segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Críticas a Mário Soares surgem sobretudo da parte de saudosistas do antigo regime e de retornados do ultramar.

Nas redes sociais, ódio e boatos em copy-paste

Críticas a Mário Soares surgem sobretudo da parte de saudosistas do antigo regime e de retornados do ultramar.
O fenómeno repete-se a cada morte mediática
Foto
O fenómeno repete-se a cada morte mediática
O fenómeno repete-se a cada morte mediática. Nas horas após o anúncio da morte de Mário Soares, nas caixas de comentários às notícias dos principais jornais portugueses, tanto nos respectivos sites como no Facebook, e no meio das manifestações de pesar, também houve quem não lamentasse ou que abertamente se regozijasse pelo desaparecimento do antigo Presidente da República.
As críticas surgem sobretudo de dois sectores. De um lado, de saudosistas do antigo regime e de retornados do ultramar. De outro, de quem à esquerda acusa Soares de ter travado uma revolução socialista em Portugal. Mas são sobretudo do primeiro grupo as mensagens mais hostis. É difícil aferir a real dimensão do fenómeno face à multiplicação de comentários copiados e publicados através de contas não verificadas, mas é fácil traçar um perfil das mensagens: o regozijo pela morte é frequentemente acompanhado pela recuperação de antigos boatos sobre o ex-chefe de Estado. Dois exemplos: a suposta profanação da bandeira nacional durante uma manifestação em Londres, em 1973, e um conjunto de declarações explosivas sobre os colonos portugueses em África atribuídas a Soares, em data não situada.
Sobre a bandeira, tanto se lê que Soares cuspiu sobre o símbolo nacional, como que o pisou ou mesmo que o queimou. O incidente teria ocorrido durante uma manifestação em Londres, em Julho de 1973, organizada para contestar a visita de Marcello Caetano ao Reino Unido. Na manifestação, cujos registos são públicos, participaram socialistas e comunistas portugueses e uma miríade de movimentos britânicos de oposição à colonização lusa em África e também ao apartheid. Mas não há registos da suposta profanação do símbolo nacional e muito menos do envolvimento de Soares no acto. O próprio o nega em entrevista a Maria João Avillez (tornada em livro em Mário Soares: Ditadura e Revolução): “Um patriota e um republicano, como eu sou e sempre fui, nunca iria pisar a bandeira da República, que nunca foi a bandeira do salazarismo”. A história, dizia, era uma “imbecilidade”.
A atribuição das supostas declarações sobre os portugueses em África também não sobrevive a uma verificação rigorosa. Lê-se nos comentários que, numa entrevista à alemã Der Spiegel, no ano de 1974, Soares teria sugerido abrir fogo sobre os colonos que não aceitassem o processo de independência dos territórios. A citação, no entanto, surge descontextualizada. Na entrevista à revista germânica, e questionado sobre se o exército português em Angola estaria preparado para suprimir uma eventual rebelião da população branca inspirada pelos acontecimentos na Rodésia, o que Soares responde é que o exército “não hesitará e não pode hesitar”. Na mesma conversa, porém, o socialista diz acreditar cada vez menos na eventualidade de uma “solução rodesiana” para Angola, minimizando o risco de uma acção armada por parte dos colonos. Em todo o caso, não existe uma citação directa a suportar a acusação que circula ainda hoje nas redes sociais.
De verificação ainda mais difícil é o suposto episódio em que Soares terá dito que a solução para os portugueses brancos de África passaria por atirá-los aos tubarões. A história surge num panfleto com um artigo supostamente publicado em 1977 no jornal A Rua em que se lê que o correspondente do jornal brasileiro O Estado de São Paulo em Lisboa teria escrito que “Mário Soares afirmou publicamente haver uma só solução para o destino dos portugueses brancos ultramarinos – atirá-los aos tubarões”. Só que não se encontra o dito artigo de Santana Mota, o correspondente brasileiro em Lisboa, desconhecendo-se as circunstâncias em que a suposta declaração teria sido produzida ou sequer o seu teor: teria um sentido literal ou seria uma força de expressão? Mais uma vez, e para além de imagens e artigos sem fonte que circulam em publicações saudosistas e de extrema-direita, não existem registos de que a afirmação alguma vez tenha sido feita.
Público
19 h ·


Críticas a Mário Soares surgem sobretudo da parte de saudosistas do antigo regime e de retornados do ultramar.


Nas redes sociais, ódio e boatos em "copy-paste"
Nas horas após o anúncio da morte de Mário Soares, também houve quem não lamentasse ou que abertamente se regozijasse pelo desaparecimento do antigo Presidente.
publico.pt|De Pedro Guerreiro


792 gostos328 comentários320 partilhas
Partilhar
Comentários principais
Miguel Santos, Santos Ngola Muculo, Julio Ruralgarden Pinto e 789 outras pessoas gostam disto.
320 partilhas
Comentários

Pedro Santos O jornalista que escreveu este artigo esquece-se de que a realidade vivida pela população portuguesa nas colonias é muito mais forte do que qualquer existencia ou não de determinado artigo. O que aconteceu foi um abandono por parte da metropole, encabeçada por esse tão estimado.
294 · 19 h
Ocultar 64 respostas

Luis Man Pedro santos ,Mentira. Culpe antes o marcelo caetano por nao ter tido tomates de iniciar conversacoes e inicia uma guerra onde morreram milhares de jovens portugueses
67 · 19 h · Editado

João Emídio O caso da integração apesar do esforço de cada um foi um sucesso hoje em dia!
12 · 19 h

Ana Fernandes 👏👏👏👏👏 como refugiada de Angola, obrigado....
9 · 19 h

Victor Lopes Subscrevo
2 · 19 h

Carlos André O Paulo Portas disse que resolvia o problema...
19 h

Helena Seixas Coitados dos pobres militares que foram obrigados a dar o corpo ao manifesto para defender previligiados numa terra que tinha dono
51 · 19 h

Pedro Pinheiro Augusto Sérgio Sousa Marcelo teve a oportunidade de a terminar e recusou. A partir daí, o desfecho verificado era inevitável.
11 · 19 h

Helena Seixas Exactamente Marcelo não a iniciou
1 · 19 h

Helena Seixas Mas também não a terminou
4 · 19 h

Ana Marques Verdade
2 · 19 h

Pedro Santos Portugal estava em moçambique desde sensivelmente 1500. Construiu td o que la era visivel. Antes so haviam palhotas. Quando se deu a guerra foram mortos brancos e negros pelas mãos de mercenarios vindos do extrangeiro em virtude de uma desigualdade falsa apregoada por ideais comunistas. Reveja a Historia que lhe contaram.
30 · 19 h

Tiago Guedes nem mais. destruiu a vida de muitos portugueses. Que descanse em Paz
3 · 19 h

Pedro Pinheiro Augusto Tanta gente que estava bem lá em África, a viver do sangue dos de lá mais dos que de cá para lá iam matar e morrer para os manter...
18 · 19 h

Luísa Gustavo Privilegiados?Pessoas que tinham casa e filhos um trabalho sua taralhouca nem todos tinham terra ou os cidadãos de cor a trabalhar para eles isso foi o que vos venderam e a maldade e inveja fez o resto é não eu não sou uma que vim roubar os vossos trabalhos porque nasci em 74 infelizmente.25 de Abril.a revolução da vergonha um livro que até hoje é proibido em Portugal na maravilhosa democracia que o ladrão que morreu implantou.Os verdadeiros libertadores de Portugal do Fascismo foram esquecidos.
20 · 19 h

Victor Salvador Porque não acusas Salazar e o regime fascista os verdadeiros e únicos culpados??? Talvez estivesses a pensar que eu deveria ser mobilizado para África defender o que não era português. O olho do cu não vê. ...é cego! !!
21 · 19 h

Ana Cristina Eusébio Engraçado é que este artigo critica artigos escritos pelos colegas na altura. Quer dizer que hoje o que um jornalista escreve, amanhã já pode ser considerando mentira ou não fiável.
Parabéns aos nosso jornais que estão cada vez melhores.
12 · 18 h · Editado

Maria Esteves O jornalista tem mesmo razão!!!
5 · 18 h

Maria Esteves Luisa Luísa Gustavo, cidadãos de cor??? Minha cara senhora, está tudo dito, o resto é tão irrelevante!!!!!
6 · 18 h

Luísa Gustavo Maria Esteves não se estique a chamar-me racista porque sinceramente arranjo maneira de a processar tenho tios de cor cunhada e futuramente sobrinhos recolha-se há sua insignificância antes que arranje trabalhos quer me insultar esteja há vontade mas não me misture com gente da sua laia.
4 · 18 h

Jorge Oliveira "Cidadãos de cor" somos todos.
11 · 18 h

Maria Esteves Minha cara Luísa Gustavo, desculpe, a Senhora está a dirigir-se a uma pessoa de cor, branca, por mero acaso, que não lhe chamou nada. Quanto à ( não há) sua ameaça, devo dizer-lhe: " Cara requerente, proceda em conformidade com as suas possibildades, que será devidamente atendida". Claro que tudo isto resumindo-me à minha significância face à ignorância de V.Exa. Estique a Senhora os miolos, pode ser???
8 · 18 h

João Santos A minha família é africana e o que resta da minha família contam-me a história da porcaria da descolonização que foi , e não contam tudo . Não é independência que está aqui em questão é porcaria descolonização e também em Timor. A minha tia conta-me coisas , enfim..... Basta dizer quando mandaram exército português não actuar mais , entregar tudo não terminou a guerra , pelo contrário deixaram aos tais movimentos de libertações que faziam verdadeiros genocídios ás populações ..... Basta dizer que zona onde estava a minha família era sul de Angola controlada pela UNITA de Jonas Savimbi onde NÃO QUERIA DEIXAR NINGUÉM SAIR . Para quê ? Para fuzilamentos a TODOS..... a TODOS.....negros , brancos , mulatos.....TUDO . E só foi com ajuda de um comandante FNLA (Frente Nacional de Libertação de Angola) que disse : "Ou saem essas populações ou então viramos contra vocês UNITA" . E lá deixaram sair populações onde residia minha família e trajecto cheio de colunas militares desses movimentos na qual podia ser fuzilado a qualquer momento se não fossem com tua cara. As populações que ficaram pediam AJUDA , SOCORRO , mas resposta do exercito português com as ordens superiores era : "Não temos nada a ver com isso " e acontecia verdadeiros genocídios ás populações , enfim...... A minha tia nem gosta de tocar nesse assunto ou começa chorar . As pessoas contam que a guerra ficou pior , mas muito pior depois com envio das tropas cubanas para auxilio MPLA isto já depois da terrível descolonização. Este é capitulo da história devia ser mais explorado , porque tem muito para contar.........
23 · 18 h · Editado

Ana Cristina Eusébio João Santos verdade...
2 · 18 h

Luísa Gustavo Bem ter um discussão com gente burra é desgastante Maria Esteves a senhora fez questão de comentar em destaque o facto de eu escrever cidadão de cor não é preciso ser muito inteligente para saber o que a senhora está a tentar insinuar não sei como acha aceitável mas posso dizer preto,negro mas eu acho que bom entendedor meia palavra basta e burrice do seu comentário continua com o segundo porque teve que referir tentando ser sarcástica que também é uma pessoa de cor mas branca sim também tem vermelho e amarelo e muitas outras mas neste caso estava a referir-me a um caso específico e a senhora entendeu mas tentou arranjar um negativo que não se aplica de forma nenhuma á minha pessoa.
1 · 18 h

Maria Mascarenhas Exactamente. Não se trata de mera opinião. São factos!! Por muito que os queiram branquear!!
17 h

Maria Esteves Luísa Gustavo, fique com a sua bacoca " inteligência" e esteja à vontade para chamar burra, eu não a processo!!!
5 · 17 h

Antonio Ferraz Não levem a sério os comentários da Luísa Gustavo porque a senhora tem o raciocínio alterado devido a problemas de existência na sua relação, a senhora anda traumatizada......
3 · 17 h

Antonio Pereira Nunes Helena Seixas não ta' chateada de ser tão burra?
17 h

Carlos André Parece a Casa dos Segredos!
1 · 17 h · Editado

Bruno Raposo Luísa Gustavo consegue escrever português?
17 h

Carlos Gustavo Neto Jornalista, não, é jornaleiro ou presstituta.
16 h

Alex VanTrue Pedro Santos faz lembrar a actual siria
16 h

Alex VanTrue conversações? boa... lol
16 h

Fernanda Luis Abandono? Mas Não vieram?! A vossa vinda não teve custos e sacrifícios para os que cá viviam sem mordomias? Senti bem na pele meus senhores! O quadro geral de adidos do IARN, com critérios de prioridade para a vossa integração, barrou as oportunidades dos que cá viviam como foi o meu caso. Consegui trabalho em Beja porque não aceitaram ir para lá, pois mesmo tendo ganho o concurso o meu processo teve de passar pelo Tribunal de Contas para se certificar se no IARN havia candidatos, já que até sem concurso passariam para os quadros. Não foram beneficiados?! Chiça, tanta vitimização...
14 · 16 h

João Santos Essa catalogar todos que vieram de África que beneficiaram de ajudas ..... Essas pessoas tinham cunhas como "habitué" em Portugal. Já para não falar dos desvio que houve IARN , das ajudas externas que outros paises deram a Portugal e NUNCA foram dadas às pessoas que vieram , como por exemplo casas pré fabricadas destinadas aos que vieram de Africa . A Noruega doou 400 casas pré fabricada , enfim...... Onde foram parar ? A maioria das pessoas que viram de África foram realojados em hotéis , que por sinal deu muito dinheiro esses donos de hotéis , dava para outra história..... Quando os hotéis e mais governo quis cortar nos hotéis começaram despejar as pessoas , e tiveram que fazer à vida como minha família sem UM tostão do estado.
9 · 16 h · Editado

Ana Cristina Eusébio Mais uma vez verdade João Santos.
Fernanda Luis não generaliza a todos os retornados, isso aconteceu aos funcionários públicos e não há totalidade ou ao "cidadão comum".
1 · 15 h

Antonio Ferraz Eram só mordomias para os "desgraçados" dos retornados, não pagavam propinas nas escolas,tinham preços especiais nas cantinas,etc.etc., a troco de quê?
15 h

JP Pires Queriam tanto as colónias, ficavam lá a lutar por elas, porque vieram? Queriam que os filhos de quem lá nada tinha fosse para lá de G3 na mão? E os filhos dos magnatas que lá estavam instalados passeavam na Baía de Luanda?
4 · 14 h

Suzette Morais Fernanda Luis tem razão. Quando viemos de Angola e das outras ex colónias, todos os funcionários públicos tiveram prioridade para serem reintegrados. Fomos todos alojados em hotéis de norte a sul de Portugal. Portugal recebeu bem toda a gente.
2 · 13 h

João Miguel Pelica João Santos que outra descolonização era possível que não arrear a bandeira e vir embora, após 13 anos de guerra colonial, em via de ser perdida na Guiné , com uma situação muito complicada em Moçambique (uma das causas do 25 de Abril foi justamente o nosso mau desempenho na guerra) , o isolamento internacional, a retirada das forças armadas do conflito e a sua pressão para uma rápida descolonização e a falta de combater generalizada por parte dos nossos soldados ainda presentes nos teatros de operações, no período entre o 25 de Abril e a descolonização e o próprio ambiente de pré guerra civil vivido na metrópole? A descolonização não foi perfeita? Qual foi a descolonização perfeita que conhece? Dadas o estado de guerra e os ódios gerados, muita sorte tiveram os retornados de regressarem com vida, ao contrário de outras descolonizações, como a do ex-Congo Belga!
6 · 10 h · Editado

Raquel Teixeira Fernanda Luis , um pouco de historia não faz mal a ninguém. Se estudar o processo como ocorreu e não aquele que os políticos gostam de contar( porque para alguns soaria muito mal) , saberia que o governo português nada fez pelos retornados, a esmagadora maioria deixou o ultramar em navios e aviões de bandeira estrangeira. E o que muitos não sabem é que grande parte do que era angariado nas ditas colónias era enviado pelo governo para portugal portanto se alguém viveu bem a custa da colônia era quem ca vivia, nomeadamente os políticos. O IARN foi criado pelos de ca para encobrir muitas falcatruas porque a maioria dos retornados o que recebeu nem chegou para as primeiras despesas. Ate as crianças eram recusadas nas escolas , foi da época que mais se emigrou, e ate hoje sai os imigrantes que sustentam este país com suas remessas para a nossa banca. Tanta parolice com a colonializacão que hoje somos colonos da Europa com uma capa de que somos livres qdo na verdade que manda em nos são os de fora .
5 · 11 h

Ana Fernandes João Santos você disse quase tudo por que passamos no Sul de Angola...
2 · 11 h · Editado

João Miguel Pelica Quem está descontente com a nossa descolonização possível que agradeça a Salazar e a Marcelo por eternizarem uma guerra condenada a ser perdida (como perdidas foram todas as guerras coloniais anteriores, de países bem mais fortes do que o nosso) e de terem impedido uma saída política do tipo da commonwealth, que permitisse outra solução melhor para todos.
10 · 8 h · Editado

Carina Rino Joao santos, lamento qie a sua familia tenha passado ppr esse pesadelo. Pessoalmente sou completamente ignorante em relaçao a esse assunto, poderia aconselhar-me algum livro que do seu ponto de vista seja idoneo sobre este assunto? Obrigada
1 · 9 h

Humberto Ramos A estupidez e Santa ignorância se fosse algo de valor Portugal ainda se impunha na Europa.
Ao ler declarações aqui expressas os filhos de G3 propinas gratuitas etc. Eu respondo somente com isto: de G3 estão a ir e irão com mais intensidade para países ,sem alguma afinidade com Portugal.Passearem na marginal? Provavelmente este foi mais um herói que foi ao ultramar e ficou só na cidade.....
Benesses para os filhos.? Exemplefique.....porque as alusões "raivosa " cheias daquilo a que vulgarmente se chama de ódio não permite aqui dar mais importância. Mas fica um alerta: será melhor verificarem a vossa saúde mental.....
8 h

Helena Seixas Eu vivi a história não e de ouvido
8 h

Helena Seixas Pessoas que nasceram depois do
8 h

Helena Seixas Do 25 de Abril opinam sobre o que ouvem contar
8 h

Ana Figueiredo Mesmo isso, ainda ontem os meus mais velhos recordavam os rapazes e homens da nossa terra que morreram no mato em África e os dedos das suas mãos não chegaram.
1 · 8 h · Editado

Isabel Eusébio Obg João Santos essa e a verdade muita gente por aqui fala do que nao sabe
7 h

Isabel Eusébio Para quem nao sabe a guerra nas colonias interessava a muita gente de ca vendiam ,fardas , motas, carros armas e tudo mais para o exercito aquela guerra nao acabava por conveniencia de muitos que tinham as suas empresas por ca
1 · 7 h

Ana Fernandes João Miguel Pelica sabe como se "ía parar a Angola ou melhor, às colónias"?

Se não sabe....informe-se.

E acha bem que depois de desterrados naquele país, depois de terem fixado a vida e a família, de terem trabalhado de sol a sol, alguns no meio do mato nas fazendas....acha bem o que fizeram a esses portugueses e às suas famílias?

A sua compreensão é mais próxima para os irmãos sírios....
1 · 7 h

Miguel Macedo Provavelmente para mts que aqui escrevem Portugal ainda hoje deveria ter colonias em africa...
2 · 6 h

Teresa Mateus Cordeiro Porque é que se agridem em vez de fundamentarem a vossa opinião com factos e dados?
E não procurarem verdades absolutas - que não existem, cada um vê a sua - e consensos quase impossíveis?
Eu não vivi em África nem fui lá combater.
Gosto de aprender a história também fora dos circuitos viciados do jornalismo e dos livros.
Cada testemunho e opinião que leio são alimento de conhecimento e de pensamento.
As agressões, para além de propagarem maus humores, são, mais do que inúteis, contraproducentes!
2 · 6 h · Editado

Clarinda Duarte Os jornalistas mais não dá,em do que branquear as situações para tornar Soares um símbolo facilmente esquecem as verdades principalmente agora com o PS no governo e Marcelo na presidência. Vivemos no país do faz de conta. É bom que sejam respeitados todos, Soares já ganhou muito com os portugueses, está rico, acabou. Espero que não nos continue a roubar com a fundação. Soares acabou e Portugal tem de seguir em frente sem demagogias, para ser um país credível e respeitado na Europa, mas não será com o atual poder da fantochada e da mentira.
2 · 6 h

Damien Thorn Mas alguém foi efetivamente atirado aos tubarões? Enquanto isso não aconteceu, o que foi acontecendo foi o envio durante década e meia de dezenas de milhares de quase analfabetos, que nada tinham a não ser o amor dos familiares, para o meio da selva, para pretensamente defender uma terra que não conheciam e não era a sua, para defender bens e pessoas que tampouco conheciam, pessoas essas que gozavam de uma liberdade que também desconheciam, mas que pretendiam manter o "preto" para lhe carregar a mala e a "preta" para descarregar a libido.
4 · 5 h · Editado

Tânia Carol Salazar Viva o Salazar!!! 😉
5 h

João Miguel Pelica Ana Fernandes. Sei muito bem como se ia para as colónias no tempo do anterior regime, mas quem parece não saber é a senhora, primeiro porque esse facto em nada contradiz os meus comentários, segundo porque à época há muito não existiam "desterrados" nas colónias! Fala de vida dura, e como pensa que era a vida na Metrópole, durante o anterior regime? Pelos vistos desconhece! Acha bem que tivessem de ir da Metrópole combater, morrer ou ficaram extropiados para defenderem os vossos estilos de vida? Se consideram que foram prejudicados e que aquelas terras eram vossas, porque não ficaram lá a defendê-las de armas mão, em vez de desfilarem o habitual rosário de ressentimentos e acusações? Era mais fácil que outros fossem morrer por vós... A sua última frase demonstra a sua idiotice! Sabe lá você quem eu compreendo, debita acusações como quem atira o barro à parede a ver se pega!
1 · 41 min · Editado

Ana Susana Dias Ana Cristina Eusébio NÃO, minha senhora, o que este artigo FINALMENTE desmascara é que durante décadas têm sido propagadas MENTIRAS!, percebe? MENTIRAS!!!!!!
4 h

Ana Susana Dias Carina Rino aconselho, sim: 'Caderno de Memórias Coloniais', de Isabela Figueiredo e 'O Retorno', de Dulce Maria Cardoso. ambos :)
4 h

Luis Costa Teresa Mateus Cordeiro , parece-me esteril este tipo de artigos e de opiniões de jornalistas, que em nada contribuem para uma analise objectiva, não sou fã do MS, mas acho que um distanciamento temporal nos ajudará como memoria colectiva a apurar as ve...Ver mais
1 · 4 h · Editado

Ana Susana Dias Ana Fernandes gente que continua sem perceber:
1º A GUERRA ESTAVA PERDIDA. REPITO: A GUERRA ESTAVA PERDIDA. MAIS UMA VEZ: A GUERRA ESTAVA PERDIDA. já percebeu? vocês tinham SEMPRE que vir de lá embora.
2º - e quanto aos soldados mortos, feridos, deficientes, homens com stress pós traumático para TODA a vida, esses não lhe custam? só a sua vidinha de colona?
3 · 4 h

José Maria Dias Santa ignorância
4 h

Micaela Aparício João Santos, a história que conta da sua família e do sítio onde residiam não é, infelizmente, única. Provavelmente até poderia arriscar um palpite, mas sem sem saber detalhes, não o farei. Aconteceu o mesmo noutros lugares onde a FNLA também assegurou a protecção civil contra as ordens que chegavam da metrópole para largar tudo de imediato à sua sorte. Pouca gente tem a coragem de dar o testemunho que o senhor está a dar, não cai bem, é desconfortável e social e politicamente desprezado, desmentido e desautorizado ( realmente é a democracia no seu esplendor, a opinião única sem considerar os factos ou se interessar por saber da veracidade da informação). Mais, os mesmos soldados que cumpriram ordens durante tanto anos pela defesa da sua pátria, que depois de abanadodos pelos seus superiores ao serviço da politica de conveniêcia, e que ainda foram capazes defender muitas vidas, regressaram a Portugal, cansados de ser usados, frustrados e desolados e foram ainda insultados, tratados e julgados como assasssinos e bastantes vezes não receberam o minimo respeito por parte de uma pátria que os mastigou e cuspiu, sem lhes reconhecer qualquer diteito ou pensão de invalidez ou de morte às suas viúvas e orfãos. Fazer tal aos seus militares é uma vergonha e uma traição que nenhun país decente deveria jamais permitir, quanto mais promover e sancionar. A História não é somente o que ouvimos de uma só parte nem tão pouco a versão que convém, a muitos e durante muito tempo, se ensina nas escolas.
2 · 2 h

Ana Fernandes Sou refugiada!!!! Não retornada.

Retornado era meu pai. Português nascido em Portugal....Ver mais
161 · 19 h · Editado
Ocultar 83 respostas

Hugo Miguel Albino Burra !Pesquise o que diz em vez de dizer barbaridades !
15 · 19 h

Ana Fernandes Hugo Miguel Albino burro deve ser o senhor.
Viveu o mesmo que eu???
9 · 19 h

Sandra Costa Ramos Hugo Miguel Albino se eu pudesse publicar aqui uma foto poderia provar aqui o que foi dito anteriormente, e o BURRO seria você... seja bem educado é o minimo...
15 · 19 h

Hugo Miguel Albino Leia,aprenda,compre livros,estude em vez de ser um ser mesquinho feio e gordo que destila ódio e mentiras.
5 · 19 h

Francisco Esgalhado Voce e que parece necessitar de aprender a nossa historia que tao maltratada tem sido
4 · 19 h

Ana Fernandes Hugo Miguel Albino viva no mínimo o sofrimento que passamos quando tínhamos a sua idade....

A perda, o sofrimento e os medos não se lêem nos livros, não se compram nem estão à venda nas livrarias.
21 · 19 h

Ana Silva Ana entao se o teu pais nao e este basa !!! es livre disso ninguem quer saber ninguem vai-te perseguir. A unica coisa que nao podes fazer é ir chular os pretos como faziamos antes. Mas se arranjares la em angola um trabalho honesto sei de quem foi e que se ganha bem. Adeus boa viagem !! :)
9 · 19 h

Ana Fernandes Francisco Esgalhado 👏👏👏👏👏👊
1 · 19 h

Hugo Miguel Albino Sandra Costa Ramos prove então ! Não percebe que essas frases são mitos urbanos.Uma mentira repetida mil vezes não se torna verdade.
10 · 19 h

Francisco Esgalhado Em vez das cartilhas, Hugo Miguel Albino, estude e fale com os que vieram com uma mao a frente e outra atras... Nota-se a olhos vistos a campanha de limpeza de imagem de quem mereceu perder a nacionalidade portuguesa mas que ate tem honras de Estado
18 · 19 h

Ana Fernandes Francisco Esgalhado 👏👏👏👏👏👏
3 · 19 h

Ana Fernandes Francisco Esgalhado ....vá lá explicar ao Hugo como minha mãe, apesar de ser casada com um português, ficou 32 anos sem bilhete de identidade.....repito 32 trinta e dois anos SEM BILHETE DE IDENTIDADE.
Foi por causa do outro???
6 · 19 h

Hugo Miguel Albino Ninguém diz mas Salazar teve mais culpa no processo de descolonização do que Soares.Salazar preferiu uma guerra que matou milhares de jovens e que ainda hoje provoca pesadelos em muita gente ao invés de ter tentado uma solução de transição,como fez Inglaterra com as suas colónias.Naturalmente que os retornados sofreram,mas culpar uma pessoa por isso é não perceber nada de história e do contexto de Portugal em 74-75.
15 · 19 h

Luis Rito O Rosa Coutinho é que queria passar os pides a metralha, não os retornados. Convinha saber um pouco de história. A dos tubarões é uma mentira tão ridícula que nem vale a pena comentar. E eu sou nascido em Moçambique.
23 · 19 h · Editado

Hugo Miguel Albino Ana Fernandes e que Soares tem a ver com isso para que profane a sua memória.
19 h

Ana Fernandes Ana Silva estou no TEU PAÍS a gozar o clima, percebes a ideia?

Prove a si mesma a grandeza da sua força. Faça as malas, vá conhecer um pouco do mundo. Saia do seu bairro....aprenda o que é a vida antes de dar conselhos a quem já tem cabelos brancos.
11 · 19 h

Sandra Rodrigues As pessoas acham que por ter morrido, todos os maus bocados passados "à conta dele" tem de ser esquecidos e perdoados e tem de ser bajulado, isso é hopocrisia. A minha opinião continua igual, a que tinha quando era vivo, não a mudo só porque morreu e é politicamenre correto.
8 · 18 h · Editado

Francisco Esgalhado Hugo Miguel Albino, explique-me como se compunha o territorio portugues ate 1974... O que era a Metropole e o Portugal Ultramarino... Explique porque motivo ainda hoje, de Macau a Luanda passando por Dio e Lourenco Marques, a cabo verde ainda hoje a heranca portuguesa e respeitada...
5 · 18 h

Ana Fernandes Hugo Miguel Albino um de nós anda equivocado....

Quero crer que o Hugo não saiba o que foi a descolonização....
8 · 18 h

Luísa Gustavo Ana Fernandes eu nasci em Moçambique em 74 não me lembro mas vi o sofrimento da minha mãe e passámos fome quando chegámos e moramos na rua porque para conseguir os papeis não havia outra maneira como disse não me lembro mas matou a minha mãe aos 54 anos de tristeza como foi tratada e insultada por ter nascido lá, trabalhado e constituído família e eu por causa do divórcio dela não ser aceite em Portugal estive 25 anos sem bilhete de identidade não pude fazer mais que o 9 ano por causa disso.
8 · 18 h

Ana Fernandes Luísa Gustavo como vê o vosso caso não foi o único!

Explicar estas vivências a quem nunca ouviu 1 tiro ou rajada de G3 é difícil, nem com um desenho.....
8 · 18 h

Hugo Miguel Albino Francisco Esgalhado o Portugal do Minho a Timor era propaganda do regime.A descolonização de África foi um processo complexo.Estude um pouco sobre isso.
2 · 18 h

Susana Duarte Os seus pais ouviram o Dr. Mário Soares dizer isso? Não, pois não?
4 · 18 h

Conceição Sola Por acaso também pensou no sofrimento de uma geração estropiada, enfiada nos porões dos navios, enviada para defender o quê e quem? Eles também tinham família, sabia? Não eram emigrantes , não foram procurar uma vida melhor . Foram mobilizados. Também sei do que falo, posso dizer-lhe que ainda hoje tenho diante de mim o que vi no hospital militar. O sofrimento não se mede só por nós. Boa noite.
15 · 18 h

Pedro Guerreiro Hugo Miguel Albino quando você diz que o processo de descolonização foi culpa do Salazar, revela logo o nível de conhecimento que tem. Quem devia ler alguns livros era o senhor. E lá porque o Mário Soares fez alguma coisa boa, não apaga tudo o que de mau fez e deixou tantos portugueses em situações muito precárias. Leia, eduque-se e aprenda a ouvir quem viveu a situação. Se calhar fazer melhor figura, mesmo isto sendo o facebook e estando cheio de incultos.
6 · 18 h

Maria Esteves Ana Fernandes, com o devido respeito, talvez deva ler mais e melhor sobre o que se passou! Pergunta, perdeu alguém na guerra ou teve algum familiar combatente??
3 · 18 h

Pedro Guerreiro E falar no processo de transição do império britanico é no mínimo ridículo quando este país já nos anos 80 ainda a andava a disputar guerra pelas suas colônias.
4 · 18 h

Maria Esteves Imagine, Ana Fernandes, uma rajada de metralhadora, sim matando um jovem...,
1 · 18 h

Maria Esteves Luísa Gustavo, o Instituto de Apoio aos Retornados não apoiou??? Estranho!
3 · 18 h

Hugo Teixeira Maria Esteves tu és burra que nem uma porta. A Ana já disse que fugiu de lá, acha que não vai saber do que fala?!? Vá-se tratar mas é.
4 · 18 h

Sandra Rodrigues Maria Esteves Eu tive um familiar na guerra colonial ( ate tive 2 mas um esteve no mato) e é melhor não saber o que o meu tio contou.... porque depois vai dizer para eu ir pesquisar melhor.
5 · 18 h

Hugo Teixeira Hugo Miguel Albino para de dizer disparates.
1 · 18 h

Francisco Esgalhado Maria Esteves: se nao tivesse havido guerra o que teria acontecido aos portugueses das provincias ultramarinas? Chacinados?
1 · 18 h

Luísa Gustavo Maria Esteves a senhora é uma ignorante racista e baixa eu tive 2 tios que combateram e nós vivíamos em Moçambique um deles casado com uma Moçambicana de cor que culpa tinham as pessoas que foram feitas refugiadas e retornados porquê a sua lógica é mes...Ver mais
5 · 18 h

Ana Duarte Ferreira Tome juízo
1 · 18 h

Devin Gomes Incrivel é vir falar dos mitos como verdades obsolutas na noticia que os desmistifica! É a prova que pior cego é aquele que nao quer ver. :)
7 · 18 h

Francisco Esgalhado Hugo o Portugal do Minho a Timor era Portugal... Nao deite areia nos meus olhos
1 · 18 h

Francisco Esgalhado Falar dos mitos como verdades absolutas... As verdades absolutas que conheco ao morto sao as bancarrotas e a viagem aquele territorio estrategico para Portugal: as Seychelles... E as 5 voltas ao mundo em termos de quilometros percorridos durante o seu desempenho politico... Muito fraco, alias...
5 · 18 h

Hugo Miguel Albino Pedro Guerreiro o seu comentário é de mestre.Um dos incultos do facebook a apregoar que o facebook é local de incultos.Estude porque é que digo que Salazar esteve na génese do problema.A guerra Colonial foi um erro histórico que provocou uma descolonização desordenada.Você no correio da manhã ,provavelmente o único jornal que leu na vida,não aprende que a união soviética fornecia armas avançadas às guerrilhas independentistas,que Portugal estava isolado a nível europeu e mundial,pois todos os países europeus já tinham descolonizado nos anos 70.
6 · 18 h

Samuel Pa Também sou Refugiado. Digam o que quiserem, inventem o que entenderem, porque a verdade é só uma. Portugal e os seus dirigentes da altura não salvaguardaram o interesse dos seus naturais, portugueses de direito igual aos que cá estavam. Não há como negar.
4 · 18 h

Francisco Esgalhado Isso e muito complicado, Samuel Pa... Os tempos eram outros... As dificuldades, muitas... Mas se houve guerra foi porque estavam muitos Portugueses nas provincias ultramarinas... E obviamente tambem o territorio e os bens portugueses la existentes... Nunca ouvi dizer que enquanto Portugal ultramarino, os portugueses estivessem sem um minimo de defesa... Quando a guerra estalou... Foi caotico e mau para todos...
1 · 18 h

Maria Esteves Hugo Teixeira, desculpe, mas considerando o seu inteligente e elegante conentário, apenas lhe respondo: Grande cromo.
1 · 17 h

Melissa Nunes Curiosamente, os que vieram das ex-colónias, e passados 40 anos, ainda se queixam de o Mário Soares ter desejado que fossem atirados aos tubarões, são os mesmos que usufruiram de apoios(IARNE- Subsídios dados para alimentação, alojamento e criação de negócios) e que vieram numa ponte área que só foi possível graças à amizade Soares-Carlucci. Portanto as palavras que pode ter dito foram compensadas pelas suas ações. A minha mãe veio nessa ponte aérea, por isso sei do que falo. Apenas não apresenta um saudosismo irracional e consegue compreender que a descolonização necessitava de ser feita.
13 · 17 h

Victor Silva M
16 h

José Costa Hugo Miguel Albino Portugal era um só! Nunca em monarquia ou nas repúblicas, ou melhor até ao final do estado novo Portugal nunca tratou os seu territórios ultramarinos como colônias! E nunca no Portugal ultramarino as suas gentes quiseram a independência! E mais os EUA e a urss estimularam e estiveram na génese da guerra colonial, levaram nativos, deram-lhe lavagem cerebral e formacao militar e depois devolveram-nos ao mato com armas, e deu no que deu! Em Moçambique Portugal quando se deu o 25 de Abril tinha a guerra claramente ganha! Continuo a acreditar que Portugal podia ter encontrado formas de se manter uno, pluricontinental e onde todos tivessem as mesmas oportunidades. Era esse o desígnio do 5o império muito embora Portugal até ao final do estado novo sempre teve essa maravilhosa humildade de nunca se autoproclamar como império! A haver independência do territórios nunca essa deveria ter sido feita nos moldes em que o foi! Teria que ter um referendo, cá e por lá. Depois se em referendo assim fosse determinado aguardava-se por um regime democraticamente eleito para realizar a transição! Não, logo apôs o 25 Abril abandonaram em força 500 anos de história bem como aqueles que naqueles territórios viviam, tanto brancos como pretos! O Sr Soares fez à data um trabalho de amador, e que resultou numa enorme bosta!
4 · 16 h · Editado

Pedro Guerreiro Hugo Miguel Albino Você escreveu que Salazar era culpado da descolonização ter corrido mal. Se não quer ser mal interpretado escreva de forma objetiva. Até uma pessoa que lê o Correio da manhã sabe disso. Salazar morreu muito da descolonização, e embora ele esteja no início do problema, pelo caminho muito poderia ter sido feito, e independentemente do que o regime fascista poderia ter feito, era responsabilidade do governo em gestão na altura lidar da melhor forma com o problema, e eu que provenho de uma família de retornados, e lendo alguns jornais sei que Portugal não estava totalmente isolado, e que teve bastante apoio da África do Sul, cujo exército ajudou a retirar milhares de portugueses de angola, incluindo a minha família e os meus avós. Agora do governo português apenas veio a ordem de retirada e meia-dúzia de navios fretados. Eu falo com conhecimento de causa, e mesmo lendo jornais e livros sei tirar as minhas conclusões. Você é apenas mais um esquerdinha tocado por nem todo povo português se prostrar perante Mário Soares. Penso que, na realidade, deve haver motivos para isso, e que para seu infortúnio, há mais para além da propaganda que você lê.
3 · 15 h · Editado

Ana Fernandes José Costa ....sim, em Angola inicialmente falava-se em "autodeterminação" no prazo de um ano. E confiávamos que assim fosse com Cabinda, UNITA, MPLA, FNLA e UFA....não num único movimento ajudado sabe-se lá por quem.....
1 · 13 h · Editado

Ana Fernandes Samuel Pa .... foi tudo à pressa.....de março a outubro um turbilhão tal nas nossas vidas e destinos que até hoje me sinto incapaz de descrever sem falhar os pormenores....

O pior de tudo foi depois juntar os cacos.....e recomeçar de forma humilhante...
1 · 13 h

Suzette Morais Hugo Miguel Albino tem razão. Antes de 1961 Agostinho Neto, Amílcar Cabral e Mondlane tentaram entrar em conversações com Salazar, visando uma autodeterminação que culminaria mais tarde numa independência, protegendo todos os que lá viviam e mantendo todas as infraestruturas, ao que Salazar respondeu: para África em força já. A partir daí o caldo ficou entornado. À descolonização foi mais que muito mal feita, mas não me parece que o resultado tivesse sido diferente mesmo que esta tivesse sido mais bem planeado, pois os líderes dos movimentos de libertação não se entendiam, o que resultou numa guerra civil.
6 · 13 h

Ana Fernandes Suzette Morais ..é verdade sim senhor. Falávamos nos primeiros tempos em AUTODETERMINAÇÃO!!!! Nunca era a independência naquela forma atabalhoada....
3 · 13 h

Suzette Morais Ana Fernandes não sei que idade tinha quando veio embora. Eu tinha 18 e o meu irmão 15. Viemos sozinhos, pois o meu pai não o deixaram sair de lá na altura. Trazíamos a morada de uma tia, que já estava em Portugal e com quem eu não me entendia. Quando chegamos ao aeroporto de Lisboa e vi uma fila enorme de gente para um balcão, fui informar- me e quando me disseram que era para alojamento, já de lá não sai. Dormimos umas três ou cinco noites no chão no aeroporto, até que fomos para Tróia. Fomos muito bem recebidos e alojados. Quem teve sérios problemas foi o pessoal que foi para casa de familiares e que passado pouco tempo a coisa azedou. Foi complicado vir embora, foi difícil, implicou muito sofrimento, mas fomos muito bem recebidos e só não veio quem não quis.
5 · 12 h · Editado

Ana Fernandes Suzette Morais ...vim com 20 anos. Tenho 61.
Aeroporto....tudo igual, depois da apresentação do passaporte, trocar o bilhete de avião por 5000$00 e a seguir passar por um corredor onde se ouvia "volta para a tua terra" "agora chegas a chorar, lá andavas às cavalitas dos pretos" "colonialista volta para os pretos" .....

E sim, fomos para casa de familiares....enquanto houve dinheiro para pagar eram chouriços e presuntos à farta.....depois a coisa azedou de tal forma que tenho irmãos que cortaram relações com a família portuguesa que explorou o meu pai.

Em tudo o resto temos vivências iguais.
4 · 12 h

Nelson Alcobaça Os retornados sofreram muito... Quase tanto como os soldados portugueses sofreram. Quase.
3 · 12 h

Ana Fernandes Nelson Alcobaça ...jovens, mulheres, crianças e idosos sem armas....nem é bom recordar no meio das bissapas, escondidos e quase sem respirar....
Quem hoje acredita?
3 · 12 h

Suzette Morais Nelson Alcobaça claro que ninguém aqui está a fazer a apologia da guerra. Os desgraçados que para lá iam, não quero nem imaginar como ficariam as mães a verem os filhos ir para a guerra.
2 · 12 h

Hugo Teixeira Maria Esteves chamar anta ou calhau com olhos a alguém como a senhora, seria uma ofensa para as Antas e os calhaus. Fiquemos só pela sua ignorância, já que faz questão de partilhar como todos. :)
12 h

Suzette Morais Ana Fernandes francamente essa parte de ouvir bocas tipo "volta para a tua terra" nunca ouvi, nem senti nunca nenhuma discriminação.
2 · 12 h

Ana Fernandes ...disse trocar, entenda-se....com a apresentação do bilhete de avião, podíamos trocar 5000 angulares por 5000 escudos...ninguém nos dava nada nessa altura.
11 h

Ana Fernandes Suzette Morais sim, eram jovens como nós e não entendíamos o que iam lá fazer....tão jovens e tão longe das suas famílias...
11 h

Ana Fernandes Suzette Morais ...cheguei 1 semana antes da independência e infelizmente ouvi muitas palavras ofensivas....
1 · 11 h

Carlos Santos nas proximas eleiçoes os ditos retornados irao dar a resposta devida á maneira como os socialistas nos tratam, 1 milhao faz mossa, e esse milhao irà se lembrar dessas palavras todas
9 h

Carlos Pacheco Ana Fernandes, se é refugiada e se sente mal com isso, regresse ao seu país. Entendo que as pessoas que abandonaram as suas casas e as suas vidas, o tenham feito com bastante sofrimento, mas na realidade para eles não terem tido de passar por isso, tinha sido necessário que mais mães portuguesas chorassem pelos seus filhos, mortos numa terra distante. Com todas as mágoas que a sra. tenha, ainda tem possibilidade de regressar à terra donde diz ser, eu sei de muitos que por terem ido defender a sua vida, já não puderam regressar à terra deles. Quem é que acha que teve a parte mais amarga desta história?
4 · 9 h

Carla Rodrigues Estamos em 2017. Refugiada do quê?
1 · 9 h

Mario CG José Costa, você dava para contador de historinhas, a fantasia é o seu mundo. Só que falta-lhe originalidade, essa historinha já tinha sido contada pela propaganda do regime salazarento. É só dar uma vista de olhos nos manuais escolares do antigo ensino primário. O regime de Salazar recusou-se a olhar para os sinais de mudança, outros países já tinham iniciado o processo de desconolização das suas colónias. Foi com o 25 de Abril que a descolonização, das colonias, se tornou possível, a forma como se processou é que pode ser discutível.
2 · 8 h

Ana Figueiredo Não é assim tão respeitada quanto pensa. Os Portugueses cometeram os mesmos pecados dos outros colonizadores.
8 h

Ana Fernandes Carlos Pacheco respondo-lhe pelo fim do seu comentário....
O amargo da história foi de quem perdeu....você perdeu o quê e quanto para filosofar sobre "perdas"?

Foram os portugueses que estavam em Angola ou os angolanos que conduziam os destinos de Angola? Ou eram simples marionetas nas mãos do políticos em Portugal?
Que culpa tinham eles sobre decisões em Portugal?

Morreram jovens portugueses que foram às cegas para o Ultramar, mas ninguém fala dos outros também jovens angolanos mobilizados igualmente para as fileiras....e esses eram a grande maioria do contigente que defenderam um país imenso.....16 vezes maior que Portugal, segundo orientação política de Portugal!
Não fala deles nem das suas mães porquê?
São mães diferentes das portuguesas?

Quanto ao que se perdeu em bens e vidas humanas estará o senhor capaz de avaliar?
Nem tão pouco....porque reunir poupanças para comprar uma casa não é como hoje que se vai ao banco fazer um empréstimo......

E os perderam os pais e vieram sozinhos....alguns tinham familiares distantes que nunca viram antes, outros ao completo abandonam.....tinham em comum a língua, os costumes, a religiao, os afectos e descendência portuguesa ou madeirense (sul de Angola)....o senhor pensou neles?

Pelas suas palavras os sírios e os povos do norte de África são mais merecedores da sua compaixão.

Quanto ao ser refugiada, sou! Se me sinto mal com isso...sinto alívio.

Regressar? Não!
Já passou o tempo para remexer feridas, perdas e medos.

Chegou o tempo de "JÁ QUE COMERAM A CARNE, AGORA CHUPEM OS OSSOS"
1 · 7 h

Ana Fernandes Ana Figueiredo ....e que culpa tinha eu?

Já agora....porque não descarrega a sua indignação no VASCO DA GAMA!
1 · 7 h

Ana Fernandes Mario CG ....eu e milhares como eu.....felizmente há documentação.
Se tiver coragem, veja e leia....

Quiça o senhor nem sequer fez a tropa ou nem sabe o significado de ser "mobilizado".....deve ser daquele tipo de cidadão que jura não pegar uma arma....mata com as palavras e o punho fechado....

Tomara que nunca saiba o que é a guerra e o que ela faz aos corações e às cabeças para que os meus descendentes lhe devolvam um dia em palavras "historinhas dum avó Pinóquio"
7 h

Manuel Coelho Não diga mentiras e asneiras que é feio. Informe-se antes de dizer disparates.
1 · 6 h

Lena Martins Ana Fernandes os meus sinceros cumprimentos pela sua coragem
6 h

Ana Fernandes Melissa Nunes .....e os sírios e outros refugiados recebem subsídios por conta de quem?

Houve IARN PORQUE HOUVE MUITA RIQUEZA ROUBADA A ANGOLA E TRAZIDA PARA PORTUGAL!!!!!

HOUVE MUITOS ANGULARES DEPOSITADOS NO BANCO DE ANGOLA ROUBADOS AOS DEPOSITANTES e TRAZIDOS COMO ESPÓLIO DE GUERRA.

É tão informada e não conta a outra metade da verdade? Porque?

Por muitos subsídios que pagassem NUNCA PAGARIAM NEM PAGARAM O MUITO QUE PORTUGUESES CONTINENTAIS ROUBARAM AO POVO DE ANGOLA
5 h

Carlos Pacheco Ana Fernandes as mães de Angola, as de agora e as de então, são como todas as outras mães, sofrem pelos filhos. A questão aqui são os filhos. Os de Portugal iam arriscar a vida pelas mães dos outros, os de Angola iam defender as mães deles. E já agora, quantos militares portugueses é que foram para a Síria? E sabe, você ao calhas acertou, eu não perdi nada nem ninguém com a guerra colonial, tive sorte, mas conheço ou conheci alguns que lá foram, uns voltaram incólumes, outros com partes a menos e outros nem voltaram. Você queria lá saber se isto continuava ou não, desde que a sua vida não tivesse sobressaltos. Se o seu rancor a deixasse discernir, você sabia que os portugueses de Portugal tinham tanta influência na politica do país, como tinham os portugueses de Angola ou de outra parte qualquer. Quem você aqui veio criticar foi quem trabalhou no sentido de os portugueses, no seu todo, passarem a ter influência nos destinos do país. De que "carne" é que fala? Daquela que deixou em Angola? É que para vos salvar a vida os portugueses que cá estavam ainda tiveram que roer alguns ossos, pelos vistos ainda temos que roer mais.
2 · 5 h · Editado

Ana Fernandes Carlos Pacheco faça a história que quiser que será sempre diferente da minha.
Eu vivenciei....não romanceio...já o senhor pode expandir o imaginário.
1 · 4 h

Ana Susana Dias queriducha: volte para lá :)
3 · 4 h

Ana Susana Dias gente que continua sem perceber:
1º A GUERRA ESTAVA PERDIDA. REPITO: A GUERRA ESTAVA PERDIDA. MAIS UMA VEZ: A GUERRA ESTAVA PERDIDA. já percebeu? vocês tinham SEMPRE que vir de lá embora.
2º - e quanto aos soldados mortos, feridos, deficientes, homens com stress pós traumático para TODA a vida, esses não lhe custam? só a sua vidinha de colona?
2 · 4 h

Ana Susana Dias Ana Fernandes tadinha... refugiada? ui, que pena tenho. ó pra mim aqui a chorar! GENTE HORRÍVEL QUE VOCÊS SÃO! refugiada? AO MENOS ENTÃO MOSTRE GRATIDÃO POR QUEM A RECEBEU!
4 h

Ana Fernandes Ana Susana Dias acordou com o intestino revoltado?
Não precisa chorar, basta cerrar os dentes...

Vocês é que têm muito a agradecer a pessoas como eu. Fico-me por aqui.
4 h

Hel Der Quando é que volta para a sua terra?
3 h

Marta Minez Sr. Carlos Pacheco subcrevo o que disse. O meu pai andou nessa guerra a proteger pessoas , que agora são ingratos. Vieram para Portugal deram os melhores cargos na função pública, casas para estas pessoas. Agora só dizem mal. Se estam mal, vão para as vossa terras de origem, já que se ofendem com o adjectivo, returnados.
2 · 3 h

Carlos Pacheco Ana Fernandes, Tem razão, não "vivenciei" . Entre outros, agradeço também a Mário Soares por isso. Porque se a solução tivesse vindo uns anos mais tarde, lá tinha eu que ir dar com os "costados" numa qualquer "Província Ultramarina" para defender uns quantos que afinal, pelo exemplo presente, acham que são refugiados a viver num país estrangeiro. Não o teria feito de livre e espontânea vontade, tal como a esmagadora maioria dos que por lá passaram, também não o fizeram. Se quiser chame-lhe romance, mas para mim teve um final, se não feliz, pelo menos razoável.
1 · 2 h

Alfredo Sá E que tal se algumas pessoas tivessem antes uma borracha para apagar de vez das suas cabeças a mentira, a falsidade, a calúnia, sentimentos que até na morte de alguém lhes embotam a mente.
2 h

Ana Susana Dias Ana Fernandes UIIII eu agradecer-lhe? o quê? a sua azia, o seu ressentimento, o seu rancor, o seu ódio? são pessoas como a senhora que são um CANCRO no meu país e lhe têm feito tanto mal durante estes 40 anos! vocês, os ignorantes, os saudosistas e os INGRATOS! gente de tão má índole, credo! vá-se lá embora, de refugiados (AHAHAHAHAHAH) como a senhora é que não precisamos, mesmo!
2 h · Editado

Henrique Fernandes Quem queria meter no Campo Pequeno era o Otelo!!! Memória tão curtinha!!!
2 h

Vitor Sousa Nao conheci o chamado regime nem vim do ultramar.. O que conheço é um país em crise desde que nasci, uma comunicaçao social tendenciosa que tenta lavar a imagem de vários corruptos (incluindo o soares), e um povo que em vez de cultivar a mente sofre lavagens cerebrais.
No regime era a censura, agora é o favorecimento. Antes era a PIDE, agora é a falsa liberdade. Etc. Etc. Etc.
95 · 18 h
Ocultar 15 respostas

Alexandra Fontes Nem mais! Nem menos!
18 h

João Mascarenhas Falsa liberdade mas que te permite ser um brolho na internet à vontade
9 · 17 h

Olga Faria
17 h

Vitor Sousa Precisamente falsa liberdade. Tens a sensaçao de que es livre, mas es controlado. Não tens a minima noçao da informática.
4 · 17 h

Isabel Simões Nem mais!!!
10 h

Margarida Brites Vitor Sousa aplaudo a tua intervenção com oxigénio, pois nestes três dias prevalece a naftalina e o bafio!
2 · 9 h

Ana Figueiredo Eu vivi antes e depois. Antes era a indignidade e miséria, mas miséria mesmo. Uma violência extrema que resulta da miséria. Um sofrimento atroz por tudo o que faltava especislmente na infância e velhice. Na minha classe, de meninas, só meia dúzia tinha sapatos. Não existiam mecanismos de ascensão social. Hoje a miséria de espírito predomina mas quem quer sair do seu ciclo ainda tem a que se agarrar, a escola é o mecanismo mais à mão e conheço tanta gente que o fez e outra tanta que não aproveitou. Antes era, além da miséria e indignidade da pessoa humana, o medo a exploração,a corrupção, a violência física e psicológica. Hoje é outro País. Um país que face a alguns que conheço me leva a dizer dizer em certos aspetos, "na minha terra é melhor".E é graças a Abril,aos militares de Abril, a Soares, Cunhal e a tantos outros. Mas especialmente graças a nós Povo.
8 · 7 h · Editado

Marcelo Teixeira Já não me lembrava de ler um comentário assim... tomara que existisse mais jovens como tu pq a geração dos nossos pais já não chega lá...
1 · 7 h

Luís de Campos João Mascarenhas Antigamente não se podia falar... agora falar de nada serve... viva a democracia de nome...
1 · 4 h

Ana Susana Dias ok. fazemos assim. mando-te em estágio durante 48 anos para uma ditadura como a nossa: sem quaisquer liberdades, em que as pessoas viviam com medo e sempre a desconfiar de todos por causa dos bufos, a arriscares com os ossos na prisao e na tortura por teres assobiado uma canção proibida pelo regime no meio da rua e alguém te ter denunciado ou um agente da PIDE te ter ouvido, e mais uns tempitos num campo de concentração assim como o Tarrafal. depois voltas cá, bem velhinho, a explicar o que preferiste - a democracia cheia de defeitos que até te faz dizer que é pior do que a ditadura fascista, ou a ditadura. ficamos combinados?
1 · 4 h

João Mascarenhas Luis de Campos não fazes a mais pequena ideia da realidade do passado. Mas ok, não estou aqui para ensinar ninguém. Há internet, usa-a
4 h

Luís de Campos E foi o Soares que trouxe a liberdade e a Democracia... por controlo remoto... em Paris.... Um grande ladrão aproveitador... ele e muitos outros... o que não falta são ladrões.
1 · 1 h · Editado

Maria Adelaide Caldas muito bem Ana Figueiredo adorei o que escreveu. Mas á muitas pessoas que não sabem o que era miséria e andar descalço só os meninos ricos é que tinham sapatos . Outros tinham umas tamancas para ir a missa. Só as calçavam há entra dá para não estragar . Eu sei o que falo . E se hoje temos liberdade de falar mal de todos os governantes , agradecemos aos capitéis devaneio e a este Sr Mario Soares que tanto odeiam , mas não sabem nada da vida. Obrigado a todos que pensam como eu
1 h

Luís de Campos A liberdade de encher o bolso com dinheiro dos cegos... o homem que lutou pela liberdade no conforto de Paris... vivam os chulos.... um mal não é apagado com outro mal... Merda é merda... Não há ditadores maus e ladrões bons....
18 min

Luís de Campos Não é de admirar que o Socrates tenha tido visitas em Évora e pessoal a apoiar na sua saída... ainda vai ser Presidente...
17 min

Rui Jorge Soares Agradecam ao homem, nao fosse ele e hoje nem nas redes socias poderiam escrever as alarvidades que escrevem...
106 · 19 h
Ocultar 53 respostas

Alexandra Pereira soares o inventor das redes sociais...
37 · 19 h · Editado

Sérgio Sousa bla bla bla bla bla
19 h

Luis Man Alexandra Pereira es uma ignorante e daquelas bem grandes
5 · 19 h

Alexandra Pereira Não, não sou. Reconhecer o legado de Soares é diferente de beatificá-lo, incluindo os que até ontem diziam cobras e lagartos dele.... ou exigir unanimidade absoluta. Eu não tenho políticos como santos. Se você tem, ponha lá no altar.
15 · 19 h · Editado

Luis Man Mas eu chamel- lhe santo por ventura ??? Alexandra Pereira
3 · 19 h

Alexandra Pereira Então se não lhe chamou santo, o que deseja de mim?? Apenas não o beatifiquei e não creio que tenha sido nem o inventor das redes sociais nem o único combatente da ditadura.... Por conseguinte, vá chamar ignorante à mãezinha.
11 · 19 h · Editado

Duarte Figueiroa Rego A democracia deve se a muitas mais pessoas. Soares foi importante. É um facto. Mas se não fosse um melo Antunes é um Ramalho eanes queria ver como é que se teria feito frente à extrema esquerda totalitária. Se não houvesse um PPD é um CDS que em conjunto com o PS perfaziam mais de 2/3 da Assembleia queria ver como seria. A democracia foi obra de um conjunto e não obra de um homem só
16 · 19 h

Alexandra Pereira Não, não preferia. Acho é tremendamente irónico que estas virgens ofendidas nem vejam contradição entre santificar o "pai da democracia" e quererem unanimidade absoluta de opinião no país todo! O que é muito pouco (nada) democrático! Já p/ não falar nas tentativas de controle totalitarista/moralista das redes sociais.... dá vontade de rir.
10 · 19 h · Editado

Rui Jorge Soares Alexandra Pereira - entao esta a dizer que o estou a beatificar? Nao fosse Soares e Portugal teria transitado de um regime fascista para um regime comunista sovietico e para atestar o que digo existem factos: um dos quais o famoso debate Soares vs. Cunhal em 1975 que se nao viu, sugiro que va ver... observe a posicao do PCP em relacao a liberdade de expressao. Veja a posicao de Soares nesse mesmo topico (e apesar da oposicao interna do PS que no debate ele desvaloriza). Nao, Soares nao inventou as redes sociais, mas a sua luta pela liberdade de expressao e democracia permitiu que pessoas como voce andem no Facebook a dizer baboseiras.
5 · 19 h

Belem Matos Alexandra Pereira nao foi o inventor das redes sociais mas sim da liberdade de expressao entendeu ou quer que faça um desenho
3 · 19 h

Filipe Teixeira Que gozo, agora dizer que o Soares inventou as redes sociais... Que pura estupidez.
Toda a gente sabe que ele inventou os teclados touch onde o pessoal escreve estes disparates.
Soares o inventor dos teclados touch
4 · 19 h

Alexandra Pereira Os portugueses caem sempre nestes exageros.... Ora dizem cobras e lagartos do homem nos últimos anos (alguns dos que hoje tantas laudas tecem), ora fica doente e morre e exigem unanimidade absoluta, até numa plataforma incontrolável como as redes sociais!
2 · 19 h

Rui Jorge Soares Duarte Figueiroa Rego - nao tivessem eles esse aliado na esquerda e tinhamos mesmo levado com a esquerda totalitaria... ou entao uma anexacao a Espanha.
19 h

Miguel Teixeira Na verdade, mesmo antes do 25 de Abril se pôde dizer mal do MS.
4 · 19 h

Alexandra Pereira Belem Matos Não, Soares não "inventou a liberdade de expressão" -- fez muitas outras coisas incluindo defender a dele próprio e de outros, mas isso não, lamento desapontá-la....
2 · 19 h · Editado

Alexandra Pereira Rui Jorge Soares Caro senhor, esqueceu-se da grande amizade de Soares com Frank Carlucci, o qual tinha muitos agentes em Portugal a quem dava ordens (segundo o próprio em entrevistas americanas recentes).... tudo isso do regime de tipo soviético são meras especulações, a História foi noutra direcção, incluindo na ex-união soviética. Soares fez muita coisa boa, mas também fez algumas coisas más. Não era um santo, era um homem.
2 · 18 h · Editado

João Santos Odeio isso...... Mas Mário Soares tem apelido Jong Un e eu não sabia ? É porque idolatração à volta dele está parecido ao ditador norte Coreano que é chamado "Grande Sol do Século XXI" , Inventor de tudo e mais alguma coisa e idolatrado como Deus na Terra . QUE HORROR.........
2 · 19 h · Editado

Rui Jorge Soares Alexandra Pereira - mas alguem esta a dizer que o homem e algum santo? Estou bem ciente da influencia que Carlucci (e a CIA) tinha sobre todo o espectro politico da epoca com excepcao da esquerda radical. Sugiro no entanto que volte ao artigo e daquilo que se trata porque senao vamos entrar numa tangente. O artigo fala de posts de odio re-postados, alguns sem premissas factuais ou de origem questionavel e duvidosa assim como a posicao de certas faccoes da sociedade que nao escondem a sua afeccao pelo antigo regime. A minha constatacao e o caricato da sua luta pela democracia e liberdade de expressao que permite que ate idiotas que escrevem mensagens insultuosas e cheias de odio possam dar a sua opiniao.
19 h

Sandra Cunha Pela forma como falam, nota-se bem a liberdade de expressão que defendem!!!
(Piada!!!)
2 · 18 h · Editado

Maria Esteves Alexandra Pereira, combatente "da" ditadura??? Olhe que não, olhe que não!
Já agora como é que se beatifica um laico??
1 · 18 h

Hugo Teixeira O Soares inventou tudo. A Internet, o fa ebook, a liberdade de expressão. Só não inventou a falta de respeito pelas autoridades, pelo povo, o abuso de poder, a falta de respeito pelos habitantes das ex colónias, pelos refugiados da guerra de Angola.... Realmente, o homem é um santo!!!!
3 · 18 h

Alexandra Pereira Maria Esteves Você agora descobriu-me a pólvora também... o homem esteve preso múltiplas vezes e exilado, e não combateu a ditadura. Bom.... como se beatifica um laico é outra das boas perguntas (e ironias) disto tudo: mas que tem sido beatificado desde há um mês, tem. É sempre bom não sermos 8 nem 80. Se calhar parte destas reacções tem a ver com o espectáculo da morte em directo na tv (e no facebook) de há um mês para cá.
1 · 18 h · Editado

Alexandra Pereira Maria Esteves Só não se esqueça duma coisa também... praticamente todas as famílias portuguesas tiveram alguém a combater no ultramar.... e outra coisa ainda: também muitas famílias tiveram parentes que vieram do ultramar. E outra: todas as famílias têm alguém fora de Portugal cuja subsistência era impossível cá. Há gerações... é impossível que isto não gere muito desconforto com a classe política.
2 · 18 h · Editado

Maria Esteves Alexandra Pereira, qual foi a parte do combatente da ditadura que não percebeu??? O da estava entre aspas, ok, esqueça.
1 · 18 h · Editado

Alexandra Pereira Não percebi eu ou não percebeu você?
1 · 18 h

Maria Esteves Alexandra Pereira, praticamente todas as famílias? Qual a sua fonte para afirmar isso? Olhe que não, leia e vai ver quem eram os quase 800000 moblizados e os 8000 mortos, 250000 estorpiados e...
18 h

Alexandra Fontes Sério? Foi a sua bola de cristal que lhe disse?
Quem lhe disse a si que se não fosse este senhor não seria Outro? E, por ventura, menos aldrabão e ladrão?
1 · 18 h

Alexandra Fontes Sério? Foi a sua bola de cristal que lhe disse?
Quem lhe disse a si que se não fosse este senhor não seria Outro? E, por ventura, menos aldrabão e ladrão?
18 h

Alexandra Fontes Sério? Foi a sua bola de cristal que lhe disse?
Quem lhe disse a si que se não fosse este senhor não seria Outro? E, por ventura, menos aldrabão e ladrão?
18 h

Alexandra Pereira Bom, estou a ver que não só não percebe como refuta.... você parece negar o peso brutal da guerra colonial em toda a juventude dessa geração e nas suas famílias, por anos... daí que quando alguém vem saudar "únicos combatentes" isso seja muito mal recebido. Também nega a realidade da emigração?
18 h · Editado

Alexandra Fontes E isso invalida que tenha sido aldrabao e ladrao ?
18 h

Manuel Teixeira Tem razão rui... Já o salgueiro maia foi um zé ninguém né???
18 h

Maria Esteves Alexandra Pereira, fui eu, não a senhora, obviamente!!!!
18 h

Kátia Ribeiro Alexandra Pereira calada és uma poeta.
18 h

Maria Esteves Essa da emigração foi comigo, Alexandra Pereira?
18 h

Alexandra Pereira Está bem, vou-me calar. Esgatanhem-se aqui no feed à vontadinha, ou por muitos e longos anos, beatifiquem e diabolizem, insultem e esganem quem discordar, tudo em nome da democracia, que os vivos ainda têm mais que fazer.....
1 · 18 h · Editado

Mario Moutinho Não foi graças a ele mas aos militares do 25 de Abril ou já se esqueceram deles?
2 · 18 h

Marques Sousa São todos uns heróis... a Família está bem governada... foi o marfim.
17 h

Maria Esteves Alexandra Pereira, vou acabar esta conversa com a sra. do seguinte modo: 1. Ser combatente de uma coisa é combater por ela não contra ela;
2. Repito, verifique quem constituiu o grosso dos mobilizados para a guerra entre..;
3- Sobre emigração, apenas lhe pergunto, o termo Bidon Ville diz-lhe alguma coisa?
Para fim de conversa, a sra. tão inteligente não percebeu que eu, que não percebo nada, não refutei rigorosamente nada?? Aconselho Roland Barthes, pode ser??
17 h · Editado

Helder Soares o que vale é bque vozes de burra não chegam ao céu
17 h

Manel Mota Duarte Figueiroa Rego penso que se esqueceu General Jaime Neves no 25 nov
17 h

Carlos Gustavo Neto Muito bom. Não esquecer os telemóveis, se não fosse o Soares nem ao telemóvel poderiamos falar!
2 · 16 h

Alexandra Pereira Como a Maria Esteves está farta de me aconselhar leituras algo vagas, incluindo de Barthes (que supõe nunca li), deixo-lhe aqui só uma coisita para encher a pestana (embora haja mais, inclusive nos EUA). Mas leia bem e não se engasgue..... http://revolucaoedemocracia.blogspot.pt/.../o-financiamen...
1 · 16 h · Editado

João Marques Até foi ohomem que esteve presente no 25 de abril
16 h · Editado

Luis Carvalho Se ele ajudou a nós tirar do fascismo. Por outro lado entregou ou deu o que não devia. Colocou Portugal mais pobre e criou um partido que passado 40 anos este país ainda está na mesma.
2 · 13 h

Fernandoz Pereiras Pra RIR
13 h

Rui Sousa Se não fosse ele? Ah...grande...fez tudo sozinho...
1 · 10 h

Francisco Domingues Grande falácia... se não fosse ele era outro ou outros até. Agradecer a um homem que nos reduziu à pequenez de hoje em dia? Que nos retirou um passado glorioso de conquistas e descobrimentos? Que passou uma borracha ao esforço e coragem de um povo que escreveu história? A cobardia não nos devia caracterizar mas foi isso que aconteceu, abandonamos as nossas responsabilidades cobardemente devido a um homem, a Soares, obrigado porque?
1 · 9 h

Ana Figueiredo Todas as nações do mundo reclamam o seu passado glorioso. Todos os povos o tiveram. Os povos orientais que hoje violentamente espezinhamos, passaram por eras douradas. A Grécia onde foi inventada a Democracia, a China que na idade média da Europa vivia o seu renascimento. A nossa pequenez e que nos leva a pensar que só nós fomos gloriosos.Durante 40 anos embebedaram o povo ignorante com essa ideia.
2 · 7 h

Maria Sá Agradeça é ao Jaime Neves, militares, Eanes...esses sim!!!
6 h

Marco Rafael Não é bem assim. Ele nem cá estava. Se calhar foi a figura que mais se notou mas muitos mais importantes anônimos fizeram mais que ele. Agora o homem teve cargos políticos e foi presidente da república logo é normal darem lhe a devida a atenção.
1 h

Luís de Campos Ele também inventou o Facebook querem ver???
15 min

Luís de Campos
15 min

Paulo Geraldo O Público lá por ser juntamente com o DN, o jornal oficial da geringonça, acha que todas as pessoas são obrigadas a gostar do Mário Soares, e a serem hipócritas... As pessoas têm o direito a não gostar...
100 · 19 h

João Filipe Camões Direito esse que foi em grande parte devido ao papel do Mario Soares .
14 · 19 h

Liliana Cunha Eu não gosto dele por o Público ou qualquer outro meio de comunicação me diz pra gostar!!!
Eu gosto, porque graças a ele hoje não somos um país comunistas e porque tenho liberdade de expressão...
6 · 18 h · Editado

Hugo Teixeira Liliana Cunha graças a ele não somos um país comunista? Lava-me essa boca a próxima vez que fores dizer uma alarvidade dessas!!! O General Ramalho Eanes impediu que os comunas ganhassem a sua revoluçãozinha, enquanto o teu quero Soares foi passear a fazer de fantoche para o Porto.
7 · 18 h

Hugo Teixeira João Filipe Camões e tu também. Só dizem disparates vocês.
18 h

Antonio Garcez Liliana Cunha Agradeça é aos Comandos que no dia 25 de Novembro cascaram nos comunas , não foi este Porco Gordo do Soares que o fez !!
4 · 12 h

João Mascarenhas porco gordo? vi a tua foto de perfil e tu também és um porco gordo.
4 h

Antonio Garcez João Mascarenhas vai para a puta que te pariu , ó esquerdalha !!!
2 h

Emanuel Leston ENCONTREI :D :D
"
# O tal que deixou um milhão de Portugueses pendurados sem ponte aérea nas Colónias em 1975; que em 1974 disse à Der Spiegel "Em caso de emergência atiraremos sobre os colonos brancos", e que no Brasil em 1973 disse que só havia uma solução para os Portugueses ultramarinos: "atirá-los aos tubarões"
# O tal que enterrou DUAS vezes PORTUGAL no FMI em 1977 e 1983 como Primeiro Ministro
# O tal da Fundação que recebeu 1,33 Milhões de euros do Estado e ficou isenta do pagamento de 220 mil euros de impostos ao património
# O tal que "foi" lacaio da maçonaria do GOL em Portugal e lacaio da Maçonaria em França
# O tal cujo filho caiu num avião atulhado de marfim traficado em Angola
# O tal arruaceiro que insulta Juízes e diz "Ó Sr. Guarda, desapareça" na televisão
# O tal que que acusou em 1980 o General Ramalho Eanes de traição política por ter elogiado a AD de Sá Carneiro.
# O tal que mandou instaurar um processo disciplinar e expulsou Zenha do PS, por este ter apoiado Ramalho Eanes.
# O tal que participou em Julho de 1973 numa manifestação em Londres contra a visita de Marcelo Caetano, onde se queimaram vários exemplares da Bandeira Nacional.

"
Acho que Soares não foi uma pessoa correcta.A luta foi grande mas o resultado foi pequeno, e foi por causa dele. Ele teve poder absoluto e usou-o para beneficio próprio e para a construção de uma geração politica deprimente.

P.S:Deixa-me só ligar po homem da g3.Pode ser que ele volte...
70 · 19 h
Ocultar 18 respostas

Paula Ribeiro Outra vez??? Pesquisem a verdade
2 · 18 h

Emanuel Leston Paula Ribeiro Qual ? a minha ou o que outros escreveram? Eu acho claramente que a maioria da nossa classe politica é um nojo. Sempre a cuspirem em cima uns dos outros. Depois de tanto ódio destilado , a melhor solução que arranjam é submeterem-se mais um pouco. Sinceramente acho que o meu computador com 8gb arranja uma solução melhor , Pode demorar umas horinhas, mas em tempo util chega lá.

#Automanage
1 · 18 h

Alexandra Fontes Alguém que desminta com provas, o que acima foi dito?
18 h

Emanuel Leston Alexandra Fontes Pois , também estou à procura... mas já vão tantos anos, que têm existido diferentes respostas. Lá está eu só limitei-me a copiar e a colar.
Da minha parte só comento o resultado e a realidade que me deram a conhecer dele próprio(está mais pó fim)xD. O resultado não é animador.Se fosse, este país estaria melhor.
1 · 18 h

Emanuel Leston Diogo Bação xD isso é muita informação ò DIogo ahaahahaaha
1 · 18 h

Victor Bicho Diogo Bação , acha que fazem alguma coisa ? é tudo farinha do mesmo saco estes políticos portugueses.
1 · 17 h

Victor Salvador Encontraste mentiras...aprende primeiro alemão e depois lê o que lá esta escrito!!!
1 · 17 h

Emanuel Leston Victor Salvador só quando eles aprenderem primeiro Portuguêz B|
1 · 17 h

Francisco Esgalhado Emanuel Leston E muito do que ainda está on-line vai desaparecer... se se procurarem factos sobre o actual primeiro nos períodos 2005-2010, veja o que descobre... e depois tire conclusões :-)
13 h

Carlos Pacheco Emanuel Leston com o que escreves e da maneira que escreves, fico surpreendido por não te sentires representado pela "classe política".
8 h

Carlos Pacheco A Alexandra Fontes é a principal responsável pelo estado a que chegou o país sendo a principal mentora e inspiradora de tudo o que correu mal em Portugal. Não acreditam? Então alguém que desminta... com provas.
7 h

Manuel Baptista # o tal que visitou o 44 várias vezes...
# e falta a história da Cruz Vermelha...
3 · 7 h

Emanuel Leston Carlos Pacheco Eu só partilhei , não fui eu que fiz aquilo :) Não tenho tempo xD Mas acredite que há algumas coisas que tenho ouvido e visto, já algum tempo. A parte de baixo é que é o meu comentário. Fico contente que esteja grato pela nossa geração politica. Já pus aqui na minha folhinha, +1 . É dos poucos...
5 h · Editado

Ana Susana Dias Emanuel Leston oh homem, isso é tudo mentira, vc acabou de fazer figura de urso...
4 h

Emanuel Leston Ana Susana Dias Ò Susana, deixa-me que lhe diga! fica lhe muito bem o fato. Está linda!
4 h

David Duarte Ana susana dias...os burros com palas veêm melhor que vc...antes de chamar mentiroso a alguém informe-se sua malcriada...o Mário Soares so nao é o maior corrupto portugues de todos os tempo pq no final os lacaios faziam o trbalho sujo...
1 · 3 h

Carlos Pacheco Emanuel Leston ainda bem que ficas contente. Eu também e mesmo não estando muito satisfeito com a classe política, o facto de não estares lá incluído, já me alegra o suficiente.
31 min

Emanuel Leston Carlos Pacheco Ahhhh agora já não está? Só um momento ... -1 ... Tantos indecisos hoje pá....
Que palhaçada! É o que isto é!
Faça-me um favor e abra os olhos e veja em seu redor. Portugal foi engolido por gatunos, gatunos esses que vão vestidos de ...Ver mais
18 min · Editado

André Da Silva Reis http://expresso.sapo.pt/.../2017-01-08-Hoje-no-dia-da-sua...

Aos ingratos e incultos. Informem-se, leiam... Custa mas vale a pena, porque a ingratidão e a injúria é uma forma muito baixa de existência. Este texto foi escrito por um retornado, e por isso tem ainda mais valor.
16 · 18 h · Editado
1 resposta

Alexandre Costa Toda gente fala dele como o boby o construtor quando outros como Álvaro Cunhal o fizeram com mais afinco e o sentiram na pele. Com todo o respeito..mas Dr Mário Soares não passou metade do que muitos passaram por causa da tal democracia.
13 · 18 h

Filipe Silva Se estamos no país da liberdade porque não posso ter uma opinião diferente? Para mim não se perdeu nada. Já vai é tarde. Ou querem que relembre aqui algumas passagens? Camarate, o acidente do filho de avião, até as relações extraconjugais, a fundação, e já na fase senil a defesa do Sócrates etc etc
9 · 17 h
2 respostas · 1 h

Victor Lopes Este artigo é uma tentativa de branquear Soares focalizando-se nos boatos sobre a sua pessoa.
A questão não está nos boatos mas nos seus actos pelos quais sofreram muitos portugueses.
Com tanto ressentimento contra este politico, por um lado e uma quase unanimidade por parte da imprensa e poder político, é legítimo duvidar da legitimidade destes dois últimos.
14 · 19 h · Editado
1 resposta

Joao Manuel Barbara Bernardo Pena que no nosso ensino apenas falem da história gloriosa do nosso povo há séculos atras.
Pois em nenhum manual escolar se fala da história recente nem sequer há autorização para se falar sobre isso nas escolas, pois se houvesse provavelmente haveriam muitas mais opiniões sobre o senhor de gerações mais novas.
13 · 19 h

Nuno Carvalho opiniões não faltam, a maioria não sabe é o que diz...
19 h

Nuno Campos Existem vários livros e manuais que abordam a história contemporânea de Portugal, a fnac por exemplo está cheia. O problema está muitas vezes nas pessoas, em não crer ler! Esse sim continua a ser um grande problema.
5 · 19 h

Joao Manuel Barbara Bernardo Na fnac sei perfeitamente que existe, como em outras livrarias.
Mas nos manuais escolares e na escola não se fala.
1 · 19 h

Nuno Campos Joao Manuel Barbara Bernardo, no secundário eu acordei esses assuntos, posteriormente na licenciatura também.
1 · 19 h

Raphael Sousa Os assuntos recentes, como estes, "sempre" (pelo menos desde que andei no ensino básico/secundário até ao momento actual) foram dados no final de cada ciclo; isto é, no final do 6º, do 9º e do 12º anos.
1 · 19 h

Emanuel Leston Caro Nuno Campos 2 capitulos para 8 No meu antigo manual. Em que 2 fala-se da história monárquica Portuguesa ,e 8 das artes e da história do mundo. Se calhar tou a leva-lo em erro, mas deve ser 2 a 3 folhas até ao estado novo. Depois ... puff censored B|
19 h

Ricardo Morais O comentário do Joao Manuel Barbara Bernardo é um exemplo claríssimo do que se fala no artigo. O actual programa de História do 9.º ano do Ensino Básico (escolaridade obrigatória!) tem como dois últimos capítulos "Do segundo pós-guerra aos anos 80" (onde se discute a Guerra Fria, o anti-colonialismo no pós-guerra, a Primavera Marcelista, o 25 de Abril e o PREC, a Constituição de 1976, a introdução das primeiras medidas neoliberais nos EUA e Reino Unido, o colapso da URSS) e "O pós-Guerra Fria e a Globalização" (EUA como única super-potência político-militar, a adesão de Portugal à UE, o 11 de Setembro e o terrorismo global associado ao integrismo islâmico, a Guerra do Iraque e Afeganistão, e as dificuldades estruturais da economia portuguesa contemporânea).
E isto tudo, a acreditar em si, quando "nem sequer há autorização para se falar sobre isso nas escolas"...
3 · 18 h

Mario Jorge Ribeiro E que iríamos ensinar. Um antro de compadrio, corrupção, ladroagem e sacanagem.
8 h

Joao Manuel Barbara Bernardo Mas isso aprendem is laranjinhas e os rosinhas nas respectivas juventudes para garantir que isto se mantém assim.
Não precisam ir a universidade para aprender isso.
1 · 8 h

Pedro Henriques Gonçalves Por várias razões e, principalmente, por ter sido uma figura de inegável importância e participação política e social, a morte de Mário Soares suscita reacções de "amor" e "ódio" (à pessoa, entende-se).
Isso parece-me normal e deve ser respeitado, uma vez que as opiniões, quando não ofensivas, são sempre válidas, nem que seja para o seu emissor. Mas entristece-me, como mero cidadão, ver alguns jornalistas e outros tantos comentaristas, a diminuir aquilo que em liberdade todos podem apresentar: as suas ideias!
Como está atitude, os tais jornalistas, vão menosprezando muitos dos seus leitores, não só pela ignorância que acarretam, mas por querer encarreirar junto da maralha das "verdades indesmentíveis" e do politicamente correcto.
A maioria dos comentários que vou lendo não são simpáticos para Soares, o que deve querer diZer que todos os "retornados" e "adoradores do Estado Novo" vieram às redes sociais e jornais emitir opinião... Ou que está amostra demonstra que a maioria dos portugueses pode ser ligada a essas duas facções.
Sejam sérios, pensem, leiam e investiguem. Isso, além de permitir melhorar o vosso trabalho, fará com que não desrespeitem os portugueses e mesmo a memória de Soares...
Agora preocupem-se em prepara desculpas para a falta de enchentes que gostariam de noticiar na 3a feira!
4 · 17 h

Francisco Carrico nao ha nada a agradecer a um papao que se usou dos pobres portugueses povo trabalhador unesto para se realizar e aproveitar e enriquecer toda a familia corrupta que ainda hoje comenda os destinos do nosso pobre portugal
10 · 18 h

Mario Jorge Ribeiro N° 34 da Der Spiegel. "Atirem-nos aos tubarões". O que se passa é que os filhos já só podem lembrar, porque muitos dos que podiam falar já partiram, ou perderam a memória. Agora é fácil "branquear", marfins e diamantes. Mas não será fácil calar as memórias passadas.
7 · 8 h · Editado

Válter Santos Incrível como os mentirosos são sempre apanhados. Nem sequer sabe o que realmente se diz. Não terá sido na Der Spiegel que ele diz isso, já misturou tudo. Mas se abrisse o artigo em vez de comentar só a notícia já saberia que ambos são mentira.
1 · 6 h · Editado

Mario Jorge Ribeiro http://www.espoliadosultramar.com/ip0.html
6 h

Mario Jorge Ribeiro https://saladainquietacao.wordpress.com/.../palavras-que.../
6 h

José Martins De Zinolhos Muito interessante este raciocínio!... Mas se isto fosse verdade, não pode ser declarada a santidade do Homem porque afinal cometeu muitos pecados "mortais". Vejam-se as guerras civis que ocorreram nesses países.
5 · 19 h

Ana Susana Dias great. agora a culpa daqueles povos não se entenderem e andarem em guerra é do soares? foda-se, pá, eu sei que ele é GRANDE, mas não fazia ideia que tinha tanto poder assim....
4 h

José Martins De Zinolhos Ana Susana Dias Teve o poder de os abandonar e os deixar entregues à sua triste sorte. Com muito respeito pelo que pensa, conhece algo de história?
1 · 3 h

Emanuel Leston José Martins De Zinolhos A Ana é a favor de deixar crianças na rua até aos 13 anos de idade. Elas orientam-se!
9 min

Armanda Esteves É curioso, ninguém se lembra dos milhares que morreram a defender as ex colónias.
Ninguém se lembra das famílias que ficaram desfeitas com essa guerra inútil.
Ninguém se lembra do estado em que vieram e o que sofreram os ex combatentes.
Não as queriam entregar, mas fizeram algo para as defender?
9 · 16 h · Editado

Válter Santos Porque é que não questionas isso ao Marcelo Caetano e ao Salazar que deixaram as coisas andar até aquele ponto?! Pois.
1 · 6 h

Armanda Esteves Agora disseste tudo, esses são os grandes responsáveis. Deixaram as coisas chegar a tal ponto que já não havia qualquer hipótese de negociações! Os responsáveis por aquilo que aconteceu aos retornados são eles e não o Mário Soares!
1 · 6 h · Editado

Ana Susana Dias lembro-me, sim, e lembro-o várias vezes nestas discussões. os aziados vingativos e rancorosos é que não gostam nada nada de serem lembrados disso. estão-se a CAGAR no sofrimento de dezenas de milhar de homens e suas famílias porque o que queriam era continuar a viver à francesa com os criados pretos a servi-los.
1 · 3 h · Editado

Manu de Oliveira Palhaçada vir agora dizer que são os retornados e os do anterior regime que não gostam, ou são contra, ou dizem mal de Soares, tudo tretas esses que sempre lhe fizeram oposição agora beijão na mão, o povo e o país não lhe deve nada, pois ele bem o levou, e se não fosse ele era outro qualquer a lutar pela liberdade pois candidatos não faltavam. Salgueiro Maia e outros capitães é que acabaram com o regime e com o lápiz azul, e ainda bem pois assim podemos dizer abertamente que não gostamos de Soares! Soares esse que só nos ultimos 40 anos uns 20 esteve no poder e hoje é o que se vê é um tál roubar e o povo sempre a pagar.
5 · 18 h

Luciano Teixeira de Araújo As colónias portuguesas tiveram a sua independência principalmente porque não foi mais possível mobilizar jovens militares para continuarem numa guerra sem sentido. Mário Soares como esteve sempre na liderança do Portugal democrático, foi ele que encabeçou as negociações. Se não fosse ele, talvez seriam Lobo Antunes, Sá Carneiro, Costa Gomes ou outros que estavam na frente pela luta democrática. Tenho amigos ditos "retornados" que são excelentes pessoas e amigos. Nenhum é ressabiado. Todos sabiam que isto ía acontecer. Os colonizadores franceses e holandeses já tinham perdido ou entregue as sua colónias, depois de grande derramamento de sangue. Portugal, perante o mundo democrático europeu, era o último colonizador, que devia deixar a guerra. Enfim. Fala quem não viveu o momento.
1 · 7 h

Pedro Duque 1924-2017 | Gostava de deixar aqui uma pequena reflexão. A história é muito importante e faz com que a sociedade possa evitar repetir erros do passado. Mário Soares não se define por ter sido um socialista ou um republicano, chefe de Governo ou de Estado, nem mesmo político, que como qualquer outro que tenha estado activo tempo suficiente e assumido responsabilidades maiores, quaisquer que fossem as circustâncias, cometeu erros que permitam apontar-lhe o dedo aos insucessos. Mário Soares, perdoem-me o tratamento coloquial, é uma das mais relevantes figuras da nossa história e "é" e será sempre um referencial da liberdade e da democracia. Todos nós lhe devemos isso e, gostando ou não de um ou outro aspecto da sua política do percurso pós revolucionário, mostrem respeito por quem lutou, esteve preso, foi torturado e exilado, voltou e lutou para ajudar a que os dois tipos de ditadura que estavam à espreita até ser consolidada a nossa jovem democracia não vingassem e que, entre outros resultados, permita hoje escrever as obscenidades e ignominias que tenho lido desde que foi internado. A liberdade de expressão - felizmente - permite-vos isso, na exacta medida que também me permite esta crítica que vos faço.
9 · 16 h

Ricardo Henriques Silva "Só que não se encontra o dito artigo de Santana Mota, o correspondente brasileiro em Lisboa, desconhecendo-se as circunstâncias em que a suposta declaração teria sido produzida ou sequer o seu teor: teria um sentido literal ou seria uma força de expressão?"
Ri-me. 😀
3 · 19 h

Ana Susana Dias fez mal. porque é caso para chorar haver tanta gente burra e crédula que enfiou uma PATRANHA destas pela boca abaixo e a anda a reproduzir desde aí . se NUNCA NADA NEM NINGUÉM CONFIRMOU TAL ATOARDA, É ÓBVIO QUE ERA MENTIRA. mas vc ri-se com mentiras... é consigo...
4 h

Ricardo Henriques Silva Vou explicar devagarinho e sem recorrer ao caps lock, a ver se me faço entender (o que pode não ser fácil):

Num artigo sem emoções pessoais, os jornalistas referem-se a coisas ou acções com adjectivos como «o referido» em vez do desdenhoso «o dito», e «alegada» ( = não provada) por oposição a «suposta» (muito mais conotada como fictícia). Mas acima de tudo, e é este o ponto que me fez rir, num artigo "normal" o jornalista não questiona se a «suposta declaração» «teria um sentido literal ou seria uma força de expressão», como quem insinua que «mesmo que o tivesse dito, era da boca para fora». Estamos entendidos?

Já agora, se você conclui que "se nunca nada nem ninguém confirmou tal atoarda, é óbvio que é mentira"... é consigo. Eu, que não privei com Mário Soares, não posso afirmar com essa certeza toda o que ele disse ou deixou de dizer.
1 · 3 h

Ruim Damásio a mim parece-me que o Público esta-se a esquecer de algumas coisas!! explique lá as malas de macau e a história do avião que caiu, o trafico de armas para as ex-colonias. vivemos num país livre e com liberdade de expressão e as pessoas têm o direito de não gostar "dele" e ter opinião própria e o publico tem o dever de informar e não ofender as pessoas e os leitores.
ninguem quer saber a opinião do jornalista ou do jornal, as pessoas esperam ouvir a história como se passou e não como o jornalista a vê!
13 · 19 h

João Paulo Se não fosse cobardolas reles, provava o que insinua. Mais um réptil a provocar e a cuspir merda para o ar.
1 · 19 h

Ruim Damásio João Paulo ´réptil és tu bimbo, papa galinhas!! é mentira que o avião caiu cheio de marfim com o filho dele lá dentro? é mentira as malas cheias de dinheiro rque vieram de macau e foram apanhadas pela policia? é mentira o trafico de armas para as ex colonias? volta mas é para a quinta que tens mesmo pinta de quem ia a peida as galinhas quando eras pequeno!!
1 · 18 h

João Paulo Se não fosse cobardolas reles, provava o que insinua. Cobarde, a justiça aguarda o seu testemunho. E vai chamar pai a outro.
18 h

Ruim Damásio João Paulo óh seu filho duma puta alguem falou do cabrão do teu pai ou da puta da tua mãe? bolinha baixa, e vai comer a peida das galinhas!!!
tou cheio de medo de ti ou da justiça corrupta deste país!!
1 · 18 h

José Martins Que raio de treta...sempre que morre um político (seja ele de que partido for), quando morre um toureiro, quando morre um futebolista ou quando morre alguém conhecido, aparecem sempre idiotas a aplaudir. Não há nenhum fenómeno sociológico por detrás. É de maldade e estupidez puras que se trata!
5 · 19 h

Sandra Rodrigues Errado, veja os comentários sobre as mortes do Dr Daniel Serrão e doPresidente da Camara de Matosinhos, vai ver comentários muito diferentes.
18 h

Teresa Ricardo Seja honesto!
18 h

José Martins Teresa Ricardo, qual foi a parte que não compreendeu?
1 · 18 h

Teresa Ricardo José Martins Leia o comentário da Sandra Rodrigues, por exemplo... se quer branquear não vá por aí.
18 h

José Martins Ainda não analisei os casos do dia!
2 · 18 h

Tiago Ribeiro Malvadez? Um criminoso sem escrúpulos que tanto roubou e tanto mal desejou e fez a Portugal... Ter morrido de velhice aos 92 anos foi do mais humano que alguém como ele poderia sonhar ter...
3 · 16 h

Filipe Sampaio O sr. politicamente incorrecto passa a ser estrela de Portugal, os portugueses esquecem se que a mentalidade de à 30 ou 40 anos atrás era outra, fácil de manipular tudo e todos por isso é que ele chegou onde chegou! Nos dias de hoje não teria chegado onde chegou nem tão pouco mais ou menos! "Atirem no aos tubarões"...
38 min · Editado

Ana Cristina Cordeiro Valente Quantos portugueses, da metrópole, morreram na guerra? Quantos sobreviveram, mutilados? Quantos regressaram com traumas de guerra incuráveis ?
Quantas mães ficaram sem os filhos e quantas noivas ficaram por casar?
Se tudo correu bem? Claro que não. Nasci na guerra na Guiné, tive tios que retornaram de Angola. O meu marido e a família viveram o drama. Respeito. Mas acredito que a guerra colonial não podia continuar e durou muito mais do que o necessário para se prever o desfecho...
Nao prestem homenagem a quem não gostem. Mas não insultem.
O respeito demonstra se, não se paga...
5 · 17 h

João Marques Looooooooooooooooool! Somos todos fascistas e não o sabiamos! Jornalismo em altas, imparcialidade está quieto! O sr marinho mandava os ditos retornados aos tubarões ou então fusilava-os, ficou euforico com a morte de um ser humano e nós não podemos porquê? Colocou país na bancarrota duas vezes e, tanto ele como familia e fundação, mamaram dinheiro à pala aqui do contribuinte.
7 · 16 h · Editado

Miguel Santos Por ignorância , estupidez, por pessoas que nem sequer conhecem Mário Soares , mas que deixaram , entulhar a cabeça por atrasados mentais . Não são só saudosistas do 23 de Abril , são também comunistas em empedernidos , que nunca lhe perdoaram por ter evitado o País cair numa ditadura comunista ...
20 min

Joaquim Alexandre Varanda novidade...o jornalista do publico baldou-se às aulas de história... caro pelo que se passou não à volta a dar, há os que odeiam e nunca vão deixar de odiar e existem os outros...os que odeiam são aqueles que viram o seu modo de vida andar para trás...qual a novidade?
2 · 8 h

Humberto Ramos Provavelmente o jornalista pertence ao grupo daqueles que., na época ainda não comia pão.
Daí alheamento da realidade dos que sofreram na pele , as prepotencias dos ditos donos da chamada democracia, com assento obrigatório na Constituição rumo ao Socialismo......engraçado não é? Podem votar, mas já sabem para onde têm que ir....
Um rebanho de ovelhas não era mais obediente!
Por isso tudo e não só ,não será de estranhar as aleivosivas de jornalistas , que no seu desempenho, limitam se a obedecer a rumos impostos...
4 · 17 h

Terezinha Guerreiro Já que veneram tanto um regime ditatorial, aconselho emigrar para a Coreia do Norte...um espetáculo no que concerne à liberdade de expressão é democracia!!!! Talvez aí consigam raciocinar direito!!!
16 · 19 h
1 resposta

Margarida Brites Discordar da figura de Mário Soares não é sinónimo de ódios mas sim de um Estado democrático onde todos podem sentir livremente quem foi para si este homem!
1 · 9 h

Bernardo Oliveira Nunes Mas que foi expulso da maçonaria por falta de idoneidade, da sua participação no atentado de Camarate, pois sabia de antemão que ia ocorrer, que o seu "cativeiro" em São Tomé foram umas férias balneares, a fundação que servia para fugir a impostos e lavagem de dinheiro proveniente dos diamantes e marfim de África... investiguem bem esse sujeito, que podres ele tem e muitos... bem que usou e viveu à grande à nossa custa!! E o português ainda aplaude e chora a sua morte...
deixem a sua família chorar a morte do seu patriarca, porque acabou a mama!!
1 h

André Seabra Jornal do regime!! Acabei de apagar a vossa app. Vergonha de jornalismo!!! Toda a história tem 2 lados pelo menos e vocês só mostram o que vos convém!

Controlo dos media é das maiores vergonha que vivemos!!
2 · 10 h

Melissa Nunes Curiosamente, os que vieram das ex-colónias, e passados 40 anos, ainda se queixam de o Mário Soares ter desejado que fossem atirados aos tubarões, são os mesmos que usufruiram de apoios(IARN- Subsídios dados para alimentação, alojamento e criação de negócios) e que vieram numa ponte área que só foi possível graças à amizade Soares-Carlucci. Portanto as palavras que pode ter dito foram compensadas pelas suas ações. A minha mãe veio nessa ponte aérea, por isso sei do que falo. Apenas não apresenta um saudosismo irracional e consegue compreender que a descolonização necessitava de ser feita.
8 · 16 h · Editado

Ana Figueiredo Tal e qual os meus familiares que nem as pontes aéreas utilizaram. Foram cuidadosos, respeitaram o que se seguiu. Nunca abdicaram da sua nacionalidade, mas já no tempo da outra senhora e porque conheciam bem a realidade e a rua, falavam da necessidade da independência até para libertar os portugueses do pesadelo da guerra.
1 · 7 h · Editado

Raquel Teixeira Um pouco de história não lhe fazia mal , mas não essa dos políticos criada para ficarem bem na foto, mas a real que é bem mais triste, o IARN só favoreceu meia dúzia de lambe botas de quem alimentou a guerra colonial com o trafico de armas, mas isso eles não contam. O avião que caiu com o filho desse senhor dentro abarrotado de marfim traficado de África certamente também foi uma utopia!
1 · 6 h

Melissa Nunes Preciso de saber História... Mas a sua interpretação dela ou a história real?
2 h

Lu Brás Verifica .se infelizmente que há pessoas que aproveitam as redes sociais para despejarem o veneno que nunca tiveram oportunidade de o evidenciar Lamentamos que tal aconteça .....
17 h

Alex Ferreira Como pode questionar o autor deste artigo as fontes jornalisticas de outrora? Felizmente ainda ha evidencias áudiovisuais ele mandar a policia embora
1 · 18 h

Elsa Santos Sou refugiada de Angola e gostaria de desafiar alguns portugueses a responderem a uma simples questão: se acontecesse o mesmo em Portugal, como reagiriam os portugueses? O meu pai esteve 25 anos em Angola e todo o seu pecúlio, conseguido à custa de muito suor e trabalho, ali ficou. Sou uma pessoa revoltada com os políticos que, à data, foram os responsáveis pelo processo vergonhoso da descolonização, entre eles o Sr. Mário Soares. Não fui nem sou contra a descolonização mas sim a forma como esta foi feita. :(
8 · 18 h · Editado

Samuel Pa nem mais Elsa Santos. Tb sou refugiado de Angola. E só nós sabemos o que nos custou e ainda custa... Fomos roubados não só dos nossos bens, como da dignidade... A descolonização era uma inevitabilidade ... o atropelo mais básico dos portugueses não.
2 · 18 h

Elsa Santos Samuel Pa
1 · 17 h

Ivone Mendes Da Costa Não vão conseguir responder Elsa Santos... já fiz a mesma pergunta várias vezes ... falar é fácil , passar o que passamos é que não. ..
1 · 17 h

Elsa Santos Ivone Mendes Da Costa Então, que se calem para sempre e não falem do que não sabem nem vivenciaram!
2 · 8 h

Ivone Mendes Da Costa Pois deviam ...
8 h

Carlos André O choradinho e' incrivel, se tanto perderam nas colonias porque nao la' ficaram a lutar pelas mesmas? E' bonito e' quando outros morrem por voces, nao e'??? Hipocritas.
1 h · Editado

Carlos Almeida Saudosistas do antigo regime!.... rótulos de um jornalista e de um jornal que não se documentaram suficientemente sobre o processo de descolonização e mandam uma bujarda desta sobre quem critica o principal responsável pelo tragédia que foi a dita "descolonização exemplar". Ouvi (não li) na RTP o então Primeiro-Ministro Palma Carlos dizer que incumbui Mário Soares de ir a Moçambique fazer uma primeira reunião exploratória com a Frelimo e que o mesmo veio de lá com a data da independência marcada. O exército português estava preparado para reprimir movimentos brancos armados como disse Mário Soares, mas tinha ordens para não intervir em defesa dos portugueses lá residentes.
16 h

Carlos Pacheco Claro que a descolonização não foi exemplar, foi a possível. Quem era o politico da altura, que conseguia continuar a enviar contingentes para as colónias, sem ser corrido no próprio dia. Ou então talvez o sr. preferisse trocar esta descolonização, com todos os seus defeitos, por uma guerra civil em Portugal.
8 h

Lina Maria Zagalo Neves E sempre a cair-me no prato da soupa .... irra Carlos Pacheco ve-se mesmo que não foi militar nos anos 60/70. Ja depois do 24 de Abril foram muitos contigentes para Angola, Moçambique e Guine. Na Guine esteve o meu marido que era da Forca Aérea, e ja depois de Abril de 75. Por favor não teime com quem sabe da matéria ... porque a viveu em carne própria.
7 h

Carlos Almeida Carlos Pacheco, pelos vistos não viveu aqueles tempos aqui em Portugal e muito menos em Angola e Moçambique. O que eu critico foi 1) a leviandade com que foi tratada a descolonização. Limitaram-se praticamente a marcar só as datas das independências, sem negociar nada; os portugueses e os bens dos portugueses não foram tidos em conta, tanto mais que os que saíram poucos dias da data da independência de Angola depois só entravam com autorização do novo país e como muitos não conseguiram viram os seus bens nacionalizados ao fim de 45 dias de ausência; 2) o desprezo, o abandono, a falta de protecção e, ainda mais grave, a maior protecção dada aos movimentos de libertação do que aos portugueses residentes naqueles territórios. Estava em Angola e sei do que falo. Os militares portugueses tinham ordens para não intervir contra desacatos praticados pelas populações locais e pelos movimentos de libertação. Os responsáveis militares que quiseram manter a ordem e o respeito, foram imediatamente substituídos. Os portugueses que estavam em África não contavam, o que era preciso era entregar os territórios de qualquer maneira e não me venha com essa desculpa da guerra civil e da descolonização possível. Isso é branqueamento dos erros cometidos e desculpa dos que não estiveram à altura das responsabilidades da descolonização ou não quiseram estar.
2 · 5 h

Basilio Garcia Será bom não confundir grande lutador pelas liberdades democrática com o de péssimo governantes, FMI por duas vezes, e falta de capacidade para a gestão das justas independência, originando o abandono de quem lá trabalhou e a insegurança dos que lá ficaram, provocando perto de um milhão de mortos e dois milhões de refugiados. Os retrógrados apenas invocam os portugueses e muitos angolanos que deixaram as colónias e não se lembram dos naturais, que também são pessoas, que ficaram abandonados a mercê dos interesses dos ditadores comunistas. Parte dos capitães de abril, antes eram verdadeiros assassinos, porque mandavam os inocentes militares atacar quem eles desejavam e depois viram a falsos democratas. Salazar foi o principal culpado por não entrar em negociações, mas as grandes patentes militares tinham condições para fazerem um levantamento da situação, quando estavam nas colónias.Não fizeram porquê? algum deles foi morto? Quantas comissões fizeram e quanto ganhavam? Demagogia, apenas. Nessa época já existia a ONU e os capacetes azuis para manter a ordem, mas aos falsos democratas não interessava.
2 · 18 h
3 respostas · 8 h

José Ribeiro Quem deveria estar magoado eram aqueles que queriam um emprego e se viam preteridos pelos regressados das antigas colónias. Mas felizmente, esses compreenderam as dificuldades dos regressados e aguentaram. Integrar mais de 500 mil pessoas foi uma grande obra, principalmente de Mário Soares. Com quem os regressados deveriam andar zangados eram com o anterior regime que os enganou, fazendo-lhes crer que um pequeno país poderia manter colónias, quando os grandes já as tinha tornado independentes. Mas enfim!
2 · 18 h
1 resposta

Luís Geraldes Tenho pena que seja permitido a pessoas que pouco conhecem sobre a situação escrever sobre "ódio e boatos em copy-paste". Seria bastante mais útil a este jornalista falar dos refugiados que a RAS recebeu por terem sido abandonados por Portugal, falar dos portugueses fugidos de Angola que atravessaram a Namíbia até Durban e aqui chegados, lhes tentaram travar o envio dos seus pertences sem pré-pagamento do frete marítimo para Lisboa, a destruição de sonhos de jovens brancos, negros, mestiços, asiáticos e famílias inteiras que a irresponsabilidade de alguns causou, da recusa de emissão de documento português a pessoas que eram a 3ª Geração de portugueses nascidos em Moçambique. Responsáveis? tropa fandanga com conivência do governo de então. Mas há tanto, mesmo tanto para analisar e ninguém o deseja fazer, porque será? A este jovem senhor que até escreve no Público, só desejo dizer: "A little knowing, is a very dangerous thing"...
2 h

Bruno Valente Claro que não existem provas. Não convem. Mas a fundação a receber uns milhões, e as palavras para a policiA, ou dizer, multas o estado paga, etc. Td normal,
17 h · Editado

Lina Maria Zagalo Neves Para alem de o Mario Soares ter acelerado o processo da entrega das Colônias, sem se preocupar em que houvesse um tempo de transição. Não chega? Quem ganhou com que a rapidez das datas marcadas não terem sido cumpridas? Não foi o POVO moçambicano que h...Ver mais
1 · 12 h
2 respostas · 8 h

Joaquim Conde E também vem muito ódio da parte dos comunistas por Soares se ter oposto à implantação de uma ditadura comunista via URSS, à época! Esses nunca vão perdoar! Eu agradeço a Mário Soares por tal feito!
3 · 18 h · Editado

Rui Miguel Salvador Aqui podemos estar de acordo, foi por esta democracia, onde se pode dizer o que se pensa, que MS lutou ! Não tiro essa valia, mas como "retornado" é mais do que evidente o que ele significou de negativo para milhares de PORTUGUESES ! Eu não coloco na balança e não comparo, mas achar que foi tudo bom é ser muito irrealista ou mesmo, extremista !
4 · 19 h

José Maria Dias Nem de todos os retornados, eu não me incluo nesse pacote sempre o admirei, por isso me fiz socialista . Um grande abraço para a Familia
1 · 4 h

Fortunato Rodrigues Fascismo, colonialismo e racismo, nunca mais em Portuga! Os saudosistas e salazaristas são uma parte ínfima de Portugal, pelo que as suas infames calúnias contra o imortal Mário Soares nunca chegarão às nuvens. O pai da Democracia portuguesa soube interpretar, de forma sublime, os três solenes desígnios do glorioso MFArmadas: democracia, descolonização e desenvolvimento. Soares sempre fixe!
2 · 12 h · Editado

Zé Pedro Miranda A Mário Soares devemos em grande parte o sistema corrupto que temos actualmente, mas também em parte o facto de não termos caído na esfera da URSS. Não acho bem festejar a morte de alguém, mas acho bem que hajam opiniões contrárias à CS que nos injecta com o suposto legado de Mário Soares todos os dias. Denunciar a propaganda dos órgãos de comunicação social não te torna um fascista com saudades do antigo regime, mas um cidadão com opinião própria.
8 · 19 h

Frederico Coelho excelente comentário! senso comum simples :)
2 · 18 h

Ana Susana Dias 'suposto'? mas quem é o menino? já a pulga tem catarro?
2 h

Rui Jorge Eh Pá...Então são muitos... milhoes talvez.... Já agora tenho aqui muitos Angolanos a me perguntarem, se com a morte do dito cujo, vão devolver o marfim e os diamantes que roubou ao povo Angolano....
9 · 19 h

Manuel Pereira Não sou retornado nem tenhosaudades do antigo regime, nem dei conta dele! Mas tambem não vou criticar! Foi eleito pelo povo varias vezes....como Cavaco...........até Passos.......Socrates????? Vejam como nos encontramos........é so gangs bpn, gangs construtoras e ppp's , rendas e fundações, institutos......para pagarmos............
4 · 19 h

Alexandra Pereira ...talvez vocês se esqueçam de que muitos portugueses já não se lembram sequer de ele ser presidente.... outras pessoas mais à esquerda também o criticam por discordâncias políticas e desmantelamento de indústrias... bom, e há uma fatia de portugueses mais novos, entre as centenas de milhar que só conseguiram emprego fora do país, que têm sobejas razões de queixa em relação a (toda) a classe política dos últimos 40 anos... portugal não é só o campo grande. tinha projecção internacional como poucos? tinha. beatificá-lo? nunca.
11 · 19 h · Editado

Ana Susana Dias não se trata de o beatificar mas de, no momento da sua morte, respeitá-lo.
2 h

Andrew de Oliveira claro que o odio vem dos retornados do ultramar, pq deixaram as suas terras de origem em busca de uma vida melhor, hora que conseguem, um fdp metido a heroi decide lixar a vida de todos, pq muitos perderam td que tinham da noite pro dia. e o que é mais...Ver mais
12 h

Carlos Vasconcelos Nao sou dos conhecidos por retornados. Porem, Mario Soares cometeu tres grandes erros a epoca da sua governacao e este o dos RETORNADOS, foi um deles.A historia ja reconheceu que MS abandonou a sua sorte todos esses homens. Inclusive, quando lhe pergu...Ver mais
1 h

Ricardo M Lopes E digo mais, como jornalista este autor do artigo deixa muito a desejar. Espero que seja colocado em funções mais adequadas, de preferência longe de teclas e microfones.
3 · 19 h
4 respostas · 2 h

Jose Canhao Quando me enfiaram num barco para Angola, disseram-me que ia defender a Pátria. Nada disto se tratou, mas sim de defender a pele a muitos dos imbecis que em alguns destes comentarios só vomitam odio. Lamento a morte de muitos camaradas que vi tombar na flor da idade e também os anos que perdi da minha juventude.
2 · 3 h · Editado
1 resposta

André Lencastre Odios e boatos documentados e justificados, os jornais e jornalistas tornaram se ferramentas de uma repressao por parte de politicos, vao se esconder, deviam ter vergonha na cara, depois admiram se que as pessoas votam em radicais politicamente incorrectos.
9 h

Desalinhado Desalinho Não se pode criticar, então a liberdade que tanto apregoam fica na gaveta.
Lá por ele ser o vosso herói, deixem-se de ser beatos, acordem.
Nem todos somos ovelhas, não é a propaganda da liberdade de expressão, que querem, que o mártir dos contratos aprazo e do FMI 83 seja porta estandarte.
Então deixem-se de balelas, deixem falar quem não é crente do falso ídolo do 25 de Abril.
Porque nesse célebre dia, não ouvi nem vi em nenhum arquivo, esse senhor vestido de verde a fazer frente a uma carro blindado no Terreiro do Passo, a arriscar tudo por aquilo que acreditava.
Vi sim reportagens de arquivo desse senhor a pisar a bandeira da nação.
Por isso para todas as ovelhas que não sabem a história deste país, o pai da democracia não é esse senhor, mas sim todos que tiveram nesse dia no Terreiro do Paço.
3 · 18 h

Luis Barbosa Que artigo pequeno cheio de pequineses. Que jornalismo cheio de hipocrisia, estão igual que Fidel um santo investiguem só ele chamou duas vezes o FMI e também podem investigar a queda do avião em África com o filho dele, jornalismo ocidental está pior que o Maduro na Venezuela
2 · 19 h
5 respostas · 2 h

Ziul Soversion Aquilo que ele arrecadou durante este anos todos ... Com a fundação soares e toda a riqueza que roubou em diamantes nas ex-colonias...Se bem se lembram o seu filho teve um acidente de avião em terras de África carregado de marfim, diamantes, e mais outras coisas.Vendo bem todos os Portugueses se deviam sentir ofendidos !!! Um homem que pisa a bandeira nacional e puxa fogo ainda o metem no poleiro.. E como somos burros ainda vai ter ao panteão !!! Esperem pra ver...
2 · 18 h
1 resposta

Raquel Teixeira Esse senhor que faleceu no sábado nem se quer merecia uma polemica dessas, é uma pagina tao triste da historia do país com a sua descolonização exemplar que sinceramente é melhor mesmo ignorar, não lhe desejo mal nem prego ódios, mas se o purgatório existe que ele tenha a eternidade que merecer, no céu ou no inferno.
2 · 11 h

Pedro Mota Os homens valem pelo seu todo. O.percurso final de Soares foi penoso. Desde a candidatura para PR contra Cavaco, passando pela gritaria contra a Justiça por causa de Sócrates tudo de mau sucedeu. Apegado ao poder, teve a ilusão que o país ainda o queria contra Cavaco. Convencido de ser ouvido, bradou contra a democracia ao insultar a Justiça.
Nunca percebi o descarado apoio à Unita em prol de uma tenebrosa guerra Civil. Episódio a raiar o caricato foi a ida a Arafat na ilusão de acabar com a guerra do golfo.
14 h
2 respostas · 23 min

Vanda Salvador Nunca ninguém lhes ensinou que se deve respeitar os mortos. É natural.Agora todos os valores estão a desaparecer. Posso gostar de MS mas neste momento fui ensinada a respeitá-lo e à sua família..Antiquisses!
8 min

Carlos Abrantes O jornalista que escreveu este artigo não sabe e põe em causa aquilo que centenas de milhares de pessoas passaram, leram e ouviram! Eu não sei a idade do tal jornalista, para não se lembrar daquilo que foram cabeçalhos em vários jornais da época ( 1975) .....!
2 · 18 h
2 respostas · 2 h

M Eduarda Fernandes Exactamente e escrevem o que lhes apetece porque no Antigo Regime nem se atreveriam!
18 · 19 h
5 respostas

Ana Santo Descolonização!!
Filha de um colono, uma retornada, que pensar deste Homem Mario Soares!!
Poderia ter feito a descolonização diferente??
Poderia!!
Mas! Agora agradeço lhe ,fez o que devia,nada naquela terra maravilhosa era nossa,Nós tiramos a liberdade de um povo,!!
Que descanse em paz!!
1 · 3 h
1 resposta

Beatriz Martins Era agnostico, nao adianta rezar para que seja bem recebido no mundo espiritual. Por aqui fez como quase todos os que por ai andam, Portugal nao vive em liberdade e ainda esta muito por fazer. Ele de certeza que ja nao faz, pelo mesmo motivo que referi, e capaz de nao ter poder espiritual. Disse.
1 · 18 h

Ana Seco A que eu conheça, e muito bem, pois andei no meio do 25 de Abril... Quem fez rebentar a ""Bomba"" Foi o já falecido Salgueiro Maia e se esse senhor fez com que os nossos filhos não voltassem para a guerra do Ultramar; Por outro lado fez ainda pior, porque os mandava ajudar no Iraque, nas Guerras de independência do Brasil, Kosovo, etc... etc.. etc... E para não mencionar mas já mencionando, ter-mos de mandar os filhos para o estrangeiro trabalharem ou até acabarem as suas formaturas fora do seu País!... Albergava e continuam! Sim, porque esse senhor deixou cá a semente de tudo o que está errado neste País... Albergam os de fora, que vêm fugidos das suas próprias guerras, dão casas quando os nossos vivem nas ruas, mandam comida para fora, quando os nossos morrem de fome... E por aí adiante! Agora só não entendo é para quê tanta Hipocrisia se muitos dos que aqui se vêm queixar, também se revoltaram quando ele fez tantos e tanos disparates!...
2 h

Maria Luisa Coelho Coelho Volta Salazar! Estás perdoado.Liberdade ( zero). Liberdade ( 0) pontes aereas (0)que os moviimentos de libertação das ex colonias copiassem a Rodesia e o congo.Estariamos todos mais leves
Educação e instrucao ( o)

FIdel também com principalmente proibição de FB.
É isto que o mundo quer e merece.

Começo a enterder as eleições americanas.
Muros e fecho a refugiados.

M
3 · 19 h · Editado

Rosa C. Evangelista As pessoas pensam nas suas histórias pessoais e não na História de Portugal. E muitas vezes com informações que não são correctas. É pena. E culpam quem teve de resolver a situação, que estava num ponto de não retorno, e não quem a provocou.Salazar com a sua teimosia, o não querer ver que o rumo da História era outro, o seu absurdo "orgulhosamente sós" levou- nos a uma guerra perdida, desde o início. Marcelo Caetano não quis remediar o mal feito, quando tinha todo o país a apoiá- lo. Depois, com uma guerra terrível ( como todas as guerras!) a solução já era muito mais difícil. E é bom não esquecer que nessa situação,as conversações/ negociações são muito mais complicadas. Porque há dois lados. E a posição angolana já era inflexível.
1 · 7 h
1 resposta

Alexandra Fontes Rui Jorge Soares , Sério? Foi a sua bola de cristal que lhe disse?
Quem lhe disse a si que se não fosse este senhor não seria Outro? E, por ventura, menos aldrabão e ladrão?
18 h

Santos Sousa Um país que, bem ou mal, investiu dinheiro e uma geração de jovens numa guerra e que não tirou dividendos da mesma por mario soares ter entregue as ex-colónias sem contra-partidas é de uma incompetência atroz. A incompetência ou má fé de mario soares nesta solução politica teve efeitos tão nefastos que passadas tantas décadas continuamos na bancarrota.
3 h · Editado

Rosa C. Evangelista E também era bom reconhecer que o esforço feito para receber todas as pessoas que vieram foi enorme. Aqui, neste pequeno país, com tantas dificuldades. Cá, a nossa vida não era cheia de facilidades, de mordomias. Não, era muito difícil. E no fim, cá coubemos todos. Com mais sacrifícios para todos! É este o espírito do verdadeiro povo português. Vencer as dificuldades, olhando para a frente, sem ficar a lamuriar e a acusar tudo e todos.
1 · 7 h
1 resposta

Nuno Fernandes Mentira , eu não sou retornado nem saudosista e não gostava de Mário Soares , não lhe desejei a morte , até porque não se deve desejar a morte a ninguém, mas também não entrei na estreia colectiva de achar que era "ele na terra e Nosso Senhor no Céu ",que a terra lhes era leve e esteja lá mitos anos sem mim.
1 · 19 h

São Ganchinho Pedro Guerreiro creio que lhe falta muita coisa, mas a mais importante e que na certa ainda não o fez e deve ler "Contos Proibidos" de Rui Mateus, só para esclarecer um pouco a sua falta de Know how. E já agora obrigado pelo esclarecimento de que os "retornados" não são portugueses, ainda bem que eu não retornei a nada pois nunca fui de cá...., apenas por força das circunstâncias.
4 · 18 h
2 respostas · 1 h

Nuno Ricardo a parte gira disto é que grd parte dos portugueses passa metade da sua vida a ofender e injuriar políticos...a outra metade é dividida a chorar a sua morte e a bajular.lhes o ass....unto.
2 min

Fernando Abrantes O unanimismo de ocasião é sempre suspeito e leva à procura de contraditório. Sem a história fica um burguês arrogante, sobranceiro e com raptos de má educação.
6 h

Carlos Cenoura Os 10.000 jovens Portugueses que morreram na guerra colonial chegam para não fazer mais comentários!!! O Salazar gostava tanto das colônias que nunca lá meteu os pés!!!
1 · 3 h
1 resposta

António Oliveira Pede-se ao jornalista que investigue a treta que é a diabolização do glifosato, que o próprio PS usou para o proibir em certos contextos. Quem muito denuncia histórias falsas, boatos e desinformação devia dar o exemplo.
1 · 19 h

Bento Coelho Do Amaral Parece que não não senhor jornalista. Também há pessoas que tinham benesses do antigo regime ,como sr. Presidente, que é a favor dele e retornados no seu satff , portanto há de tudo.
1 · 19 h

Luís de Campos Eu não sou saudosista nem retornado... e não desejei a sua morte, apenas não deveria era ter nascido, porque a morte não apaga o que ele fez... ele e muitos, muitos outros.
1 · 5 h

Ricardo Martins E aqueles que se indignam com quem regozija com a morte de Mário Soares por ser um ser humano mas fez o mesmo com Fidel Castro? E os que fizeram o mesmo a Álvaro Cunhal um dos principais opositores ao regime? Pura e simples hipocrisia. Isto vindo de pessoas que colocam Mário Soares como "pai da democracia" algo que ele não é. Mário Soares não veio a Portugal e puf, fez a democracia! Mário Soares nada fez sozinho, não esteve na clandestinidade em Portugal, não esteve por trás dos tanques, teve a sua participação como tantos outros tiveram. Mas mais importante que isso, como Salazar, como Fidel Castro, como Álvaro Cunhal, como será com Cavaco Silva de certeza absoluta, Mário Soares não é nem nunca será consensual, é uma figura histórica, muito longe de ser perfeito, que naturalmente provoca grandes paixões, o que consequentemente provoca opiniões apaixonadas mas mais uma vez prefere-se ir pela visão redutora dos bons e dos maus e o anti-democrático ou concordam connosco ou são uns porcos fascistas (irónico).
2 · 6 h · Editado
1 resposta

Carlos Gustavo Neto Mário Soares em entrevista ao DER SPIEGEL Nr.34/1974 "Se necessário atiraremos sobre os colonos brancos“.

Querem ver a cópia do artigo e um tradutor de alemão?
2 · 16 h
7 respostas · 20 min

Nelson Silva Nem tudo se explica a sim desta maneira do copy-paste, mas os que realmente são solidários com a morte de Mário Soares, não utilizam as redes sociais para comunicar o seu pesar ou são um incrível maioria silenciada pela net.
19 h

Carla Ferreira Silva Porque não falam dos que cá viviam e sofreram com a ida de seus familiares´´pais ,filhos,irmãos,etc´´para infelizmente nunca mais voltarem e os que voltaram estão doentes por tanto sofrer a combater,estes não estão revoltados?Parem de bater nos retornados,porque os verdadeiros culpados são os senhores da guerra que enriqueceram a custa dos dois lados e que depois do 25 de Abril foram os verdadeiros libertinos, é por isso que Portugal está falido...más governações a proveito próprio,traidores do povo e da pátria.
3 · 18 h

Carlos Gustavo Neto Nas redes sociais? E as buzinadelas de alegria que eu ouvi? E querem ver que no Guimarães-Benfica, só "retornados e extrema-direita" é que foram ao estádio fazer 1 minuto de festa?
1 · 16 h

Marta Minez Conheço pessoas que vieram das ex colónias, quando falam da vida que levavam nessas colónias, posso dizer que viviam como reis e não eram reis. Batiam e ainda regozijam do que faziam aquele homem, mulheres e crianças, faziam o que criam
2 h

Carla Ferreira Silva Não sou apologista do antigo regime,mas nem os retornados que somente foram procurar uma vida melhor,tais como muitos emigram hoje para outros países ,com o mesmo objectivo,nem os que viviam cá,são culpados da guerra colonial.
1 · 19 h

Alex Ferreira Muitos dizem que é graças a Mario Soares que somos livres. Mas onde estava ele no dia 25 de Abril de 1974?
5 · 18 h
3 respostas

Luis Rosa Silva Silva Claro é mais que evidente,mas alguém tem dúvidas,nem todos os retornados ou refugiados como dizem o que para mim são acima de tudo Portuguêses que voltaram há sua Patria.
18 h

Ricky Ferreira Não critico o homem mas não sou um daqueles que o considera "pai da democracia". Se isso faz de mim retornado ou saudosista do antigo regime.......
1 · 8 h

Artur Jorge Mendes Só os retornados??
Muita gente de gerações pós 25 de abril, sabem bem o que é a corja da camada política, principalmente dos velhacos, corruptos e vigaristas que temos em Portugal..
5 · 19 h

Fernando Lourenço nao sou refugiado nem retornado, nem saudosista, sou apenas um homem informado, sobre a vida oculta do traficante de diamantes, etc etc.... não sejam vendidos.
2 · 18 h

Jean Rodrigues Não sou saudosista de regimes nem retornado... Apenas não sou formatado e obrigado a baixar a cabeça e a dizer amém
6 · 19 h

Marcio Domingues Não sou nem um nem outro mas crítico Mário Soares pelo estado em que deixou o nosso Portugal!
2 · 19 h

Francisco Esgalhado E já agora, deixo aqui mais umas ajudas para se contextualizarem alguns acontecimentos :-) http://revolucaoedemocracia.blogspot.pt/.../o-financiamen...
13 h
2 respostas · 5 h

Maria José Antunes Boatos e gente que não aceita ainda hoje o fim de alguns privilégios que ia possuindo no Estado Novo. Muitos dos comentadores que vem por aqui comentar são pagos para isso
11 h
1 resposta

Luís Grade Entregar as provincias ultramarinas de mao beijada a grupos guerrilheiros marxistas sem consultar as populacoes e coisa de um ¨pai¨da democracia ?
4 · 18 h
3 respostas · 6 h

Zé Barreiros Ridiculo. Mais ridicula esta noticia que a histeria mediática com o passamento de Mário Soares. O que é por demais, dificil.
4 · 19 h · Editado

Artur Marques Henriques Ódios e boatos, na sua maioria do que tenho lido, não é "copy-paste, mas sim por quem passou por elas.
11 · 19 h
12 respostas

Luís Quental Quem critica Mário Soares é saudosista do antigo regime ou retornado do ultramar?!! Nem acredito que escreveram isso.
2 · 19 h
1 resposta

Pedro Pinho Tadinho do mario soares, um santo em pessoa!
16 · 19 h
8 respostas

João Santos Pacóvios salazarentos e nacionalistas representam o submundo desta sociedade.
3 · 19 h
2 respostas

Antonio Castanheira Mendonça Críticas a Mário Soares surgem de todos os quadrantes, cambada de bestas quadradas. E ainda bem que assim é. Somos ou não um país plural?
8 h

Teresa Cotrim Figueiredo Tudo o que é contra MS sao boatos, tudo o que é a favor é verdade...
1 · 5 h

Pedro Pinheiro Augusto "Críticas a Mário Soares surgem sobretudo da parte de saudosistas do antigo regime e de retornados do ultramar." - Evidentemente!!!
3 · 19 h
1 resposta

Carla Santiago Típico... Em Portugal basta morrer para ser santo. Nem se espera pelas cerimónias de beatificação e canonização. Enfim... Pesamos à família.
17 h

Davide Carvalho Querem falar da autenticidade deste assunto? Ou nem a entrevista feita ao Mário Soares onde confirma que aceitou dinheiro mas não sabia de onde vinha chega?
1 · 18 h · Editado

Francisco Domingues "Críticas a Mário Soares surgem sobretudo da parte de saudosistas do antigo regime e de retornados do ultramar."
Porque é que se tenta a todo o custo justificar quem critica Soares como se de um crime se tratasse? Não é lícito criticar um homem que não amava a sua pátria?
9 h

Fernanda Fareleira Se tivessem sido abandonados lá era bem melhor agora não falavam. Mas como foram salvos podem falar o que é bom sinal
2 · 18 h

São Amaral Isto já era de prever, enfim, por isto se lutou pela liberdade...
19 h

Mário Jorge Ramos O que se passou ontem em Guimarães e hoje em Alvalade no minuto de silêncio em homenagem a Mário Soares, envergonha os dirigentes desportivos que deveriam ter posto cobro à vergonhosa atitude dos adeptos, sejam eles de que clube forem.
1 · 19 h · Editado

Luísa Gustavo Sinceramente ainda tratam as pessoas 40 anos depois como cidadãos de segunda "retornados" não, humanos e não me venham com conversa porque eu nasci em 1974 mas conheci o sofrimento de muita gente e vejo as fotografias o que se passou em Angola principalmente foi vergonhoso.
1 · 19 h

Carlos Alberto Não sei se os comentadores perceberam que o objectivo deste (jornalista??) é criar polémica,pois escreve sem citar fontes e baseado apenas no que outros disseram.O Publico e outros jornais querem é vender o produto.É melhor não dar importância:Quem viveu a situação sabe que a realidade foi outra...
2 · 19 h
5 respostas · 7 h

Manuel Coelho Só diz mal de Mario Soares quem não viveu a ditadura ou é cúmplice com ela.
6 h
2 respostas · 6 h

Iolanda Helena Duarte Grande Mário Soares mas que Portugal lavou as mãos dntegando Angoa que tanto queria a independência pra se tornou outa colonia dá ex união soviética e Cuba é verdade ssim
18 h

Custodio Da Silva Soares bom sobre o comentario de atirar os retornados aos tubaroes só tenho a dizer que se foi o estado de são paulo que publicou afirmo de pés juntos é mentira esse tabloide nunca publicou uma verdade .
2 · 19 h
2 respostas

José António Os retornados não perdoam traidores da pátria. Sou retornado com muito orgulho e Português de sangue.
2 h

Mário Reis Não me enquadro em nenhum dos perfis e, porém, não simpatizo com a figura pelo que, sem desrespeito, não me permito endeusar alguém que, do alto da prepotência e arrogância se arvorava em dono da democracia!...
9 h

Hugo Vieira Até na hora da morte consegue transformar anjinhos em diabinhos imbecis!
És grande Soares!!
1 · 17 h

Sofia Ferreira Cada pessoa tem direito a sua opinião é a dar lá até PK temos liberdade de expressão!!! Agora gozarem com a morte de um ser humano!?!? Como tanta estupidez que já li no face!!! Por favor!!! Quero voltar para a ilha!!!
9 h · Editado

MariaManuel Correia de Sampaio Mais uma vez os media a contribuir para a desinformação. Fizeram sondagens foi ?! Já repararam foi que afinal o
MS não era assim tão querido e agora têm que arranjar um bombo de festa: retornados e saudosistas !!!
E os que o não são?!
1 · 18 h

Alexandre Teixeira A habitual isenção e referência deste "jornal" .

Mais Trumps, menos bochechudos. Por um mundo melhor ....Ver mais
18 h

Lídia Pinto Soares Sampilo Lolllllllll..
Não sou saudosista,nem returnada...
Viva os Capitães de Abri!,Zeca Afonso, Virgínia Moura...
1 · 18 h · Editado

Maria Rodrigues Descolonização e sofrimento. E a colonização? Causou sofrimento a quem? A negros que eram escravos na sua própria terra e a brancos que viram os filhos morrer para aguentar um império podre. Culpados? Salazar e Marcelo, obviamente.
1 · 15 h

Susana Duarte Isso tem nome: imbecilidade. Ignorância. Falta de respeito. Falta de espirito democrático.
2 · 19 h

Luis Gameiro Os imigrantes k vieram d África estão revoltados, é a vida!
15 h · Editado

Lena Martins foram os capitães de Abril que fizeram a revolução!!!!!! o mario soares destruiu Portugal
6 h

Telmo Alexandre Um homem que em nome da democracia pilhou o ouro acumulado pelo antigo regime que entregou território nacional e que abandonou portugueses em teatro de guerra e um absurdo as honras que lhe estão a fazer deveriam era passar as contas da família a pente fino porque passar de mendigo a rico em 25 anos é no mínimo suspeito
6 h

Joaquim Miranda Críticas dos partidos que sustentam a geringonça nada. Todos muito felizes com a ação e consequências de Mário Soares. É bonito.
19 h

Nuno Gonçalves Eu fiz o tal "copy-paste" de fatos que já conheço á anos sobre o boxechas podre.
Agora as talochadas do boxechas são fake-news?
Ó jornalismo podre.
7 h

Raquel Teixeira Falta de Respeito que o tal do Mario Soares sempre teve por todos que não lhe lustravam as botas com a língua!
6 h

Francisco Ribeiro Pioneiro do maior endividanço...na historia de Portugal.
2 · 19 h

Bruno Santos Ramos Aposto que mais dia menos dia ainda o vão querer pôr no patamar dos três pastorinhos
8 h

André Ferreira Quando é um toureiro ninguém escreve sobre o ódio que as pessoas espalham nas redes sociais... Tudo hipócrita!
2 · 19 h

Anton Moschin Saudosistas do antigo regime e de retornados do ultramar? E os comunistas? Adoram-no...
17 h

Jorge Porfirio Alguém explica porque estávamos em guerra com Angola, Moçambique, Guine?
1 · 11 h

Joaquim Braz Os devolvidos queriam que os portugueses morressem no ultramar para que eles continuassem a explorar as populações indígenas .
3 h

Peripécias PT A verdade agora é ódio e boatos?
5 · 19 h

Álvaro Vieira Soares nunca foi um socialista, aliás, o morto nem dele gostava, apenas procurava o êxito pessoal fosse a que custo fosse.
1 · 19 h

Carlos André Só vim ler os comentários. O Júlio de Matos está aqui em peso.
5 · 19 h

Cândida Almeida Só porque nos deu a liberdade que é, muito mal aplicada...?!
1 · 19 h · Editado
1 resposta

Alexandra Fontes Oh público, em que dados estatísticos se baseiam para fazer aquela afirmação ?
Os portugueses sempre foram desinformados e de memória curto. Quem se baseie na comunicação social vai ficar com uma ideia sobre esta pessoa o que, infelizmente, não coincide necessariamente com a realidade...
18 h

Manuel Santos Monteiro Melo Mas ninguem fala dos milhares de mortos,militares que como eu fomos enviados para africa defender,uma minoria?
18 h

Julieta Maria Pereira Os "retornados" já faleceram quase todos.
Estamos cá os filhos deles -os "refugiados" Portugueses - para contar como foi. Querem mesmo saber?
Não me parece....Ver mais
5 · 18 h · Editado

Jorge Goncalves Mario Soares, sempre, com ele veio a Democracia, a Libredade, fora com o antigo regime e com os que pensavam que Postugal nao existia!!!
17 h

Samuel Paixao Os comentários, provam a veracidade do texto, Se dúvidas ainda houvesse!
9 h

Rafaela Pepolim Tenho lido muita coisa.....pode ate ser mas nao me parece isolado. Nota se em varias faixas etarias. Nao e de todo verdade.
4 h

Isabel Fabião Sousa E deitá-lo aos tubarões?
Desapareça, sr jornalista, desapareça...
19 h

Carlos Tavares O ódio de alguns fascistas e colonialistas a MS só demonstra que ele cumpriu a sua missão com êxito ao estar do lado certo da História.
1 · 18 h
2 respostas

João Emídio Claro ... devem emigrar para por exemplo Filipinas Coreia do Norte Ou comprar a máquina do tempo para ressuscitar Salazar!
3 · 19 h

Carlos Alberto Vicente Peço imensa desculpa o dito cujo não é o Sr. Rosário Teixeira mas Sr. Rosário Neves
19 h

Paulo Pinto Isto é uma notícia ou uma opinião?
6 · 19 h
5 respostas · 41 min

Jorge Braga Aí está o jornalismo que faltava, o Jornalismo Psicanalista Científico. É um jornalismo baseado em estudos empíricos de análise a comentários no facebook.
3 h

A.l. Sameiro com esta gente da esquerda (bem pensante,bem paga e repoltreada no sistema) discordar é uma chatice.não comento a morte de ninguem ,mas endeusar um charlatão !!!
10 h

Antero Mendes Ou pessoas fartas de serem chuladas.
5 · 19 h

Lucinda Reizinho NÃO É ODIO! É a VERDADE. É de uma hipocrisia tremenda dizerem que foi o "PAI" da Democracia Portuguesa. Repugnante.
3 h

Emanuel Ferreira Assim como vocês jornalistas muitas fazes fazem "copy-paste" de uma notícia sem confirmar a credibilidade da mesma. Cada um com a sua opinião, ou somos obrigados a ter a vossa opinião?
1 · 6 h

Alex VanTrue copy paste? desculpem lá...mas eu inventei os meus proprios insultos!!
1 · 17 h
1 resposta

Luiz Cunha Esses jornalistas de proveta, julgam que os portuguêses, são filhos da mesma carneirada. Auto proclamam-se donos do saber. Coitaditos!, não passam de vermes com medo de serem saneados.
2 h

Estela Caçador E o público conseguiu analisar todos os comentários para fazer essa estatística ? Ou chegar a essa conclusão ?
8 h

Gonçalo Nuno Ferreira Hahahahahha não tarda estão a fazer um site como fizeram para o éder a pedir desculpas ao sr. A morte não é desculpa para bajulação.
10 h

Fartode P Arolos Mais um lavar a cara do ladrão-mor.
Quem tem olhos na cara sabe bem avaliar o cancro que esse indivíduo foi para o país.
9 h

Sérgio Loureiro E não só, surgem também daqueles que têm memória do pós Abril, e estes não têm nada a ver com os que o Público cita!!!
6 h

Gualter Boavida Quem escreveu este artigo não sabe a diferença entre refugiados e retornados... Ignorância...
8 h

Zé Tadeu Sousa Surgem do povo que tem direito à indignação de atitudes que este sr tomou durante e depois de ser presidente.
6 h

Rosa C. Evangelista E gostaria que me mostrassem uma descolonização ( e muitas houve) que tivesse corrido melhor. Depois de um longo período de guerra.
7 h

Guhto Castro Vós nao deveria ire atrás e mais simples vos fazer uma matéria sobre o assunto e ponto final.
1 · 19 h

José Manuel Santos Nogueira São os antigos esclavagistas...Munidos nas ferramentas sociais e das suas pós-verdades....Agora serão chamados de neoesclavagistas.
7 h

Dilia Monteiro Temos de respeitar todas as opiniões, mesmo que discordemos delas!
17 h

Davide Carvalho http://revolucaoedemocracia.blogspot.pt/.../o-financiamen...
1 · 18 h

Virgínia Dias Não sou nem uma coisa nem outra. Não gosto nem deixo de gostar. Vivi parte da história e portanto não é por a comunicação social tentar branquear ou romancear que vou acreditar nela. Não vão conseguir mudar a opinião das pessoas que viveram a história!!!
1 · 18 h · Editado

Carlos Santos 1 milhao de ditos retornados segundo a visao socialista, é bom saber como esse partido nos trata, quando forem as urnas iremos nos lembrar desse comentario
1 · 9 h

Fernando Costa Pinto O Portugal socialoio de hoje é um paraplégico atrofiado graças à turma desse escroto....não era para ser assim ...qt tempo perdido ....
16 h

Jose Patrocinio So quem esteve nas ex colonias e que sabe o que la se passou.e em relacao a algubs comentarios que todos os retornados que trabalharam em funcoes publicas alguns nao tiveram beneficios nenhuns nem cunhas nenhumas vomo algumas pessoas aqui comentaram......Ver mais
11 h

Isabel Martins Não estou de acordo! Pois vi muito mais criticas de pessoas sem esse rotulo!
4 h

Maurício Correia É a mesma boataria que o rectângulo faz de Alberto João Jardim.
19 h · Editado

Carlos Alberto Vicente Sr. Rosário Teixeira o Sr. além de burro e estúpido é ignorante. Sabe a razão de os ditos retornados apanharem os melhores empregos? A razão é simples: competência, trabalho e disponibilidade total, enquanto o Sr. se calhar se perdia por greves e comicios a ver se mamava como ele sem fazer nada. Vai-te catar tu e ele, vai junto com ele prós infernos seu FDP.
1 · 19 h

Joe Rivera Soares excelente ,Russos maus , Clinton excelente , Trump mau, Sirios diabolicos , Americanos bonzinhos .... quem nao pensar assim as élites aborrecem-se.
18 h

Fernanda Luis Boatos, sinónimos de mentiras, de gente muito primária com uma visão micro, umbilical...
16 h

Ana Avelar Claro sabia tão bem viver a escravizar os outros era tão bom não fazer nada quando acabou tiveram de culpar alguém
16 h

Carla Vilela lolololololololo! Não é verdade! O problema é que os comentário negativos são mais que os comentários positivos, pois isso não podem controlar! lolololololo!
6 h

Maria Mascarenhas Averiguaram, foi? Deve ter sido por um processo científico. Dos usados nos 'jornais de referência'
2 · 19 h
1 resposta

Cláudio Poiares Rodrigues Eu não sou saudosista coisa nenhuma, nem retornado. Só não gosto do homem nem da família dele por causa dos negócios obscuros que ele está por detrás.
4 h

Armando Manuel Costa Rodrigues Será mesmo?Quem escreveu este artigo é que deixa muito a desejar.
7 h

Oliveira Santos Sem ele não haveria liberdade de expressão...sem o Salgueiro Maia...
1 · 19 h

Oliveira Santos Preconceituoso...como sempre.
Rotular as pessoas...
Percebe-se bem o porquê de estar falido este jornal.
2 · 19 h

Teresa Peixoto É...Coitado...Um santo.
5 · 19 h

Francisco Carrico nada a agradecer a um corrupto
2 · 18 h

Hugo Teixeira E não fosse este jornalzeco de merda defender este porco. :)
2 · 18 h

Sandra Rodrigues E o que o Público (órgão de comunicação) tem a ver com isso?
6 · 19 h
4 respostas

Ricardo M Lopes Eu cá não sou copy paste. E não nutria nem nutro simpatia pelo Mário Soares
1 · 19 h

André Gomes este artigo é deplorável...
3 · 19 h

Nuno Pinto Só bs.
17 h

José Valadas Uma grande percentagem de informação é falsa.
19 h

Anamaria Santos Mentira que são só as pessoas do ex ultramar q odeiam o Mario Soares
9 h

Luísa Gustavo
19 h

Luís Trindade Lá é que o diabo está bem. Morto.
8 h

Manu Mochila Gomes E o FMI também não encontrou registo ? Sr jornalista
2 · 19 h

Gualter Boavida
8 h
202 de 328

Ver mais comentários

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook