ACTUALIDADE

Loading...

terça-feira, 30 de junho de 2015

Código Penal moçambicano que substitui texto colonial entra em vigor na quarta-feira


O novo Código Penal de Moçambique, que revoga um texto de 1886, entra em vigor na próxima quarta-feira, disse à Lusa o porta-voz do Tribunal Supremo, esclarecendo dúvidas sobre a data do início da aplicação da legislação.
"O 'vacatio legis' [período entre a publicação da lei e entrada em vigor] termina a 30 deste mês e o novo Código Penal começa a ser aplicado a partir de dia 01 de julho", afirmou à Lusa Pedro Nhatitima, adiantando que os tribunais já estão a ser informado sobre a data de implementação do documento, que inclui várias novas normas como a despenalização do aborto.
Além disso, segundo o porta-voz do Tribunal Supremo, estão a ser programadas ações de formação para aperfeiçoamento do conhecimento do novo código nas três principais regiões do país
Várias instituições contactadas hoje pela Lusa desconheciam ainda a data concreta da entrada em vigor do Código Penal, publicado no Boletim da República a 31 de dezembro do ano passado e com a indicação de que o texto se tornava válido 180 dias após a sua divulgação no jornal oficial.
Contactado pela Lusa, o próprio Ministério da Justiça não se comprometeu com nenhuma data, remetendo esclarecimentos para a Assembleia da República, que aprovou a lei no dia 28 de novembro de 2014, promulgada a 18 de dezembro pelo então Presidente da República, Armando Guebuza.
Na quarta-feira, deixa de estar em vigor um código datado de 1886, apesar de sucessivas modificações introduzidas ainda no período colonial e posteriormente com a independência de Moçambique, em 1975, e outras alterações impostas pelas revisões constitucionais de 1990 e 2004.
O novo texto tem sido elogiado por organizações internacionais, que destacam a despenalização do aborto até às primeiras doze semanas, e também a eliminação a uma referência vaga sobre "vícios contra a natureza", que podia ser usada contra minorias sexuais, embora, ao longo da vigência centenária do antigo código não haja registo de que isso alguma vez tenha acontecido.
Apesar de romper com um texto "obsoleto", como define a introdução da nova lei, o código que vai entrar em vigor foi alvo de controvérsia e chegou a ser vetado pelo antigo Presidente Armando Guebuza.
Além de críticas da então ministra da Justiça e atual conselheira do Presidente da República, Benvinda Levy, a procuradora-geral da República, Beatriz Buchili, apontou "defeitos, incongruências e contradições", sugerindo que o documento fosse revisto e enriquecido de acordo com uma conceção moderna de um código penal.
Guebuza foi sensível a estes argumentos e devolveu o texto ao parlamento, que acabou, no entanto, por ser reaprovado por maioria superior a dois terços, obrigando o então chefe de Estado a promulgar a lei.
Entre vários assuntos polémicos, o novo código estabelece uma pena para violações de crianças até aos 12 anos, quando a Carta dos Direitos Humanos prevê que são menores as pessoas com menos de dezoito, e exclui os casais do direito universal de privacidade em correspondência e emails.
Da lei do tempo colonial e que está perto de chegar ao fim acaba-se por exemplo com o perdão a um violador que aceitasse casar-se com a vítima.
PMA/HB // PJA
Lusa – 29.06.2015
Poderá também go

RENAMO NEGA PERTENÇA DAS ARMAS APREENDIDAS EM CHERINGOMA


A Renamo, maior partido da oposição em Moçambique, afirmou que o lote de as 46 armas do tipo AK47 apreendidas, semana passada, no distrito de Cheringoma, província central de Sofala, não são da sua pertença.
Nós não temos ninguém com essas armas. Sabem o que significa ter essas armas para Renamo? Nós não temos essas armas e esse cidadão precisa dizer o que pretendia com as armas e onde as encontrou, disse o hoje o Porta-voz da Renamo, António Muchanga, durante uma conferência de imprensa havida hoje na sua sede em Maputo.
A detenção do indivíduo ora sob custódia policial foi anunciada pelo Porta-voz do Comando Geral da Polícia moçambicana (PRM), Pedro Cossa, na semana passada, durante o habitual briefing semanal da corporação.
Cossa explicou, na ocasião, que o indivíduo teria afirmado que as armas pertenciam a Renamo e ele pretendia as vender ao preço de cinco mil meticais (cerca de 135 dólares americanos) cada, para qualquer interessado.
Contudo, Muchanga disse hoje que essa pessoa disse pretender vender as armas e as armas da Renamo não estão a venda, no termo da conferência de imprensa destinada a anunciar a realização, no dia 5 de Julho, da cerimónia nacional alusiva ao destacamento feminino da Renamo.
No distrito de Sussundenga na província de Manica. Portanto, no dia 5 de Julho estaremos lá para celebramos os 35 anos do destacamento feminino do partido Renamo, disse o porta-voz sobre a cerimónia que, em princípio será orientada pela ao mais alto nível da Renamo.
HT/le
AIM – 30.06.2015

segunda-feira, 29 de junho de 2015

PGR vinga-se de Lídia Amões



24 junho 2015 Tamanho da Fonte:A A




Washington - Nos últimos dois anos, a Procuradoria-Geral da República tem encetado uma verdadeira perseguição extra-judicial à empresária Lídia Amões, primogénita do falecido empresário e membro do Comité Central do MPLA Valentim Amões.

Fonte: Club-k.net

A última medida da PGR, liderada pelo general João Maria Moreira de Sousa, demonstra o zelo vingativo desta instituição e o seu total desrespeito pelas normas elementares de justiça. Comunicou à empresária, à 18 de Junho, que tinha autorização para ausentar-se do país, mas a 20 de Junho, num sábado, revogou a decisão sem comunicá-la. Ordens foram dadas para que a mesma fosse detida no aeroporto.



Por ofício nº 000593/15-DNIAP-Proc. N.º 86/2013, de 17 de Junho de 2015, dirigido ao Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), a directora nacional da Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), órgão especial da PGR, Júlia Lacerda Gonçalves, autorizou a empresária a ausentar-se do país por um periodo de trinta dias. A autorização foi-lhe entregue ao fim do dia 18 de Junho.



Segundo o despacho de Júlia Lacerda Gonçalves, a autorização servia para a empresária, actualmente em estado de gestação, realizar tratamento médico na África do Sul. A permissão serviria também para a empresária regularizar a partilha da herança dos bens imobiliários que o seu pai detinha na África do Sul e que actualmente se encontram em risco de serem confiscados pelas autoridades locais.



Segundo soube o Club-K, Lídia Amões deslocou-se ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, no domingo passado, a 21 de Junho, para viajar. Para seu espanto, foi imediatamente detida e o seu passaporte confiscado.



A chefe de turno do SME, Eva Rafael, explicou à detida que recebera ordens superiores para confiscar o passaporte e encaminhá-la ao Serviço de Investigação Criminal (SIC) para detenção. Chamados ao local, dois agentes do SIC solicitaram ao SME o competente mandato de captura para que pudessem realizar a detenção. Porque não havia nenhum mandato formal, contactaram os seus superiores, dos quais receberam instruções para não efectuar a detenção sem mandato.



Por sua vez, o SME recusou-se a emitir qualquer nota de apreensão de passaporte, alegando apenas o cumprimento de ordens superiores.



Na mesma hora, segundo apurou o Club-K, ficou patente que a mesma Júlia Lacerda Gonçalves, que autorizara a viagem, emitiu um segundo despacho de revogação da sua própria decisão, no sábado, 20 de Junho. A DNIAP funciona apenas de segunda à sexta-feira, até às 15h00 e, nesse dia, essa instituição tinha as suas portas encerradas.



Alegadamente, a ordem superior, segundo fontes da magistratura a este portal, partiu do próprio Procurador-Geral da República, João Maria de Sousa. No seu despacho de revogação, através do ofício nº000611/15-DNIAP-Proc. Nº 86/2013, Júlia Lacerda Gonçalves invocou apenas que a medida se deveu a “imperiosas razões de justiça”.



Segundo um advogado contactado por este portal, “a PGR especificou as razões que determinaram a sua autorização. Com a revogação utilizaram um argumento genérico, que é uma forma de não fundamentar a sua decisão e impedir que a visada possa recorrer para fazer valer os seus direitos”.



Mas qual é o interesse da Procuradoria-Geral sobre Lídia Amões?



Fontes da procuradoria revelaram a este portal que supostamente o PGR, João Maria de Sousa, sentiu-se incomodado com a recente notícia veiculada pelo Club-K, segundo a qual o órgão que dirige está empenhado em destruir o Grupo Valentim Amões. A PGR tem intentado várias acções judiciais contra Lídia Amões, então cabeça-de-casal da herança de Valentim Amões, falecido em 2008.



Os casos de instrução processual contra Lídia Amões duram há quase dois anos, quando o período legal são apenas de 90 dias. A PGR não tem conseguido acusá-la de ter cometido algum crime.



Na sequência desses processos, a PGR, ultrapassando o seu mandato, tem proibido a movimentação das contas de cerca de oito empresas operacionais do Grupo Valentim Amões, pelos seus gerentes, levando-as à falência. Outra medida engendrada pela PGR é a não promoção da partilha dos bens da herança pelos herdeiros, num processo que já corre há sete anos.

* Ngola Kiluanji 


Recomendad




Deixe o seu comentário...






Polvo Gigante • há 5 dias


Isto é um problema de TUBARÕES e os TUBARÕES que se entendam para o bem dos carapaus. O defunto Valentim Amões não deixou testamento escrito porquê? Este é o problema do pret@ africano, quando é rico pensa que nunca vai morrer, e nunca faz testatmento em vida. Outro problema é que começa a fazer filhos tipo Coelho ( não é o preso Passos Coelho lá na Tuga), até parece que quer ter uma manada de caprinos como filhos e depois quando morre os herdeiros andam as guerras e não sabem como partilhar a massa. O camone Bill Gates já tem o testatmento escrito e guardado. Quando ele morrer, no testatmento já esta escrito para onde vão os milhões dele.
Por outro lado, os TUBARÕES sabem que muita coisa que se diz que é do defunto Valentim Amões são bens que ele obteve de forma obscura e ilícita, logo os TUBARÕES criam uma guerra de desgaste com os herdeiros para no fim eles abocanharem o património e a massa. O que a Lídia tem que fazer é negociar com os TUBARÕES, porque neste momento ela é uma sardinha.

Partilhar › 













Sr inocente e vadio :Polvo Gigante

Valentim Amoes morreu num acidente de aviacao deliberadamente provocado a mando do Sr Paulo Kassoma na altura como governador do Huambo. Essa coisa de membro do COMITE CENTRAL DO MPLA e tudo de faixada. E essa morte foi encomendada pelo cidadao extrangeiro de origem santomense que governa os angolanos autoctones desde 1979, com o nome de Jose Eduardo dos Santos. Em troca colocou-no como primeiro ministro de Angola. Sendo este militar e nunca assimilado para quetoes diplomaticas foi afastado.

Portanto, normalmente a morte e imprevisivel com ou sem deixar testamento as pessoas estao sujeitas a morrer, embora em angola morre-se bastando que JES decida que assim o fassa

PGR vinga-se de Lídia Amões



24 junho 2015 Tamanho da Fonte:A A




Washington - Nos últimos dois anos, a Procuradoria-Geral da República tem encetado uma verdadeira perseguição extra-judicial à empresária Lídia Amões, primogénita do falecido empresário e membro do Comité Central do MPLA Valentim Amões.

Fonte: Club-k.net

A última medida da PGR, liderada pelo general João Maria Moreira de Sousa, demonstra o zelo vingativo desta instituição e o seu total desrespeito pelas normas elementares de justiça. Comunicou à empresária, à 18 de Junho, que tinha autorização para ausentar-se do país, mas a 20 de Junho, num sábado, revogou a decisão sem comunicá-la. Ordens foram dadas para que a mesma fosse detida no aeroporto.



Por ofício nº 000593/15-DNIAP-Proc. N.º 86/2013, de 17 de Junho de 2015, dirigido ao Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), a directora nacional da Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), órgão especial da PGR, Júlia Lacerda Gonçalves, autorizou a empresária a ausentar-se do país por um periodo de trinta dias. A autorização foi-lhe entregue ao fim do dia 18 de Junho.



Segundo o despacho de Júlia Lacerda Gonçalves, a autorização servia para a empresária, actualmente em estado de gestação, realizar tratamento médico na África do Sul. A permissão serviria também para a empresária regularizar a partilha da herança dos bens imobiliários que o seu pai detinha na África do Sul e que actualmente se encontram em risco de serem confiscados pelas autoridades locais.



Segundo soube o Club-K, Lídia Amões deslocou-se ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, no domingo passado, a 21 de Junho, para viajar. Para seu espanto, foi imediatamente detida e o seu passaporte confiscado.



A chefe de turno do SME, Eva Rafael, explicou à detida que recebera ordens superiores para confiscar o passaporte e encaminhá-la ao Serviço de Investigação Criminal (SIC) para detenção. Chamados ao local, dois agentes do SIC solicitaram ao SME o competente mandato de captura para que pudessem realizar a detenção. Porque não havia nenhum mandato formal, contactaram os seus superiores, dos quais receberam instruções para não efectuar a detenção sem mandato.



Por sua vez, o SME recusou-se a emitir qualquer nota de apreensão de passaporte, alegando apenas o cumprimento de ordens superiores.



Na mesma hora, segundo apurou o Club-K, ficou patente que a mesma Júlia Lacerda Gonçalves, que autorizara a viagem, emitiu um segundo despacho de revogação da sua própria decisão, no sábado, 20 de Junho. A DNIAP funciona apenas de segunda à sexta-feira, até às 15h00 e, nesse dia, essa instituição tinha as suas portas encerradas.



Alegadamente, a ordem superior, segundo fontes da magistratura a este portal, partiu do próprio Procurador-Geral da República, João Maria de Sousa. No seu despacho de revogação, através do ofício nº000611/15-DNIAP-Proc. Nº 86/2013, Júlia Lacerda Gonçalves invocou apenas que a medida se deveu a “imperiosas razões de justiça”.



Segundo um advogado contactado por este portal, “a PGR especificou as razões que determinaram a sua autorização. Com a revogação utilizaram um argumento genérico, que é uma forma de não fundamentar a sua decisão e impedir que a visada possa recorrer para fazer valer os seus direitos”.



Mas qual é o interesse da Procuradoria-Geral sobre Lídia Amões?



Fontes da procuradoria revelaram a este portal que supostamente o PGR, João Maria de Sousa, sentiu-se incomodado com a recente notícia veiculada pelo Club-K, segundo a qual o órgão que dirige está empenhado em destruir o Grupo Valentim Amões. A PGR tem intentado várias acções judiciais contra Lídia Amões, então cabeça-de-casal da herança de Valentim Amões, falecido em 2008.



Os casos de instrução processual contra Lídia Amões duram há quase dois anos, quando o período legal são apenas de 90 dias. A PGR não tem conseguido acusá-la de ter cometido algum crime.



Na sequência desses processos, a PGR, ultrapassando o seu mandato, tem proibido a movimentação das contas de cerca de oito empresas operacionais do Grupo Valentim Amões, pelos seus gerentes, levando-as à falência. Outra medida engendrada pela PGR é a não promoção da partilha dos bens da herança pelos herdeiros, num processo que já corre há sete anos.

* Ngola Kiluanji 


Recomendad




Deixe o seu comentário...






Polvo Gigante • há 5 dias


Isto é um problema de TUBARÕES e os TUBARÕES que se entendam para o bem dos carapaus. O defunto Valentim Amões não deixou testamento escrito porquê? Este é o problema do pret@ africano, quando é rico pensa que nunca vai morrer, e nunca faz testatmento em vida. Outro problema é que começa a fazer filhos tipo Coelho ( não é o preso Passos Coelho lá na Tuga), até parece que quer ter uma manada de caprinos como filhos e depois quando morre os herdeiros andam as guerras e não sabem como partilhar a massa. O camone Bill Gates já tem o testatmento escrito e guardado. Quando ele morrer, no testatmento já esta escrito para onde vão os milhões dele.
Por outro lado, os TUBARÕES sabem que muita coisa que se diz que é do defunto Valentim Amões são bens que ele obteve de forma obscura e ilícita, logo os TUBARÕES criam uma guerra de desgaste com os herdeiros para no fim eles abocanharem o património e a massa. O que a Lídia tem que fazer é negociar com os TUBARÕES, porque neste momento ela é uma sardinha.

Partilhar › 













Sr inocente e vadio :Polvo Gigante

Valentim Amoes morreu num acidente de aviacao deliberadamente provocado a mando do Sr Paulo Kassoma na altura como governador do Huambo. Essa coisa de membro do COMITE CENTRAL DO MPLA e tudo de faixada. E essa morte foi encomendada pelo cidadao extrangeiro de origem santomense que governa os angolanos autoctones desde 1979, com o nome de Jose Eduardo dos Santos. Em troca colocou-no como primeiro ministro de Angola. Sendo este militar e nunca assimilado para quetoes diplomaticas foi afastado.

Portanto, normalmente a morte e imprevisivel com ou sem deixar testamento as pessoas estao sujeitas a morrer, embora em angola morre-se bastando que JES decida que assim o fassam.

Partilhar › 











Lando • há 5 dias


Este foi o lider da tramoia praticada contra o nosso comandante Quim Ribeiro...
Ate podem sumir vossos filhos netos e bisnetos vão pagar. Tudo tem fim cara de brucho, o nosso comandante e ex colegas estão mais soltos que tu, malandro

Partilhar › 











JUCA TIGRE • há 5 dias


POR FAVOR RESPEITEM AO MENOS A PORCARIA DE LEIS QUE VOCÊS PROPIOS FIZERAM.

Partilhar › 











Alfredina Bumba JUCA TIGREhá 3 dias


Deixa de ser ser burro e deixa de acreditar nessas mentiras que vocês UNITAs inventam.

Partilhar › 













Diabo que seja surdo.
Mais o dia que o JES morrer, os governantes Angolanos vão comer-se vivos.

Partilhar › 











Ana Maria • há 4 dias


Concordo plenamente com a decisão da PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA. A Lídia não é nenhuma santa como está a querer fazer-se passar, ela queria FUGIR, ela roubou e distruiu quase tudo que era dos irmãos. Ela não estava à ir para a África do Sul para resolver a partilha de herança ela estava a ir resolver a situação dos 19,000,000.00 milhões de USD que roubou das empresas e dos irmãos. Ela já nem deveria ir para casa relaxar. Se dependesse de mim ela já estária na cadeia de Viana para aprender respeitar pelo menos o esforço do PAÍ . A Lídia pagou a advogados como PAULA GODINHO em 2008, 475,000.00 usd para distruição do GRUPO VALENTIM AMÕES.

Lidia deverias ter vergonha e humildade para pedir PERDÃO aos teus IRMÃOS E A FAMILIA AMOES TODA pelos atos bárbaros que cometeu.A procadoria não esta a preseguir a Lidia, a PGR esta a fazer justica a pedido dos outros herdeiros que foram injustiçados quando era a gestora da massa da Herança do Sr Valentim Amões. A Lidia tem que pagar pelo que fez a família e a sociedade " A JUSTIÇA TEM QUE SER FEITA"

.

Partilhar › 











Cauteloso Ana Maria há 4 dias


Então senhora Ana Maria, tens tanta certeza que a jovem Lídia Roubou este dinheiro!
Então como se explica quase dois anos e a PGR, utilizando a sua área especial de investigação e mesmo assim não conseguiu até ao momento acusar a rapariga? 
Será que a PGR está corrompida apesar de violar constantemente os seus direitos como arguida?
E este dinheiro estava na conta das empresas ou foi financiamento bancário?
E os bancos exigiram que garantais?
Tenho tanta pena , que existam pessoas como a senhora que alegam que a justiça deve ser respeitada e não entendem nada de justiça,!
Queres justiça? aconselhe os teus amigos da PGR para remeterem o processo ao Tribunal e se o julgamento for justo, mostrará se o Grupo VA era tão rico como dizem ou foi mais um falso milionário gerado pelo Sistema, sem estrutura empresarial, sem recursos humanos e totalmente endividado com a Banca?
Pense um pouco antes de acusar, só assim merecerás o adjetivo racional.

Partilhar › 













Este PGR matumbo e vendido quando é o Sebastião Martins é que o antigo chefe das secretas anda Luanda Lisboa e vise versa e ninguém diz nada!

Justiça no nosso país é feita pelo corrupto do JES

PGR vinga-se de Lídia Amões



24 junho 2015 Tamanho da Fonte:A A




Washington - Nos últimos dois anos, a Procuradoria-Geral da República tem encetado uma verdadeira perseguição extra-judicial à empresária Lídia Amões, primogénita do falecido empresário e membro do Comité Central do MPLA Valentim Amões.

Fonte: Club-k.net

A última medida da PGR, liderada pelo general João Maria Moreira de Sousa, demonstra o zelo vingativo desta instituição e o seu total desrespeito pelas normas elementares de justiça. Comunicou à empresária, à 18 de Junho, que tinha autorização para ausentar-se do país, mas a 20 de Junho, num sábado, revogou a decisão sem comunicá-la. Ordens foram dadas para que a mesma fosse detida no aeroporto.



Por ofício nº 000593/15-DNIAP-Proc. N.º 86/2013, de 17 de Junho de 2015, dirigido ao Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), a directora nacional da Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), órgão especial da PGR, Júlia Lacerda Gonçalves, autorizou a empresária a ausentar-se do país por um periodo de trinta dias. A autorização foi-lhe entregue ao fim do dia 18 de Junho.



Segundo o despacho de Júlia Lacerda Gonçalves, a autorização servia para a empresária, actualmente em estado de gestação, realizar tratamento médico na África do Sul. A permissão serviria também para a empresária regularizar a partilha da herança dos bens imobiliários que o seu pai detinha na África do Sul e que actualmente se encontram em risco de serem confiscados pelas autoridades locais.



Segundo soube o Club-K, Lídia Amões deslocou-se ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, no domingo passado, a 21 de Junho, para viajar. Para seu espanto, foi imediatamente detida e o seu passaporte confiscado.



A chefe de turno do SME, Eva Rafael, explicou à detida que recebera ordens superiores para confiscar o passaporte e encaminhá-la ao Serviço de Investigação Criminal (SIC) para detenção. Chamados ao local, dois agentes do SIC solicitaram ao SME o competente mandato de captura para que pudessem realizar a detenção. Porque não havia nenhum mandato formal, contactaram os seus superiores, dos quais receberam instruções para não efectuar a detenção sem mandato.



Por sua vez, o SME recusou-se a emitir qualquer nota de apreensão de passaporte, alegando apenas o cumprimento de ordens superiores.



Na mesma hora, segundo apurou o Club-K, ficou patente que a mesma Júlia Lacerda Gonçalves, que autorizara a viagem, emitiu um segundo despacho de revogação da sua própria decisão, no sábado, 20 de Junho. A DNIAP funciona apenas de segunda à sexta-feira, até às 15h00 e, nesse dia, essa instituição tinha as suas portas encerradas.



Alegadamente, a ordem superior, segundo fontes da magistratura a este portal, partiu do próprio Procurador-Geral da República, João Maria de Sousa. No seu despacho de revogação, através do ofício nº000611/15-DNIAP-Proc. Nº 86/2013, Júlia Lacerda Gonçalves invocou apenas que a medida se deveu a “imperiosas razões de justiça”.



Segundo um advogado contactado por este portal, “a PGR especificou as razões que determinaram a sua autorização. Com a revogação utilizaram um argumento genérico, que é uma forma de não fundamentar a sua decisão e impedir que a visada possa recorrer para fazer valer os seus direitos”.



Mas qual é o interesse da Procuradoria-Geral sobre Lídia Amões?



Fontes da procuradoria revelaram a este portal que supostamente o PGR, João Maria de Sousa, sentiu-se incomodado com a recente notícia veiculada pelo Club-K, segundo a qual o órgão que dirige está empenhado em destruir o Grupo Valentim Amões. A PGR tem intentado várias acções judiciais contra Lídia Amões, então cabeça-de-casal da herança de Valentim Amões, falecido em 2008.



Os casos de instrução processual contra Lídia Amões duram há quase dois anos, quando o período legal são apenas de 90 dias. A PGR não tem conseguido acusá-la de ter cometido algum crime.



Na sequência desses processos, a PGR, ultrapassando o seu mandato, tem proibido a movimentação das contas de cerca de oito empresas operacionais do Grupo Valentim Amões, pelos seus gerentes, levando-as à falência. Outra medida engendrada pela PGR é a não promoção da partilha dos bens da herança pelos herdeiros, num processo que já corre há sete anos.

* Ngola Kiluanji 


Recomendad




Deixe o seu comentário...






Polvo Gigante • há 5 dias


Isto é um problema de TUBARÕES e os TUBARÕES que se entendam para o bem dos carapaus. O defunto Valentim Amões não deixou testamento escrito porquê? Este é o problema do pret@ africano, quando é rico pensa que nunca vai morrer, e nunca faz testatmento em vida. Outro problema é que começa a fazer filhos tipo Coelho ( não é o preso Passos Coelho lá na Tuga), até parece que quer ter uma manada de caprinos como filhos e depois quando morre os herdeiros andam as guerras e não sabem como partilhar a massa. O camone Bill Gates já tem o testatmento escrito e guardado. Quando ele morrer, no testatmento já esta escrito para onde vão os milhões dele.
Por outro lado, os TUBARÕES sabem que muita coisa que se diz que é do defunto Valentim Amões são bens que ele obteve de forma obscura e ilícita, logo os TUBARÕES criam uma guerra de desgaste com os herdeiros para no fim eles abocanharem o património e a massa. O que a Lídia tem que fazer é negociar com os TUBARÕES, porque neste momento ela é uma sardinha.

Partilhar › 













Sr inocente e vadio :Polvo Gigante

Valentim Amoes morreu num acidente de aviacao deliberadamente provocado a mando do Sr Paulo Kassoma na altura como governador do Huambo. Essa coisa de membro do COMITE CENTRAL DO MPLA e tudo de faixada. E essa morte foi encomendada pelo cidadao extrangeiro de origem santomense que governa os angolanos autoctones desde 1979, com o nome de Jose Eduardo dos Santos. Em troca colocou-no como primeiro ministro de Angola. Sendo este militar e nunca assimilado para quetoes diplomaticas foi afastado.

Portanto, normalmente a morte e imprevisivel com ou sem deixar testamento as pessoas estao sujeitas a morrer, embora em angola morre-se bastando que JES decida que assim o fassam.

Partilhar › 











Lando • há 5 dias


Este foi o lider da tramoia praticada contra o nosso comandante Quim Ribeiro...
Ate podem sumir vossos filhos netos e bisnetos vão pagar. Tudo tem fim cara de brucho, o nosso comandante e ex colegas estão mais soltos que tu, malandro

Partilhar › 











JUCA TIGRE • há 5 dias


POR FAVOR RESPEITEM AO MENOS A PORCARIA DE LEIS QUE VOCÊS PROPIOS FIZERAM.

Partilhar › 











Alfredina Bumba JUCA TIGREhá 3 dias


Deixa de ser ser burro e deixa de acreditar nessas mentiras que vocês UNITAs inventam.

Partilhar › 













Diabo que seja surdo.
Mais o dia que o JES morrer, os governantes Angolanos vão comer-se vivos.

Partilhar › 











Ana Maria • há 4 dias


Concordo plenamente com a decisão da PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA. A Lídia não é nenhuma santa como está a querer fazer-se passar, ela queria FUGIR, ela roubou e distruiu quase tudo que era dos irmãos. Ela não estava à ir para a África do Sul para resolver a partilha de herança ela estava a ir resolver a situação dos 19,000,000.00 milhões de USD que roubou das empresas e dos irmãos. Ela já nem deveria ir para casa relaxar. Se dependesse de mim ela já estária na cadeia de Viana para aprender respeitar pelo menos o esforço do PAÍ . A Lídia pagou a advogados como PAULA GODINHO em 2008, 475,000.00 usd para distruição do GRUPO VALENTIM AMÕES.

Lidia deverias ter vergonha e humildade para pedir PERDÃO aos teus IRMÃOS E A FAMILIA AMOES TODA pelos atos bárbaros que cometeu.A procadoria não esta a preseguir a Lidia, a PGR esta a fazer justica a pedido dos outros herdeiros que foram injustiçados quando era a gestora da massa da Herança do Sr Valentim Amões. A Lidia tem que pagar pelo que fez a família e a sociedade " A JUSTIÇA TEM QUE SER FEITA"

.

Partilhar › 











Cauteloso Ana Maria há 4 dias


Então senhora Ana Maria, tens tanta certeza que a jovem Lídia Roubou este dinheiro!
Então como se explica quase dois anos e a PGR, utilizando a sua área especial de investigação e mesmo assim não conseguiu até ao momento acusar a rapariga? 
Será que a PGR está corrompida apesar de violar constantemente os seus direitos como arguida?
E este dinheiro estava na conta das empresas ou foi financiamento bancário?
E os bancos exigiram que garantais?
Tenho tanta pena , que existam pessoas como a senhora que alegam que a justiça deve ser respeitada e não entendem nada de justiça,!
Queres justiça? aconselhe os teus amigos da PGR para remeterem o processo ao Tribunal e se o julgamento for justo, mostrará se o Grupo VA era tão rico como dizem ou foi mais um falso milionário gerado pelo Sistema, sem estrutura empresarial, sem recursos humanos e totalmente endividado com a Banca?
Pense um pouco antes de acusar, só assim merecerás o adjetivo racional.

Partilhar › 













Este PGR matumbo e vendido quando é o Sebastião Martins é que o antigo chefe das secretas anda Luanda Lisboa e vise versa e ninguém diz nada!

Justiça no nosso país é feita pelo corrupto do JES

Partilhar › 













A justiça no nosso país é igual para todos e sabes disso. Agora não podes comparar justiça com a tua vontade.

Partilhar › 













Não vale a pena responder a um travesti cego e vendido.

Mandam matar 2 manifestantes, alimentam os jacarés com eles, o matumbo do sobrinho do JES é apanhado com 3 milhões de euros em notas em França e com 15 milhões em Portugal, de onde veio esse dinheiro e como é que o Bento conseguiu?

Partilhar › 











Canende • há 4 dias


É sabido que originalmente a família Amões provém do Galo negro. E que foi por interesse material que, aliciado, o patriarca aliou-se ao "M" pensando sobreviver ao sufocante e exterminador meio ambiente da camaradagem mplista.

O tempo de realizar que transfugir não constituiu uma solução aos preocupantes problemas materiais dele, era já tarde! Os tubarões do "M" já tinham traçado o destino do malogrado.

Esse drama faz me pensar no tal outro "Valentim" (dito da Canata no Lobito) proveniente igualmente do Galo negro que também aliciado, teve a sorte de sobreviver; mas que ficou e continua de ficar numa situação de extrema calamidade. Há outros exemplos de trânsfugas provenientes da Unita cuja sorte não é diferente da do Jorge Valentim. Penso em particular no casal "Hamukwaya" e no fundador da "Casa-ca".

Cuidado com o "M". Viva o tio Samakuva. Viva Unita.

Partilhar › 











Zeca, Lixado c/o "HERDEIRO"... Canendehá 4 dias


Tira o Abel e a CASA-CE dessas tuas provocação baratas na próximas diarreias mentais que te der, senão vais ter que te haver comigo TODOS OS DIAS, tu e o teu partideco em vias de extinção acelerada, ok? O Jorge Valentim VENDEU-SE ao MPLA com medo de ser executado pelo teu pai, quando ele descobriu o "esquema" que ele tinha montado para roubar kamangas da UNITA e metê-las na Europa através do seu antigo avilo pula do Liceu de Benguela, o famoso Abrantes que era Piloto de Helicópteros de Combate e Mestre de Kung-Fu (que o digam certos Oficiais Pilotos da Base da Catumbela quando por lá andaram na guerra aérea contra a UNITA que se meteram com ele e levaram com que contar, kkkkkk), que ia em voo razante às vossas posições mais avançadas aonde o Valentim o aguardava, só que um dia "alguém" da vossa BRINDE tirou fotos do momento da aterragem, recepçãp e trocas de papéis bancários europeus por sacos de kamangas, mandando-as mais tarde para o Savimbi e este para o MPLA (entretanto o Valentim pirou-se assim que "alguém" da UNITA o avisou), a fim de lixarem o pobre do Abrantes, que só entrou no esquema pelo KUMBU e acabou acusado de Espionagem a favor da UNITA e dos Sul-Africanos...

O caso do Abel não tem nada a haver, ele tentou concorrer contra o prolongamento ILEGAL dos mandatos do teu Ti Samas, cozinhado por este internamente ao eliminar a Regra Democrática conhecida dos Dois Mandatos - Novo Líder! Se alguém TRAÍU os Estatutos da UNITA ou manipulou as pessoas "necessárias" para a Consagração Sobista (?) do dito cujo afim deste não perder o Controlo Interno das MA$AS herdadas dos tempos dos negócios das kamangas da UNITA durante a guerra, essa pessoa não foi o Chivu mas SIM VOCÊS, com medo de perderem os respectivos tachos, um, e a "Herança do Sobado Savimbista", o outro, ou seja, TU mesmo; ó "sr." Rafael "Canende" Savimbi,,,

Se é para maldizer e picar a toda a hora os adversários, eu DOU-VOS um "tratamento" ainda pior sem precisar de recorrer ao vosso tipo de DIFAMAÇÕES ordinárias e baratas, DUVIDAS ? De futuro, mais tento na língua, senão vais ver como elas te mordem, seu METE-NOJO!

Já tás a ver o teu "futuro" a ir pelo ralo abaixo, né? Julgas que isto da Política é tipo capacidade que se herda dos pais, não? Mais capacidade teria o teu meio-mano Tão Kanganjo Savimbi mas esse é inteligente e não quer nada com a Política, porque SABE que a sua extraordinária semelhança com o vosso pai só iria prejudicar ainda mais a "Causa do Muangai" e dar mais "armas" de arremesso aos sabujos do SINSE e dos CAP´s que aqui fazem o trabalho sujo do Governo...

Coitadito de ti, Rafaelito, CRESCE e aparece, seu kanuko imberbe que só cresceu de corpo! E mais respeitinho aos mais-velhos que SABEM mais dos vossos PODRES (vosso e do MPLA) do que vocês julgavam!ver mais

Partilhar › 













Não compreendo nada da tua algaraviada. Peço-lhe o favor de me traduzi-la em língua de Camões. Obrigado.

Partilhar › 











Alfredina Bumba Canendehá 3 dias


A UNITA é assassina só importa-se com o poder e não mede meios para ter alcançar o poder. Savimbe matava milhares de pessoas em frente os seus familiares, mas Samakuva faz diferente, mata as escondidas e inventa culpados.

Partilhar › 











kuditema • há 4 dias


Senhor PGR chega de tanta cobardia se já não aguenta tanta pressão por vários erros que tem estado a cometer por pressão do poder politico peça a sua demissão. O que não está certo é que o Senhor não tem poder de decisão nenhuma, não merece o mínimo respeito da população

Partilhar › 











Alfredina Bumba kuditemahá 3 dias


São vocês seus UNITAs que incentivam o desrespeito as autoridades, a desordem e quando são detidos pensam que têm razão.

Windows Live Messenger + Facebook