PESO DE 1 BLOCO - 2,5 toneladas
Equivale a - 3 Fuscas de 800 quilos
PESO TOTAL - 6,5 milhões de toneladas
Equivale a - 11,5 navios de carga carregados
ÁREA - 13 acres (52 598 m2)
Equivale a - 6 campos de futebol

Floyd Mayweather venceu o “combate do século” de boxe

PÚBLICO

03/05/2015 - 08:39


Pugilista norte-americano bateu o filipino Manny Pacquiao.


Las Vegas


Era o “combate do século” e o norte-americano Floyd Mayweather venceu-o, batendo no ringue de boxe o filipino Manny Pacquiao. Os dois pugilistas defrontaram-se na noite de sábado em Las Vegas, EUA, madrugada de domingo em Portugal, num combate onde Mayweather, de 38 anos, apareceu a frustrar a ofensiva do adversário.



Depois da vitória, Mayweather anunciou em conferência de imprensa que vai deixar de combater por títulos, para “dar oportunidade a outros pugilistas”. A ideia é terminar a carreira com um combate que deverá acontecer em Setembro.



Nas Filipinas, o duelo foi acompanhado com fervor – e a derrota de Pacquiao recebida com lamento. E em Las Vegas Pacquiao assumiu a derrota. “Tive um problema no ombro direito durante a minha preparação, há cerca de três semanas” que obrigou a reduzir a intensidade dos treinos, referiu. “Esta lesão limitou-me a partir do terceiro round, não pude utilizar a minha direita como queria”, justificou o filipino.

O juiz de ringue Dave Moretti classificou o combate em 118-110, favorável a Mayweather. E os juízes Glenn Feldman e Bert Clements foram unânimes em dar a vitória ao norte-americano, marcando o combate em 116-112. Mayweather venceu cinco títulos mundiais em várias categorias de peso

Manny Pacquiao, por seu lado, considerou que fora ele quem tinha vencido, argumentando com o facto de Mayweather “não ter feito nada”. Segundo a BBC, quando Pacquiao entrou no ringue ao som de uma música escolhida especialmente para o evento, teve uma recepção arrebatadora, ao contrário do que aconteceu com Mayweather, que acabaria por se sagrar vencedor.

Antes de o ser, este já era apelidado de o “combate do século” do boxe. Para que fosse conseguido um acordo para que os dois pugilistas se defrontassem, foram precisos cinco anos de negociações, que resultaram num negócio onde as receitas deverão rondar os 350 milhões de euros. Mayweather deverá receber 120 milhões de dólares (107 milhões de euros) e Pacquiao 80 milhões (71 milhões de euros), podendo ainda ganhar mais, em função das receitas conseguidas com as subscrições para assistir ao jogo na televisão.

Os bilhetes para ver o combate no MGM Grand Garden Arena custavam entre 3640 e 22.750 dólares (entre 3245 e 20.285 euros). Num combate considerado o mais caro de sempre na história do boxe, e onde na plateia estavam várias celebridades, coube a Jamie Foxx cantar o hino nacional antes de começar o duelo. A assistir estiveram, entre outros, Clint Eastwood, Robert De Niro, Mark Wahlberg, Denzel Washington, Michael Jordan, Tom Brady ou Donald Trump.

Sobre a cobertura televisiva das sessoes da Assembleia da Republica: entre a censura a falta de transparência



2 hrs · Edited · 



Sobre a cobertura televisiva das sessoes da Assembleia da Republica: entre a censura a falta de transparência
Ja posso dizer seguramente que o Governo e a Assembleia da Republica impediram que as estações de televisão cobrissem em directo o monologo de quinta feira, dia em que a maioria da Frelimo rejeitou liminarmente o projecto de lei sobre autarquias provincias, preparado pela Renamo. Tratava-se de uma sessão muito aguardada pela sociedade. TVM, Miramar, STV, TIM, que habitualmente fazem directos a partir da AR foram silenciadas.


A rejeicao do projecto de lei, se transmitida em directo, podia suscitar reacções inimagináveis no seio dos eleitores da Renamo. Exibiria tambem, ao vivo, uma vergonha do tamanho do mundo. Foi um golpe contra o acesso a informacao, um principio de ouro em democracias decentes. E que devia ser regra e não excepção na casa do povo. Acabo de saber tambem que a AR esta a mudar as normas de cobertura televisiva das suas sessões: as tvs já não podem entrar na sala com suas camaras. No caso daquela sessao, as imagens foram colhidas por uma empresa privada, de nome Papaya, de capitais estrangeiros. Foi ela que repassou as nossas estações tudo o depois foi visto em diferido.

Esta decisao foi tomada alegamente para terminar aquele corre-corre dos camara-man que, alega-se, perturbava as sessoes. Mas isso nao justifica a opcao tomada pela AR de dar o exclusivo da cobertura parlamentar a uma empresa privada de marketing e publicidade. O normal seria fazer o que se faz la fora: a AR montar a sua mini estacao de TV. Ou criaria condicoes para que as imagens captadas pela Papaya pudessem ser transmitidas em directo. Com seus orcamentos despesistas, a AR devia ter feito isso previamente. Por outro lado, minhas fontes asseguram que o negocio com a Papaya foi feito sem concurso publico e, mesmo la dentro da AR, poucos sabem quanto eh que essa empresa esta a encaixar. PS: Por ocasiao do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, que se assinala todos anos a 3 de Maio.



47 people like this.


Virgilio Munguambe Esse assunto de Gestão Privada de transmissões televisas é no minimo sinistra...


Kendo Mangulle Vergonha...!!!

Abel Pinto Chixssone Brevemente estaremos pior do que o periodo do guebuzismo. Isso ainda é o começo.
2 · 2 hrs

Savio Mathe Grande vergonha, esses gajos estão a exagerar
1 · 2 hrs

Rafael Ricardo Dias Machalela Eu já tinha dito. É melhor ficarmos sem a Assembleia da república. Não nos serve e jamais serviu-nos em 20 anos de multipartidarismo nunca percebi a sua serventia. Oficializemos o CICJC que... pelo menos será menos oneroso.
10 · 2 hrs

Faizal Castigo Caro Mosse, a Rádio pública transmitiu em directo a sessão da reprovação do projecto das AP. Sobre a Papaya, exigimos a quem de direito, a realização de sindicância às contas da AR.
2 · 2 hrs

Marcelo Mosse Faizal Castigo tem razao. A RM transmitiu em directo. Meu texto versa sobre cobertura televisiva e nao sobre cobertura radiofonica.
2 · 1 hr

Joaquim da Costa Simplesmente vergonhoso. JC

Anselmo Titos Cachuada À semelhança do caso "casarão" levantado por Luis Nhachote, é de esperar que a Presidente da AR responda esta postagem que, para mim, é de maior interesse que o anteriormente mencionado.
1 · 2 hrs

Elvino Dias Afinal o que mudou neste mandato?
3 · 2 hrs

Celso Cossa Ciclo vicioso

Anselmo Titos Cachuada Desculpa, ando longe da capital e muita me escapam: CICJC é o quê, caro Rafael Ricardo Dias Machalela

PS: já que reafirmas - e subscrevo, ainda que nem todas as vezes - que "se perguntar não ofende"...kikikiki.

Nevito Uamusse Centro Internacional de Conferências Joaquim Chissano

Joaquim da Costa Centro de Conferências Joaquim Chissano ó Anselmo Titos Cachuada. JC
1 · 1 hr · Edited

Magacebe Majacunene São paliativos para esconder e evitar o que todos sabem e o que querem.As vezes fica se com a sensação que há uma descontinuidade entre o que se decide no nucleo governamental e o resto Grande do país.

Joao Luis Menete Para mim, isto é o combate das ideias e a continuação do vicio que somos sujeito, o do medo. Sou ensinados a não questionar, simplesmente aplaudir, nem que não tenhamos compaixão do que se aplaude. Valera algo a lei de acesso as fontes de informação aprovada recentemente pela AR?

Anselmo Titos Cachuada Ressalva: onde se lê " muita coisa me escapa" deve ler-se "muitas coisas me escapam".

PS: Há 1 ano que estou fora ca capital, Maputo e, nesse período , constatei um fenómeno: ando menos informado e sinto que o sentido filosofico do Estado e do Partido e suas presenças nos cidadãos se manifestam drasticamente na proporção inversa : quanto maior for a distância, o sentido do Estado reduz e aumenta o do Partido. Notem que uso "do" ao invés "de", propositadamente.
1 · 1 hr

Lito Junior O actual nomeado p in formacao k era comentador numa estacao televisiva o k diz sobre is so? Vejo em palestras nas escolas a dar licoes d jornalismo imaginarios mas o k acontece n pratica como este caso o k diz? Tanto se fala deste assunto pq nao se posiona Vieira Mario? .....porque n mostra agora os alunos como se faz perante um caso concerto? Lambe botismo so.......

Magacebe Majacunene A Rádio Mocambique transmitiu na totalidade a sessão da A REPÚBLICA . Terminou as 18 e 5.Entao o que valeu a Tv não transmitir? A radio tem uma maior cobertura do país e até chega onde só há capim.Ha mais cidadãos com receptores de rádio do que com receptores de televisão. Se foi para travar um ciclone Então é caso de estudo científico.
1 · 1 hr

Lourenco Jose O optimismo meu na discurso da tomada de posse começa a ficar por terra

Marcelo Mosse 1-Nenhuma estacao de TV protestou contra este novo formato. Estranho; 2- Falta saber se a Papaya faz alguma edicao das imagens que capta ou repassa em bruto as tvs;3-Devo clarificar que a Papaya nao cobra nenhum valor por essa repassagem: ela tem a obrigacao fornecer gratuitamente as imagens as tvs que o solicitem.

Adrian Magoo Coisas vergonhosas

Carlos Sérgio So sei dizer que o melhor argumento Juridico foi da bancada da RENAMO. e a proposta nao tem nada de inconstituicional.

Affonso Guerreiro O cúmulo da falta de vergonha na cara. E esse "black-out" que se deu mostra definitivamente como este país ainda é dirigido por infantis e desinformadores. Näo bastam as sessöes que a Tv/// transmite, onde os pseudo-jornalistas se desdobram em chorumes de interpretaçäo tendenciosa, manipuladora, defensiva que a todo o custo tentam alindar o que a FRELIMO e governo dizem na AR.
Essa gente...
2 · 1 hr

Julião João Cumbane Marcelo Mosse, concordo que muitas câmaras para captar imagens das sessões da AR podem estar a atrapalhar os trabalhos. Não concordo com a atribuição de "direitos exclusivos" de transmissão das sessões da AR à uma empresa privada. A AR tem que encontrar um mecanismo diferente, legal, de permitir que tudo o que se passa na AR seja do conhecimento do público moçambicano. A ser verdade o que reportas neste 'post', é uma violação muito grave das regras de funcionamento da AR. E agora? O que fazemos para que se reponha a legalidade? Denunciar apenas não basta! Que mais acções os cidadãos podem e deve empreender para a correcção desta irregularidade? Quem me pode responder?...

Caro Tomas Mario, estás a ser chamado aqui, para tomar nota e averiguar este assunto. O «novo ciclo de governação» tem que ser mesmo isso: UM NOVO CICLO! Para assim ser, todos nós somos chamados a sermos fiscais do trabalho das nossas instituições. Se não fizermos isso, então nós (os cidadãos) estaremos a ser cúmplices dos desmandos; estaremos a prestarmo-nos como parte do problema e não da solução. Lembremo-nos das reflexões sobre o «fenómeno da bicha», de Elisio Macamo.

Marcelo Mosse Um assunto para o mui respeitoso Tomas Mario. Espero que o Conselho Superior da Comunicacao Social se pronuncie.

Claudio Fernando Matusse Matusse Aqui sim caro Marcelo Mosse o Tomas V Mario tem que ajustar as calças e agir

Jose Eduardo Coisas e casos destes ja nem devem ser noticia por corresponder a situacao do "cao que morde o homem" sendo noticia "quando o homem morde o cao". A questao ja por alguem posta eh: e agora? Ir queixar onde? Fazer o queh?

Lucas Arnaldo Mazive Q vergonha,deixem a imprensa fazer o seu trabalho a vontade.

Mahamad Hanif Mussa Conselho Superior da Comunicação Social, sim. Chegou a hora, o momento!







BREAKING:
A TELEVISÃO DE MOÇAMBIQUE NAO ESTA A TRANSMITIR O DEBATE SOBRE O ANTEPROJETO DAS AUTARQUIAS PROVINCIAIS

So pode ser medo da reacção popular mas tudo aponta para a nao aprovação do anteprojeto. Neste momento o parlamento esta a debater o assunto.



218 people like this.


Felisberto Filomeno E faremos essas manifestaçôes em escala maior

Candido Blue RM esta a trasmitir....

Hilario Afonso Tomo Radio e televisao tudo eh do colono

Valerio Ussene Nao é verdade, eu estou a escutar desde as 9h. Um puro equivoco

Valerio Ussene "Se toda a gente exigisse paz em vez de mais uma televisão lá em casa, então existiria paz."

Unay Cambuma ja corrigi. recebi o Inbox directamente do parlamento

Luciano Bernardo Jose Qual cenário se espera caro Valerio Ussene já que tens acesso radiofônico

Benjamim Jose E dizem oke Mr Unay??

Raul Alfredo Nhagumbe A RM esta transmitir mas a TVM é um cumulo.

Daniel Seguro Na unay mante nox informado.

Unay Cambuma Inbox: " Frelimo vai chumbar o projecto Radio e televisão de moçambique não estão a transmitir debate" há 35 minutos · Enviada através do Messenger

Aniano Ani-face Zitha Tou a ver em directo o Chomera! E agora? Que fazer?

Daniel Seguro Våo ver eles se xumbar

Tales Mileto Guerra declarada...

Meque Vasco Zionjo Só fogo é k número um

Nando Mais ta dificil

Bartolomeu De Elisa Matresse Himm ja chegou a hora de dancar marrabenta no sul

Daniel Seguro Pessoal qual é a novidade??afonal d contas somos todos resistentes

Unay Cambuma Aniano Ani-face Zitha e Governo Autonomo comentaram isto. Governo Autonomo > Convergência Social Democrata Como é possivel a televisao que é custeada pelos impostos dos moçambicanos nao estar a transmitir aquele que é o ponto mais aguardado da presente secçao da AR o Ante-Projecto das Autarquias Provinciais? Ao invez disso transmitem coisas que nao dizem e muito menos significam algo aos moçambicanos Realmente o estado e orgaos publicos devem ser despartidarizad os. 54 min · Público

Luis Paulo Isaias Ja se preve que os ladroes e corruptos da frel nao vao aprovar

Mateus Francisco Navaia Só a RM-Antena Nacional é k está a transmitir o debate mas duvido que os Emissores Provinciais da RM estejam a transmitir, de facto a TVM não está a transmitir.

Cristone Finiasse Joanquinho Mas tem q transmitir

Ofece Deniasse Chania Chumbem o projecto pra podermos acabar com a Frelimo duma vez por toda!

Pedro Sozinho Sithole Sim mano Ofece Daniasse,quando matamos a cobra devemos cortar a cabeca.

Francisco Maingue Jose vamos ver passos subsequentes.

Charman Della Vedova O Lucas Chomera esta a apresentar o parecer sobre o projecto. A Frelimo esta a desvalorizar completamente a proposta, o MDM propõe uma solução politica imediata (nomeação de governadores) nas regiões onde a oposição ganhou, a Renamo esta a defender o projecto e aceita as contribuições para melhorarem o instrumento. Falta o parecer da bancada da Frelimo.

Benjamim Jose Isto sta mal..

Charman Della Vedova Agora vai o parecer da Frelimo.

Twobobo Alberto Mauride Cachimgue isso nao é tvm mais sim tvf,televisao dos corruptos da frelixo mais pago pelos cidadaos do centro e norte do pais,dividam logo esse merda o povo esta cançado dessa merda

Charman Della Vedova O Chomera esta a ser muito enérgico.

Charman Della Vedova Chumbou o anteprojecto.

Pedro de Sousa Vao chumbar, eu estou a acmpanhar

Charman Della Vedova Estão a ler o parecer da Frelimo completamente desfavorável, radical e de extremismo nacionalista, o discurso denuncia que vão chumbar o documento.

Tomas Humbe Hehehe isso vai dar buummmmm.

Ndhaneta Moz Essa TVF me ganha mesmo

Charman Della Vedova A bancada da frelimo recomenda a apreciação negativa do documento pela plenária porque o anteprojecto não tem mérito, inoportuno por ter vícios de forma e inconstitucionalidades e fere com o espírito unitário da Nação.

Charman Della Vedova Agora vai o parecer do grupo de Edson Macuacua.

Unay Cambuma Charman Della Vedova 
A bancada da frelimo recomenda a apreciação negativa do documento pela plenária porque o anteprojecto não tem mérito, inoportuno por ter vícios de forma e inconstituciona lidades e fere com o espírito unitário da Nação. Editado · Não gosto · 1 · Eliminar · Denunciar · há 4 minutos

Rogerio Antonio Ate quando a continuar com este tipo comportamento.... qual sera o argumento da TVM para nao transmitir, quando foi a vez do PES e PQG, estavam na AR em peso, eh caso pra dizer tanto Guebuza como Nhusy sao farinha do mesmo saco.....

Ilidio Jorge Samuel Cumbane Para mim este anteprojecto faz parte do desenvolvimento da nação, eu vejo pelo lado positivo. A nação ñ pode estar à mercê de um grupo de pessoas que se julga dono do país

John John Laquissone Ew fiquei a spera pra ver o debate max tive azar

Horacio Chissora Eu sabia que a Frelimo nao ia aprovar porque ate agora eles aposta na via militar,

Horacio Chissora depois da reprovacao o Dlkama tem prova dura de demostrar a populacao o que ele vale se tem de verdade capacidade de governar a forxa, caso continuar a procurar nhusi para conversar ja vai mostrar sua fraqueza

Armando Tomas Fernando Fernando Nao existe esperanca da provacao do progecto a frelimo recomenda reprovacao

Charman Della Vedova O parecer da 1a Comissao usou uma metodologia de analise profunda e consultas dos vários sectores Faculdade de Direito da UEM e Ministério da Economia e outras Instituições ao anteprojecto, parecer do Ministério da economia: sob ponto de vista económico o anteprojecto pode ser oneroso financeiramente para o Estado com um custo aproximadamente de 600 milhões de meticais, pode enfraquecer a receita estatal. Edson Macuacua.

Horacio Chissora Em suma ja esta reprovado se eles he que sao a maioria

Nando Mais xumbou ????????

Unay Cambuma Kkkkk um autêntica circo. Olha quem fala. Os fraudulentos esqueceram se da fraude. Ladrões que "ganharam" eleições sem editais a "defender" a lei. Kkkkk pais do mapiko mesmo.

Carlos Rebelo A STV noticias está a dar em Directo a 1. Secção Ordinária Parlamentar. 
As duas TVM's 1 e 2 não mostram. a 1 O noticiario a 2 um show Musical do Lionel Riched

Danylo Dos Nobres parem de reclamar e vejam o debate agora em direto na STV notícias.

Charman Della Vedova A Recomendacao da 3a Comissao eh de reprovarem o instrumento.

Benjamim Jose Chumbaram mesmo o Projecto??? Meu Deus!!! Agora e pra continuarmos a dormir nas matas???

Charman Della Vedova O parecer da 1a Comissão do Edson Macuacua esta sendo lido, ao que tudo indica será no mesmo diapasão.

Charman Della Vedova Agora Dlhakama virou pateta, Charles Chaplin.

Jorge Ferreira STV,não está dar.Estão a dar Notícias.

Susandro Samido Espravo Hehehehe, Muchanga nao perde uma, agora foi a vez do Macuacua

Bachir Sahage Herculano Bachir É d lamentar apolitica do mz...

Charman Della Vedova STV 2 esta a dar...nao aquele Canal Oficial de Jornal da Tarde, tem um outro canal que costuma a dar o Noite/Tarde Informativa

Jorge Ferreira não tenho esse.

Gonsalves Faustino Gonsalves Gonsalves Vao ter ferias sem salario se RANGS quiser

Felix Manjate coisas de vergonha

Charman Della Vedova O Muchanga esta a ter uma diarreia de desespero e não suporta o portugues apurado de Edson, por isso disse que não estavam ali numa sala de aulas. O Edson Macuacua esta a dar aula sobre conceito de descentralização.

Joäo Jone Moz para não seja como Angola, Oque podemos fazer para evitar o futuro idêntico d Angola ?

Gonsalves Faustino Gonsalves Gonsalves Eles acerta num ponto certo q tudo fica parado como fazem os transportes,ate aqui niguem coseguiu comer por falta de sinal pork seria hoje o dia de regosijo e jubelo alegria mas os tais tarados nem sequer deram nota A e nem B

Gonsalves Faustino Gonsalves Gonsalves Dexa esse labebota de edson vai vagar feruz,o gaju é comprado

Carlos Cardoso Espito de discordia 'e um perigo para a democracia !

Jose Manuel que tenhao muito juizo pois os destinos da frel estao na mesa

Tomas Humbe A frelimo xta fazr deproposito para ver ate que ponto a renamo vai governar a forca;pegar lume para ver si queimo isso pode virar pesadelo.

Alide Jose Alide Alide mocambique mocambique

Ishmael Da Lnes Lampiao Eu fico mais bonito quando estou la no mato do que na cidade. Vai ser a dança dos magules

Manuel Carlos Zacarias Até as redes sociais já começaram a falhar

Ronaldo Jane O Nyusi xta termer,os machanganas xtão d luto hje.O pai grande xta pra as coisas,Mais força pai Djakha tdo xta contigo .

Ronaldo Jane (Mudar)

Ossufo Selimane Ja sta ouvir mano cambuma esse filho de cao de Edson Macuacua a ofender os resistentes. O povo sta a espera de presidente mais votado em Moçambique. queremos nossas terras de norte e de centro.

Pedro Sozinho Sithole Mano Benjamim Jose,nao ha como temos k ir dormir nas matas mesmo.Por que o Zuma tambem ja nao quer ninguem na terra dele poderiamos fugir pra la. Mas dessa vez nao e para durar mais 16 anos por que os Rangers estao bem posicionado agora.Desta vez nao ...See More

Joseph Mateus Zebzono qual canal que esta transmitir?

Osvaldo Baptista Jeja stes enclinos da frelimo querem que o pior venha. eu confio na renamo, espero que este pais vai ao caus que eles precisam. para pensarem em novos acordos de paz.

Charman Della Vedova Para Edson Macuacua o projecto de autarquias provinciais ou de nivel superior tem um efeito centralizador ao em vez de descentralizador que seria no sentido inferior de autarquias distritais, localidades e povoacoes.

Fernando Pedro Nado morto.

Beto Mario Na minha cabeça só cabe... Paz....Paz...Paz...... Cambada de Mentirosos, Beleicistas, Ladroes Sera que teremos outro acordo entre Nyusi e Dhakama o terceiro?? não sei!!!..... Preparem-se Se a Frelimo ohh melhor se a tvm, mas tudo e Fretvm. Se a Fretvm não esta a transmitir a discussao do anti-projecto da Renamo advinhem o que vai acontecer!! acho que já sabem o que vai acontecer!!!! na minha cabeça só cabe paz....paz...paz e não vou me ajoelhar para pedir paz...paz...paz que tanto cabe na minha cabeça...... A população que se dane, eu Frenyusi estava brincar quando disse que na minha cabeça só cabia paz...paz...paz, eu queria dizer: Guerra....Guerra.....Guerra e mais.....Guerra a luta continua....

Feliciano Alberto Jairoce Exe vai ser o pior do k ja passaram daqui.mas n disse

Pedro Manhique Kkkk e a Renamo so confia nas armas e sempre mesmo usando a força nunca consiguiu nada....desistam perdedores

Vitor Constantino Ai chumbaram..então a única alternativa e atacar o Sul ..cortar estradas...essa gente da Frelimo andou a protelar ..portanto para mim querem é Guerra. Mas eles devem ter algo na manga ...são traiçoeiros ..há que estar atento . Viva a Renamo !!!

Manuel Carlos Zacarias Não vai fazer diferença, transmitam ou não, o povo sempre vai saber e hão-de ter que aturar o vendaval que vem aí, um tsunami a moda moçambicana. Não digam que não avisei!

Nando Mais isso vai xerar

Cupido Rodrigues Esta ser transmido na STV internacional

Adelino Barros Estamos em prontidao combativa!

Prince Abraham Å revolucao é irrevercivel. Desta vez megafraude eleitoral nao passara impune. Quem e macuacua?!

Gaspar Muassava Eu não assisto TVM! devido a não coerência em transmitir as informações.

Gift Júlio Bissane Eles querem tempestade k aguardem por k o povo e a renamo nao vao ficar de braços cruzados.

Candido Blue son of bitch desse esse Edson Macuacua

Samuel Tembo RM esta a transmitir

Surate Atibo Murrateia Murrateia Deixam nao aprovarem Viram oq vai acontecer

Prince Abraham Quanto å mim ai esta ja tenho å minha arma. E em standy by da voz de comando do marechal

Nelson Ernesto Machona Essa televisao existe?

Charman Della Vedova A primeira 1a Comissão dos Assuntos Constitucionais da Frelimo recomenda a uma apreciação negativa do anteprojecto por inconstitucionalidade. Edson Macuacua sentencia a proposta da Renamo.

Candido Blue A assembleia esta a queimar tempo porquê!!? Something is going wrong here

Alex Lichuge A descentralização no Plano Quinquenal do Governo 2015_2019

Charman Della Vedova Não estão a queimar tempo, estão a recomendar a bancada da frelimo para chumbar o anteprojecto, o grupo da frelimo na comissão de trabalho estão a fundamental a reprovação do instrumento..

Unay Cambuma Quando e que acaba este circo?

Charman Della Vedova Fundamentacao do grupo da frelimo eh de que o projecto da Renamo esta viciado de inconstitucionalidades insanaveis.

Charman Della Vedova Agora saíram para o intervalo de 35 minutos.

Nelson Ernesto Machona Quando o conselho constitucional aprovou as tais eleicoes sem editais, nao violaram a tal constituicao da republica, nos poupem meus senhores.taneta

Candido Blue intervalo ate as 16h sinceramente

Jorge Ferreira Problema foi o P.R.,acordar uma coisa e,depois andar a dizer outra.

Alex Lichuge Para alguns parece que até o espírito do projecto é inconstitucional.

Sergio Luis Cuna viva renamo o povo xta consigo. chega de lambibotas. so kerem ter barigas grandes sozinhos

Maria Dulce Antonio Por isso n tem audiência

Charman Della Vedova Estão a queimar tempo para fingir estarem a debater, mas o parecer dos grupos de trabalho da frelimo nas comissões de trabalho foi muito claro e severo no sentido de chumbarem o anteprojecto. O tom de Edson Macuacua foi muito radical, deixando claro que não se negoceia nada com ninguém e não se pode violar a Constituição.

Samsone Mavie Calma ai mano, deixa a AR fazer o que lhe compete!

Antonio Pescoso mas si o assunto fosse de aprovaçao de planos que fascilite o desvio de fundos dariam em direto ate na miramar,

Jorge Ferreira Normalmente,os políticos quadrados,agem assim.Tiros nos próprios pés.Nem sequer procuraram um meio de conseguir uma Paz duradoura.Apenas deram o mote para a rejeição,nem sequer a possibilidade de arranjos.Tem a palavra o senhor,P.R.,o qual fez um acordo de "boa vizinhança",com Dlhk.

Meck Jose Mas a constituição não foi violada aliás foi violada sim quando o então presidente da república proferio as seguintes palavras. ARRANCAMOS A VITÓRIA PRA MOSTRAR QUE A FRELIMO E FORTE ARRANCAMOS A VITÓRIA PRA MANTER A TRADIÇÃO. Essas palavras já ferem a constituição porque ninguém pode arrancar uk outro conquistou por mérito e sacrifício. Mas em todu caso a frelimo tem que aguentar com as consequências

Valerio Ussene Ja escrevi aqui no Fb alertando para que nao alimentassem de falsas esperanças....pois estava claro que um acordo nao escrito equivale a zero (dança entre um cego e um esclarecido....). Hoje o que resta é animarem-se pelo simples facto de o ante projecto ter sido debatido em plena Assembleia da Republica. Pois nao foi liminarmente rejeitado tal como foi com a pretencao de Governo de gestao....! Geraram muito trabalho para vos mesmos, porque precisam de fabricar estrategias de como vao virar-se para arranjar desculpas das promessas de Governos de provincias autarquicas....autonomas...etc. Os prometidos, estes, vao querer e exigir explicacao aplausivel...bata quente.....

Gulla Nielsen Mas senor Dhklama queremos nenhuma paz, ele não vai , entender que ele é agora o líder de um partido político . Ele quer poder e dinheiro , e tentar ameaçar a esse.

Nando Mais ja laa vem

Valerio Ussene Esperar que o Ante projecto seja/fosse aprovado, seria o mesmo que esperar que um limoeiro de/desse mangas em lugar de limoes....!

Charman Della Vedova Agora vamos a argumentação das bancadas e votação.

Mariano Muteque Gosto dos seus comentarios

Nito Americano atensao renamo! Se por ventura o ante-project for chumbado ist pod ditar o fim precoce da renamo hoje quem xta como legislador nas 6 provincia he a renamo mas quem governa nos municipios he o MDM ist reflet q o MDM gosa d muitas vantagens bast uma esc...See More

Aiubasaide Aiubasaide Gosto e quero ouvir resuldados posetivo.

Mateus Francisco Navaia Nito Americano, o projecto foi chumbado na era do PR AEG mas me cheira chegar até ao artigo 73 da Carta das Nações Unidas!

Nito Americano he emediato um banho d ''agua fria''? axo q xamaria alguma responsablidad ao governat pra resolver um problema q eles sabem q nao he problema... bem fria e gelada era a rexpoxt da pergunt...

Aziza Throne a quererem roubar votos nas comissões kkkkkkkk

Charman Della Vedova Alcinda de Abreu detonou o anteprojecto e foi radical ao sentenciar sobre a inconstitucionalidade do mesmo. Foi muito dura e longamente aplaudida, abraçada e beijada pelos seus pares depois da sua argumentação.

Charman Della Vedova O deputado da Renamo que tomou da palavra nao sabe argumentar, eh mais bajulador ao Dlhakama e deixou de promover os pontos fortes da proposta. Disse apenas que o povo esta a espera da decisão. Estou a relatar o que esta a acontecer mano, sem aumentar nada. Foi o deputado Loli que falou.

Charman Della Vedova O Venancio Mondlane propõe a nomeação imediata dos governadores da oposição nas provinciais onde a oposição teve maior numero de votos e a médio prazo a criação de um pacto tripartidario para se rever a Constituição no sentido dos Governadores provinciais passarem a ser eleitos.

Charman Della Vedova Um outro deputado da Frelimo sentencia o projecto, diz que nao tem pes para andar. Foi o deputado Mateus Kantupha.

Charman Della Vedova O Namburete tem argumentos e foi muito apelativo, pede aos deputados a aprovacao do projecto, diz que entre mudar a vontade do povo ou as leis, vale mais mudar as eles para se ajustarem aos interesses do povo.

Charman Della Vedova O Muchanga insultou o Mateus Katupha

Charman Della Vedova O Antonio Muchanga, diz que Frelimo nao tem vontade politica de aprovar o instrumento da Renamo, nao recusa o projecto devido as inconstitucionalidades, o Muchanga diz que se mudarem a vontade do povo Nyusi vai pagar uma factura muito cara. Garante que aquelas multidões que seguem Dlhakama vão chegar em Maputo.

Charman Della Vedova O Campira defende que as Autarquias provinciais não vão esvaziar o poder das autarquias distritais.

Xavier Antonio Caros compratiotas, quem pensa que o projecto será aprovado pacificamente não vive em Moçambique e não conhece a história do nosso país. Pacificamente não será aprovado, creio que o próprio líder da Renamo sabe.

Abel Charamba so chinguere

Valerio Ussene Concordo consigo Xavier. Eu bem disse num post anterior que: Esperar que a bancada maioritária aprove esta proposta de lei, é o mesmo que esperar que um limoeiro de mangas. Quem conhece um limoeiro so pode esperar desa fruteira lomoes. Do contrario, so pode se perceber que esta pessoa nao conhece limoeiro.

Unay Cambuma Acalmem se, se chumbarem e uma "má boa notícia".

Vassili Vassiliev Vamos lá falar sr. deputados da AR e comentadores do Facebook!

“...Tenho lido com bastante interesse os argumentos dos que se opõem ao projecto de Autarquias Provinciais depositado pela RENAMO na AR, sobretudo aqueles que tentam logo à partida, desmontar a intenção política num inerente tecnicismo jurídico redutor. Eis uma singela contribuição em torno do assunto.

Em primeiro lugar, creio ser apropriado que se analise os argumentos de base da RENAMO face ao plasmado nos artigos 8 e 271 da Constituição. Com efeito, o legislador define no art. 8 que “...a República de Moçambique é um Estado unitário, que respeita na sua organização os princípios da autonomia das autarquias locais...”. De igual modo, o legislador esclarece no art. 271 que o poder local “tem como objectivos organizar a participação dos cidadãos na solução dos problemas próprios da sua comunidade e promover o desenvolvimento local, o aprofundamento e a consolidação da democracia, no quadro da unidade do Estado Moçambicano...” e ainda diz no art. 272 que “...o Poder Local compreende a existência de autarquias locais...”.
Ou seja, aparentemente, se não houvesse classificação explícita de autarquia local, como referido no art. 273, não restaria qualquer dúvida, fosse do ponto de vista jurídico ou semântico, que este poder estaria apenas confinado ao contexto de vilas e cidades. No entanto, não foi assim que o legislador se norteou.
Senão vejamos, no art. 273 da Constituição, está explícito nos seus números 1, 2 e 3 que as autarquias locais tanto se aplicam a municípios, como a povoações. E mais, esclarece-se a diferença entre ambos, colocando os municípios a corresponderem à circunscrição territorial das cidades e vilas e as povoações à circunscrição territorial da sede dos postos administrativos. Mas a nossa realidade ainda não reflecte isso.
Porque existem, desde 2013, 53 municípios em Moçambique, dos quais 33 foram criados em 1998, marcando o início de um processo de descentralização que deve levar ao estabelecimento progressivo de mais autarquias locais. Em 2 de Abril de 2008, o governo moçambicano anunciou a criação de mais 10 municípios, um por província, e o mesmo processo se repetiu em 15 de Maio de 2013. Os municípios são as capitais provinciais (10), a cidade capital, também com estatuto provincial (Maputo), todas as outras cidades (12) e três vilas em cada província (30).

Em momento algum, povoações puderam de acordo com a Constituição constituir-se em autarquias locais. E porquê?

Porque, em termos administrativos, Moçambique está dividido em províncias e estas em distritos, que por sua vez se dividem em postos administrativos e estes em localidades, o nível mais baixo de representação do Estado Central. Ou seja, está explícito que povoação a ser elevada à autarquia local sê-lo-á de acordo com o número 4 do art. 273 que enuncia que “…a lei pode estabelecer outras categorias autárquicas superiores ou inferiores à circunscrição territorial do município ou da povoação...". Portanto, pode-se afirmar que a pretensão da RENAMO tem respaldo se o caminho seguido for pela povoação e não pelo município, pois que, sendo povoação a unidade atómica da nossa administração Estatal, então não há porque cercear juridicamente a possibilidade da AR estabelecer outras categorias autárquicas superiores, se esta for a vontade expressa das populações.
Em segundo lugar, é preciso compreender que o legislador estabeleceu uma espécie de "tutela bitolada", para se ir calibrandoa Lei consoante as circunstâncias no terreno se mostrem politicamente adversas ao legislador. E isso percebe-se claramente no art. 277, onde se impõe nos números 1,2 e 3 ferrolhos que amarram o poder local à tutela administrativa do Estado. Ou seja, pode-se hoje elaborar que para isso contribuiu o pavor da destruição do sacrossanto princípio frelimista da “Unidade Nacional” hoje simbolicamente trazida por uma “Chama da Nação”.
E no fundo é aqui onde reside o fulcro da questão que opõe a RENAMO e a FRELIMO, desde sempre, que é a partilha dos recursos de poder. Pois afinal, o que é que a RENAMO pretende com esta propositura à AR?
Essencialmente duas coisas. Primeiro, estender o conceito de poder local a uma área administrativa e geográfica maior apoiado no art. 273 e legitimado nas projecções do último mapa eleitoral, fazendo jus ao art. 272. Ainda assim, se dúvidas houvessem, o legislador teria poderes para agendar um referendo nas províncias em causa, para se saber se as populações desejam ou não maior autonomia do que a que actualmente possuem. O segundo aspecto levantado pela RENAMO é aumentar a "bitola" da tutela central, por outras palavras, levar à revisão pontual do art. 277 da Constituição, para viabilizar o número 4 do art. 273....” In “Livre Pensador Moçambicano”

Que venha aqui UM JURISTA que acha que o assunto não tem pés para andar me explicar porquê!!!!

P.S. Unay mande este recado à BANCADA DA RENAMO.

Unay Cambuma Vassili ja mandei isso ha muito tempo.

Vassili Vassiliev Entao nao estou a perceber qual e o problema deles nao dizerem isso com todos os "efes" e "erres"...E tao obvio como o ceu ser azul!

Jose Manuel Jose Manuel Voc t muito fudido por isso goxto d voc.

Jorge Ferreira Reprovado O Projecto.Agora.

Valerio Ussene Aqueles que sempre exigem provas ao Unay quando este da informacoes, porque é que hoje nao lhe exigiram provas quando anunciou muito cedo sobre a repovacao do anteprojecto? Mas o ser umano africano pa...moçambicano paaaa!

Arlindo Chissale Os votos tem que ter sentidos. O voto municipal tem o sentido duplo (um para o presidente e o outro para os Membros). 

O voto "nacional" também tem que ter dois sentidos, o de escolha de um presidente e de deputados. 

O voto provincial e que está em causa: os deputados da AR estão até então a "averiguar" se devem ou não ter também e tal como os outros votos, dois sentidos. Alguns dizem que sim e outros resistem instrumentalizados de que NHENTE! Ao final das contas, se eu também preferir OU TUDO, OU NADA? 

Se eu fosse semente da Frelimo que faz (e não daqueles que fizeram) e posicionado aí onde se fritam leis ou decretos, decidira uma das duas: TOMA EFEITOS IMEDIATOS ou TOMA EFEITOS A PARTIR DA PRÓXIMA LEGISLATURA. E acabou.

Feliz dia dos trabalhadores!

Mwambanso Fisi Mulipire como isso ta andar Sr Unay Cambuma?

Alberto Mario Nhangua Ja chumbaram

Junior Rafael Rafael Nao é justo o que fizeram.

Regalado Onofre Cuidado, com as vossas florestas, e Savanas, meus compatriotas Centrinhas e Nortenhas.Defendem as vossas riquezas, que futuro vos beneficiam.

Moisés Checunisse isso cheira beef pobre.

Joaquim Fortunato Jorge O Cistac foi morto para calar a vaz da maroria , . Mas o povo esta atento , no meu caso perferia voltar na tropa dessa vez conbater contra a frelixo , esperando que um dia o macuacua e nyusi ajoelhe ao kota dhlakama .

Rafael André Unay Cambuma A Renamo te q fazer valer o voto q o povo confiou nela...Tudo mundo ate o propio Nhussi sabem q o povo votou na Renamo e no Djakama... N abuzem a vontade do povo.

Joaquim Pedro Simango Futuro incerto do moz

Mnj Moçambicana Não existe revolução sem sangue, Como Afonso Dhlakama disse,agora o povo tem maturidade intelectual e politica sabe quem esta a seu favor, Nos autorizamos a Renamo a usar todos os meios possíveis para nos libertar dos colonos negros.Vamos a Guerra cota Dhakama o povo esta contigo e a vitoria é certa.

Joaquim Fortunato Jorge A bancada da frelixo reprou a vontade do povo depois de ter morto o cistac

Eugénio Soares Mandlate Como senpre o capim vai sofrer.


Badjai Namdhasse é tanta burrice da rnm e seu lider k ate ja nem tenho sakos pra encher. politikamente a rnm e seu lider tem sido zero a eskerda. o encntro nakele hotel mais nao serviu se nao pra os intereses da frel e nyuss(deputados da rnm no parlamento é tdo k nyus e frel keriam e cnsguiram sem esforco nenhum). e dhlakama politikamnte ganhou oque? nada se nao somente aldrabices. e nao lhe resta mais nada se nao asistir o seu desaparecimento lento arquitetado pla frel mas ajudado por si. hj akeles deputados da rnm mai

Badjai Namdhasse mais se pareciam cm meninos da 3a class k nem a tabuada dominam. nao cnsguiram me cnvencer k sabem esgrimir argumentos juridico-politicos a altura do k o projecto exigia. por isso alguns dputados da frel partiram para a ridicularizacao do projecto. hj nem o proeminente muchanga me cnvenceu k tinha se preparado tanto juridikamente knto politikament p defender seu projecto. valeu o esforco do manteiga e um pouco do namburete k emprestaram alguma sobriedade as hostes da renamo. afinal ao longo de tdo este te

Badjai Namdhasse ao longo de tdo este tempo k passou os deputados da rnm faziam oque? receber sal chorudo, comer e dormir? so isso? nao faziam nenhum tpc individualmente para defendr o projecto cm nós faziamx cm os nossos trbalhos na faculdade em sede de seminario? bom oque esta feito esta feito na verdade a factura saira bem alta pra renamo e seu lider. akele povo do c/norte vai cntinuar a sujeitar se aos ditames da frel. nao tem otro jeito nao. a menx k a rnm dispondo d kapacidade ative a ala militar pra cntrariar o an

Badjai Namdhasse para contrariar o rumo dos acntecimentos. oque me remete a mtas reservas k o possa fzr.



Francelino Melo Canetane Unay o projecto ja foi reprovado,qual é a ultima?

Unay Cambuma guerra

Gilberto Jonathan Chirindza Nada está perdido, mas sim iniciado e tudo indica k estamos preparados

Badjai Namdhasse ha kapacidade militar pra isso? homens e meios? olha unay cambuma hoje as insurreicoes nos Paises Arabes mostraram nos k so valem as feitas nas cidadx e nao no mato. pois estas colokam o Pais instavel mesmo agora as do mato levam tempo e matam mt mílitarx mas sem se atingir o objectivo. a renamo nao tem a kapacidade de levar a kabo tal acçao.

Cleyton Chico Senzia eu sabia que a halla politica da frelimo ia chumbar o anti projecto de lei da renamo e nao demorou que o boca fritada chumbase o edson macucua que tem mesmo macucua na boca! cambuma sendo eu um fiel seguidor da renamo poco atirar a toalha ao chao?

Dauda Muquissirima Dauda Agora em moçambique nao a paz nem demogracia

Badjai Namdhasse reparem k ate foi mto inteligente o mdm votar a favor do projecto, mostrou ao mundo k a reorganizacao politiko administrativa nao é apenas do interesse da renamo mas de tdos.

Windows Live Messenger + Facebook